Homem-Aranha: Por onde começar a ler? As HQs ideais para iniciantes

Capa da Publicação

Homem-Aranha: Por onde começar a ler? As HQs ideais para iniciantes

Por Gus Fiaux

Muito provavelmente o maior herói da Marvel Comics, tanto em popularidade quanto em história, o Homem-Aranha é uma figura excepcional, que sempre será marcado como um dos personagens mais queridos dentro da cultura pop. Agora, o personagem está voltando para seu nono longa-metragem nos cinemas – e terceiro filme solo dentro do Universo Cinematográfico da Marvel.

Porém, se você só o conhece através dos filmes e tem curiosidade de ler seus quadrinhos – e medo de entrar de cabeça com tantas opções no mercado, não tema! Para celebrar o lançamento de Sem Volta para Casa, listamos as melhores fases para começar a ler os quadrinhos do Homem-Aranha, justamente para que você possa se reunir com esse Amigão da Vizinhança e se envolver vertiginosamente em sua teia!

A fase clássica

Melhor ponto de partida: Amazing Fantasy Vol. 1 #15 (1962)

Se você é fã de quadrinhos clássicos e quer entrar de cabeça no universo do Homem-Aranha, a melhor de todas as opções é seguir os clássicos. O herói foi a maior criação de Stan Lee ao lado de Steve Ditko, conhecido por definir os rumos que a Marvel tomaria com relação à humanização de seus personagens e à criação de heróis que estavam muito mais próximos do público que os grandes ícones da DC Comics, por exemplo.

Essa é a fase perfeita para conhecer tudo o que há de mais icônico na história do herói – a ligação com Tio BenTia May, as suas origens e a descoberta de vários poderes, os primeiros vilões surgindo para fazer um inferno em sua vida, o Clarim Diário, as primeiras perdas significativas do herói e, é claro, “com grandes poderes vêm grandes responsabilidades”.

Aqui, temos alguns crossovers com outros heróis da Marvel, mas o foco de suas histórias sempre recai sobre ele e sobre o peso de suas ações na vida das milhares de pessoas que já salvou. É uma fase icônica, que pode até ser um pouco difícil de ler devido à escrita verborrágica de Lee, mas que compensa pelos dramas humanos e pela “novidade” e o rebuliço que o herói causou na cidade de Nova York e no universo.

O Homem-Aranha Superior

Melhor ponto de partida: Superior Spider-Man Vol. 1 #1 (2013)

Sim! Você não está lendo errado! Uma das melhores fases para começar a ler os quadrinhos do Herói Aracnídeo é justamente a fase onde ele esteve menos heroico. O Homem-Aranha Superior de Dan Slott Ryan Stegman surge em uma época onde os heróis estavam passando por uma grande reformulação com o advento da Nova Marvel – a fase editorial que surgiu em 2012 e trouxe novos “pontos de partida” para os fãs mais novos.

Aqui, vemos Otto Octavius – o Dr. Octopus – assumindo o corpo de Peter Parker e vivendo sua vida como o novo e “melhorado” Homem-Aranha. Mas por que essa fase é tão boa para se ler? Aqui, podemos compreender um pouco do peso do legado do herói e a forma como a moralidade de Peter acaba influenciando Otto a se tornar um herói, ainda que seus métodos não sejam lá muito ortodoxos.

É também a fase perfeita para quem gosta de histórias um pouco mais “sombrias”, já que é o ponto mais assustador de toda a carreira do Aranha – mas ainda assim, Peter Parker sempre está presente como um “anjo no ombro” do seu antigo inimigo. E se você gostar dessa fase, a seguinte é ainda melhor – que acontece quando Peter retoma o controle de seu próprio corpo e começa a ter histórias amadurecidas e adultas.

