O que aconteceu com o Homem-Aranha de Andrew Garfield após O Espetacular Homem-Aranha 2?

Capa da Publicação

O que aconteceu com o Homem-Aranha de Andrew Garfield após O Espetacular Homem-Aranha 2?

Por Junno Sena

Atenção: Alerta de Spoilers!

Chocando, finalmente, o universo da Marvel Studios com a Sony Pictures, tivemos o Peter Parker interpretado por Andrew Garfield fazendo uma participação em Homem-Aranha: Sem Volta para Casa. Mas, acima de um presente para os fãs do Aranha de Garfield, o que o novo longa do Universo Cinematográfico da Marvel (MCU) deu ao herói foi uma chance de encontrar possibilidades após o final trágico de O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro.

Mas, o que acontece com o Espetacular Homem-Aranha?

Dirigido por Mark Webb e com Andrew Garfield, Emma Stone, Jamie Foxx e Dane DeHaan no elenco; o segundo filme do Cabeça de Teia uniu a ameaça do vilão Electro com a adaptação de um dos quadrinhos mais famosos do Homem-Aranha: The Amazing Spider-Man #121. Nele, após uma emboscada elaborada pelo Duende Verde, Peter Parker, ao tentar salvar Gwen de uma queda, acaba levando a personagem à morte.

Mesmo com o casal tendo se tornado um dos preferidos dos filmes do herói, o choque do final de Gwen se repetiu no cinema. E, assim como foi para Parker nos quadrinhos, esse trauma perdurou e ainda perdura na versão de Garfield. O personagem, por um tempo, desiste do manto do herói. Desiludido e crente de que seu papel em busca de salvar a cidade era, no mínimo, inútil, vemos Garfield recorrer ao discurso de oradora feito por Gwen durante a formatura.

“Mas haverá dias escuros também. Em que se sentirão sozinhos. E a esperança será mais necessária do que nunca. Não importa se as coisas são difíceis ou se vocês se sentem perdidos… Devem prometer que sempre vão ter esperança”, diz Gwen Stacy.

Tomando a promessa feita por Gwen em seu discurso para si, Peter pega mais uma vez o uniforme do Homem-Aranha e vai ao encontro do vilão Rhino, interpretado por Paul Giamatti. Mas, em seu retorno ao papel, descobrimos que não tem sido fácil para essa versão de Peter seguir com sua jornada heroica.

O que há para além do final do segundo filme

Pelo contrário, conversando com o Peter Parker de Tom Holland, descobrimos que a morte de Gwen o leva por um caminho sombrio. Assim como o personagem de Tobey Maguire foi atrás de vingança após a morte de Tio Ben e como o de Tom Holland estava desconsolado após perder a Tia May, a versão de Garfield diz ter se tornado mais rancoroso com o tempo.

Diferente do Peter Parker de Tom Holland que, naquele momento, ganhou o apoio não apenas de Ned e MJ, mas também das versões alternativas de si mesmo, Garfield se viu sozinho. Sem namorada ou amigos, o rapaz caiu numa espiral autodepreciativa, em que ele não acredita nem em si mesmo ou que suas atitudes possam melhorar alguma coisa.

Assim, vemos um Peter bem mais sério que em seus filmes originais. Mesmo que ainda seja capaz de ser o “amigão”, sempre tentando sorrir e ser simpático, o personagem dele constantemente carrega o peso da perda. A responsabilidade de ser o Homem-Aranha se tornou um fardo pesado demais para ele carregar sozinho.

A morte de Gwen Stacy em O Espetacular Homem-Aranha 2

Mas isso parece mudar durante Sem Volta para Casa. Ao encontrar as outras duas versões de Parker, Garfield compreende que existem outros caminhos e possibilidades. Assim como ele mesmo se torna uma história para qual a versão de Holland não precisa passar. “Eu só não quero que você termine como eu”, diz o Aranha.

E, com o salvamento heroico de MJ em uma situação de perigo semelhante a de Gwen Stacy, ele passou por uma redenção que não sabia precisar. Mesmo que ainda usasse o uniforme do Amigo da Vizinhança, esse Peter não conseguia mais ver o seu papel com o mesmo otimismo e esperança de antes. Ele se torna incapaz de seguir em frente, porque queira ou não, ele veste a prova do seu erro com Gwen.

Imagem de Sem Volta para Casa

Nesse encontro, o Aranha de Garfield pode finalmente se perdoar pelos erros e encontrar a mesma esperança descrita por Gwen. Presente nas suas versões alternativas, mas também em si mesmo. E talvez, o que ele mais precisava para seguir em frente era o Peter de Tobey Macguire lhe lembrando que ele é “espetacular”.

Mesmo que ainda não haja muitas informações sobre essa versão do Peter ou o que aconteceu com a Tia May e os outros personagens do universo de Garfield, a certeza é que Homem-Aranha: Sem Volta para Casa foi o que Miles Morales se tornou para o Peter de Homem-Aranha no Aranhaverso. Foi uma vitória após uma série de derrotas na vida do personagem. Foi a lembrança do porque ele é o Homem-Aranha.

Confira também:

Imagem de perfil
sobre o autor Junno Sena

Pós graduando em Antropologia com o raio problematizador ligado no 120. Assiste filme trash para relaxar e dorme cantarolando a trilha sonora de A Hora do Pesadelo. Blaxploitation na veia e cinema coreano no coração. Atualmente mora em Petrópolis, RJ.