Por que o Homem-Aranha perde os poderes em Homem-Aranha 2?

Capa da Publicação

Por que o Homem-Aranha perde os poderes em Homem-Aranha 2?

Por Gabriel Mattos

Ao longo de oito filmes, existem poucas coisas que o Homem-Aranha não tenha enfrentado no cinema. Mas nem vilões alienígenas, tampouco a implosão do multiverso em Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa chegaram perto de ser tão aterrorizantes quanto o maior desafio que o Peter Parker de Tobey Maguire precisou superar na trilogia de Sam Raimi: o sumiço de suas habilidades. Mas afinal, por que o Homem-Aranha perde os poderes em Homem-Aranha 2?

Para entender o motivo do pane sofrido pelo herói, precisamos primeiro entender o contexto em que isso acontece no filme. Afinal, Homem-Aranha 2 foi aos cinemas em 2004 — uma época em que o cinema contava sua história por sutileza e não necessariamente diálogos. Não havia a necessidade de explicar cada detalhe explicitamente como nos longas modernos, o que faz com que pontos importantes de algumas narrativas passem despercebidos. Sabendo disso, vamos analisar essas sutilezas para entender que informações o filme nos dá.

Quando Peter Parker perdeu seus poderes?

Mary Jane Watson espera o mínimo de comprometimento de Peter e recebe apenas decepções

Os poderes do Homem-Aranha falham pela primeira vez enquanto ele está sobrevoando a cidade. Peter havia acabado de perder uma exibição da peça da Mary Jane Watson, por ter chegado minutos atrasado para o espetáculo começar. Se isso não fosse o bastante, quando ela sai do teatro, o jovem ainda acaba presenciando sua amada beijando outro homem! E tudo isso só aconteceu porque, no caminho para a peça, o Homem-Aranha precisou agir para parar bandidos fugindo de um assalto.

Neste primeiro momento, há apenas uma falha momentânea dos poderes do herói. Logo suas habilidades retornam e o Homem-Aranha está pronto para enfrentar o Doutor Octopus como se nada tivesse acontecido.

Sem poderes, Homem-Aranha precisou até usar o elevador

Contudo, a segunda vez em que Peter perde seus poderes é bem mais grave. O herói cai em um beco quando suas teias falham e decide testar outras de suas habilidades. Entretanto, escalar as paredes também não é mais possível e até mesmo sua visão volta a ficar turva, como era antes da picada. O fato é que, a partir daquele momento, ele não é mais o Homem-Aranha. Peter Parker perdeu os seus poderes. Mas o que teria acontecido?

A resposta está no multiverso

Para ajudar o Homem-Aranha do Tom Holland, o veterano expõe seu grande segredo

A pista mais importante para resolver este mistério vem do próprio Homem-Aranha Amigão da Vizinhança: em sua mais recente aparição, no filme Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa. Em um momento descontraído entre os heróis, conversando sobre as vantagens das teias orgânicas, o veterano confessa que acabou ficando sem teia em um momento quando estava passando por uma “crise de identidade“.

De modo bastante simplificado, esse é o cerne do problema do personagem em Homem-Aranha 2. Sua identidade como Peter Parker, da qual ele dependia para conseguir suas necessidades sociais básicas, estava em conflito com as responsabilidades de sua identidade como Homem-Aranha. Ele não conseguia mais se enxergar naquele papel ingrato que só lhe trazia problemas e sentimentos ruins, por isso acabou abandonando o uniforme em uma caçamba de lixo qualquer e seguindo em frente.

Mas, para entender como isso poderia ter afetado diretamente os poderes do herói, precisamos mergulhar um pouco mais a fundo.

Homem-Aranha 2 sob a ótica de saúde mental

Situação de Peter pode ser explicada pela psiquiatria

Voltando ao próprio filme Homem-Aranha 2, a resposta surge, de forma bastante sutil, logo após a cena em que Peter perde seus poderes. O jovem decide fazer uma checagem completa com um médico que não encontra nenhum problema físico com o herói. “Meu diagnóstico? O problema está aqui,” constata o doutor enquanto aponta para a cabeça. No fim, este é um problema de saúde mental.