Homem-Aranha Ultimate

Melhor ponto de partida: Ultimate Spider-Man Vol. 1 #1 (2000)

No começo dos anos 2000, a Marvel percebeu que era necessário criar um novo selo de histórias onde os seus heróis mais clássicos pudessem ganhar novas versões, para se adequar a uma nova geração de fãs que estava encantada com os filmes que eram lançados na época. Foi assim que surgiu Ultimate Homem-Aranha, o quadrinho que deu o pontapé inicial em todo o Universo Ultimate.

Aqui, você verá um Peter Parker muito mais “pé-no-chão” e atualizado para o novo século, com vilões peculiares e um elenco coadjuvante que saiu diretamente das HQs clássicas, mas todos repaginados. E se você é fã dos filmes do herói, certamente verá muitos elementos que influenciaram tanto o Homem-Aranha de Andrew Garfield quanto o de Tom Holland.

O melhor de tudo é que, ao menos no início, o Universo Ultimate tinha a proposta de trazer consequências reais em suas histórias, o que faz com que a história do Peter Parker desse universo tenha um início, meio e fim. E por falar no fim, a Morte de Peter Parker está entre os arcos mais bonitos, honrosos e inteligentes dos quadrinhos da Marvel – sem contar que deu início ao legado icônico de outro herói…

Miles Morales

Melhor ponto de partida: Ultimate Comics Spider-Man Vol. 2 #1 (2014)

Surgido ainda no Universo UltimateMiles Morales logo veio para conquistar os fãs. Criado como o substituto de Peter Parker, ele tem uma ligação direta com a morte do herói e começou a desenvolver seus próprios poderes, enquanto aprendeu que qualquer um poderia ser o Homem-Aranha, desde que mantivesse a luta de Peter contra o mal e, acima de tudo, fosse uma inspiração para milhares de pessoas.

E ainda que tenha sido visto com maus olhos pelos fãs da época, Miles logo se tornou uma das figuras mais incríveis e espetaculares já criadas pela Marvel – tanto é que ganhou sua própria adaptação para os cinemas em Homem-Aranha no Aranhaverso. Ele se tornou não apenas um herói marcante, mas um símbolo para milhões de fãs, além de ter dado o pontapé para a criação do Aranhaverso com a criação de dezenas de versões do herói.

Essa fase inicial durou pouco tempo, mas é bem interessante para conhecermos um herói diferente e original, que ainda assim segue à risca o legado de Peter Parker. Criado por Brian Michael Bendis (que também havia criado o Ultimate “original”) e Sara Pichelli, esse novo herói trouxe muitas coisas positivas para o Universo Marvel e vai conquistar os fãs que querem ter uma nova perspectiva sobre um dos heróis mais clássicos de todos os tempos.

Miles migra para a Terra-616

Melhor ponto de partida: Spider-Man Vol. 2 #1 (2016)

E com tantos elementos interessantes, não demorou muito até Miles Morales ser cooptado para viver no universo principal da Marvel Comics. Ele já havia feito alguns crossovers com o Peter Parker da Terra-616 anteriormente, mas após as Guerras Secretas de 2015, seu destino é selado e ele se muda de mala e cuia – junto com vários dos seus personagens coadjuvantes – para a continuidade central da editora.

O mais interessante dessa fase é ver um universo onde, agora, não há apenas um Homem-Aranha, mas sim dois. Não é apenas uma “passagem de manto”, mas uma ótima forma de compreender como o legado do herói se expandiu a ponto de mostrar que existem outros heróis com esse título e que todos têm suas qualidades e particularidades que os diferenciam entre si.

Além disso, é uma fase interessante para quem gosta de ver o herói participando de equipes e interagindo com mais aliados em suas histórias – nesse sentido, é interessante dar uma olhada em Novíssimos Vingadores e, depois, a revista dos Campeões, que traz Miles em um papel de destaque e mostra como o personagem foi bem incorporado e aceito ao lado dos maiores nomes da Marvel Comics. 

O filme mais recente do herói, Homem-Aranha: Sem Volta para Casa, está em cartaz nos cinemas.

Abaixo, veja também:

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux