Navegar com One Piece por 1000 episódios traz uma boa recompensa?

Capa da Publicação

Navegar com One Piece por 1000 episódios traz uma boa recompensa?

Por Márcio Jangarélli

Fama, riqueza e poder… Gol D. Roger, o Rei dos Piratas, obteve tudo que há nesse mundo. Suas últimas palavras antes da execução levou pessoas aos mares.

 

Se quiserem meu tesouro, podem pegar. Achem-no! Deixei tudo que há no mundo ali!

 

Homens partem para a Grand Line perseguindo seus sonhos. 

 

Essa é a Grande Era dos Piratas!”

Com essas palavras, o anime de One Piece estreou no Japão 22 anos atrás, em 20 de outubro de 1999. No Brasil, a animação só chegou quase 8 anos depois, primeiro no Cartoon Network, em 2006, e, depois, no SBT, em 2007. E, de lá para cá, já foram 999 episódios das aventuras dos Chapéus de Palha pelo East Blue, Grand Line e Novo Mundo.

As últimas palavras de Gol D. Roger durante sua execução, em Roguetown, deram início à Grande Era dos Piratas

Isso tudo sem contar os 100 volumes e 1031 edições do mangá, 14 – logo mais, 15 – filmes, cerca de 56 jogos, OVAs, especiais e todo tipo de adaptação, merchandising e até a série em live-action para a Netflix, que acabou de ganhar elenco.

É uma tonelada de conteúdo, quantidade tão massiva que tornou One Piece um titã da cultura pop moderna. Um sucesso tão grande, tão absoluto, que, hoje, assusta quem quer começar só agora a acompanhar as aventuras do Luffy. 

Na verdade, a longevidade e peso da obra são até criticados e vistos com maus olhos por parte do público atualmente.

Com o episódio 1000 chegando, a pergunta que fica, então, é: Vale a pena tentar acompanhar One Piece hoje? O que torna essa história tão especial?

A MAIOR AVENTURA DE TODOS OS TEMPOS

Monkey D. Luffy, ou Luffy do Chapéu de Palha, é o protagonista de One Piece

Estamos em 2007. Você volta da escola 12h, correndo, pega o almoço na cozinha e leva para a sala, liga a TV e muda para o SBT para aquela sequência com os MELHORES desenhos, enquanto sua mãe te olha feio porque comer assistindo televisão entorta a boca. Bons tempos. Nem parece que já se passaram quase 15 anos.

Foi assim que eu e muita gente conheceu Naruto – e quem imaginaria o quanto o ninja desastrado de Konoha influenciaria nossas vidas. E também foi assim que eu conheci One Piece, naquela versão bizarra da 4Kids, onde o Sanji era viciado em pirulito e pirata tomava suco.

One Piece definitivamente não teve o mesmo impacto que Naruto e outros animes da época tiveram por aqui. A versão censurada era estranha e os personagens, a história e os visuais da animação eram quase “exóticos”, diferentes de qualquer coisa em exibição.

Desde que One Piece iniciou sua exibição, Naruto começou, terminou e começou de novo. Bleach, Fairy Tail, Death Note, quantos animes e mangás de peso nasceram e morreram enquanto o Going Merry e o Thousand Sunny navegam? Até coisas mais recentes, como Attack on Titan, My Hero Academia e Demon Slayer, todos com mangá finalizado ou próximo do fim e as versões animadas seguindo o mesmo caminho.

Os Chapéus de Palha iniciais: Zoro, Usopp, Luffy, Sanji e Nami

Isso porque o mundo que Eiichiro Oda criou é maior que qualquer outro. As engrenagens desse universo pirata ainda estão sendo desenhadas pelo mangaka, mas estão sempre girando em harmonia. É uma grande história, com grandes personagens e que, mesmo depois de 1000 capítulos e episódios, mantém qualidade, ritmo e alma.

O que me fez apaixonar por One Piece 15 anos atrás foi o quão positiva e brilhante era essa aventura, mesmo envolta em críticas corajosas, violência e produzida em um estilo tão pitoresco. Isso se mantém até agora. Eiichiro Oda sabe como contar uma boa história, como fazer um grande clímax e, principalmente, como entregar sua mensagem. 

One Piece traz uma mensagem muito bonita e simples de entender, que figura no centro de cada grande saga; este é um conto sobre liberdade, companheirismo e ambição. Mas não um conceito único que o autor quer nos enfiar goela abaixo. São os vários significados de liberdade, de amizade e de desejo, que divergem de pessoa para pessoa.

A aventura do Luffy é única e dificilmente veremos algo parecido sendo produzido no futuro. A publicação e exibição de One Piece se espelham na vontade de ferro do protagonista de atingir o topo e se tornar o Rei dos Piratas; assim como ele, Oda-sensei teve sua própria jornada, em mais de duas décadas, para contar sua história até o fim.

Hoje, durante o Arco do País Wano, a tripulação cresceu em todos os sentidos

Não dá para criticar uma obra pela sua longevidade. É sim difícil de começar e acompanhar One Piece, mas o universo que Oda-sensei criou é magnífico e grandioso e isso o fez chegar aos famigerados 1000 episódios e capítulos. Essa história não seria tão longa se não equivalesse sua extensão em qualidade. O esforço de começar a caminhar com os Chapéus de Palha, no fim, se paga por 1000 vezes.

É claro, eu digo isso com um carinho profundo pela obra. São 15 anos acompanhando essa tripulação. Luffy, Zoro, Nami, Usopp, Sanji e todos os outros cresceram comigo, me ajudaram em momentos difíceis, me fizeram vibrar, chorar e passar raiva. 

Mas, hoje, eu não consigo ver One Piece como algo datado da minha adolescência ou como uma história que tenha envelhecido mal. Muito pelo contrário, a cada capítulo, a cada episódio, continuo ficando surpreso com os temas abordados, com o escopo que o roteiro vai tomando, com a evolução desses personagens e com a criatividade absoluta do autor e sua equipe.

Essa não é uma opinião exclusiva. A maioria das pessoas que acompanham o anime ou mangá vão te dizer a mesmíssima coisa; One Piece é uma das maiores obras da cultura pop moderna – mundial – e faz por merecer esse espaço.

E aí, o que mais você precisa para decidir de vez entrar nesse barco? Te aguardo na Grand Line!

Se você quer se aventurar pelos mares de One Piece, mas não sabe como, a Crunchyroll te dá 14 dias de assinatura grátis para você embarcar no Going Merry. É só clicar aqui e fazer seu cadastro! A CR é a única no Brasil com a aventura completa dos Chapéus de Palha disponível. Parte do anime também está disponível na Netflix, dublado e legendado.

O episódio 1000 de One Piece será exibido no dia 20 de novembro, às 23h, pela Crunchyroll, em transmissão simultânea com o Japão. Já o volume 100 do mangá ainda não chegou ao Brasil, mas o volume 99 já foi publicado pela Panini.

Não perca, ao longo da semana, conteúdos especiais da Legião em comemoração aos 1000 episódios de One Piece!

Veja também nossa lista sobre a obra:

Imagem de perfil
sobre o autor Márcio Jangarélli

Assessor, redator e jornalista. Madonna de Jakku.