Pouco disso era discutido no início dos anos 2000, e talvez por esta razão os roteiristas tenham optado por uma abordagem mais lúdica, mas não significa que as pessoas não sentiam seus efeitos. É comum que problemas com a saúde mental se manifestem fisicamente, como uma resposta do seu corpo para você começar a se cuidar melhor. Chamamos isso de sintomas psicossomáticos e faz sentido que, tratando-se de um super-herói, estes efeitos também afetem seus poderes.

Investigando um pouco mais, podemos até mesmo determinar qual era a provável distúrbio psíquico que afligia o Homem-Aranha. “Disse que não dorme. Desilusão? Pesadelos?,” continua o médico. Neste momento, ele está tentando determinar quais comportamentos levaram Peter a desenvolver este transtorno. Claro que o herói não confessa, mas sabemos que o principal motivo do seu stress é a vida de Homem-Aranha.

Naquele momento, Peter Parker estava exausto. Divido por sua vida dupla, também estava em seu momento de menor identificação com o trabalho de herói e, devido a opinião pública sempre lhe perseguindo, podemos identificar uma sensação da redução da capacidade profissional. Estes são os principais indicadores do que conhecemos hoje como a Síndrome do Burnout, um transtorno reconhecido pela OMS resultante de muita pressão no trabalho e em outras esferas de sua vida. Entre os seus sintomas, encontramos a relatada insônia.

Entendendo o burnout de Peter Parker

Síndrome do Burnout está ligada a fatiga profissional, mas no caso de Peter é com o Homem-Aranha

Na cena anterior a sua perda quase definitiva dos poderes, Peter Parker havia acabado de assistir a garota dos seus sonhos aceitar o pedido de casamento do filho de seu patrão. E em uma discussão bastante franca, ela deixou claro como as atitudes relapsas do rapaz eram incompatíveis com qualquer tipo de relacionamento. Ele não estava dando conta da sua vida amorosa.

Falando em emprego, ele também não conseguia manter um emprego estável, pois sempre precisava colocar as responsabilidades de Homem-Aranha em primeiro lugar. Seu único sustento era vender suas fotos para o Clarim Diário, mas isso não era algo garantido e muito menos pagava bem. Praticamente o mínimo para ele conseguir quitar o aluguel com algum atraso. Ele não estava dando conta da sua vida profissional ou financeira.

Problemas de relacionamento acabam acentuando o sentimento de pressão

Na mesma festa que viu tudo ruir com Mary Jane, Peter também foi confrontado pelo seu único amigo. Harry Osborn sofria pela morte do pai e culpava o Homem-Aranha por sua dor. Desde então, a relação com seu melhor amigo andava patinando em um mar gelado de indiretas e passivo-agressividade. Para piorar, no fundo ele sabia que era culpa sua como Homem-Aranha. Assim como sentia que era culpa sua a morte do Tio Ben, que tanto afetou sua Tia May. Ele não estava dando conta de suas relações de amizade ou familiares.

Com a pressão vinda de todos os lados, Peter se afundava cada vez mais o trabalho. Assim, seu corpo acabou cedendo e o Homem-Aranha perdeu seus poderes. Mais tarde, conforme Peter começa a incorporar comportamentos mais saudáveis em sua vida, os poderes acabam voltando. Especialmente quando suas motivações para exercer aquela função são renovadas e deixam de ser apenas uma responsabilidade imposta pelos outros e sim uma escolha que parte do próprio herói.

Peter entende que não pode abraçar o mundo todo de uma só vez e, em uma difícil, porém sábia decisão, escolhe se dedicar ao que sabe fazer de melhor: trazer esperança para o mundo como o Amigão da Vizinhança, o Homem-Aranha.

Fique com:

Imagem de perfil
sobre o autor Gabriel Mattos

Editor, repórter correspondente de Wakanda, caçando Pokémon por onde eu vou! Sempre nas lives da Legião! • @gabeverse