Capa da Publicação

Sandman: Como ler as HQs? Um guia de leitura da obra de Neil Gaiman

Por Junno Sena

Lançada em 1988, a obra Sandman de Neil Gaiman reuniu todos tipos de fãs, e promete conquistar ainda mais com a chegada da adaptação feita pela Netflix. Entre histórias paralelas e principais, o reino do Sonhar pode parecer confuso para os iniciantes dos quadrinhos, mas seguir a história dos Sete Perpétuos é mais simples do que parece. Com um total de 13 arcos e 75 revistas, a trama principal de Sonho e as consequências de seu período enclausurado é o ponto de partida, mas você sabe como seguir daí?

Com o objetivo de deixá-lo preparado para ir atrás dos quadrinhos de Sandman após terminar de maratonar a série da Netflix, separamos esse Guia de Leitura, demarcando os principais volumes, leituras casuais e o universo expandido do personagem.

Aqui, levamos em consideração os lançamentos nacionais da Panini, porém, incluímos algumas obras que ainda não chegaram ao Brasil no fim da lista. Pegue papel e caneta e não caia no sono! A viagem vai ser longa.

A série original

Imagem da primeira capa de Sandman.

Originalmente, Sandman foi criado em 1939, servindo como uma espécie de Batman para a DC Comics. Anos mais tarde, nas mãos de Gaiman e da Vertigo, a história tomaria um caminho diferente. Lançado entre 1989 e 1996, o arco principal do personagem contém 75 edições, cada uma com cerca de 24 páginas.

Nesse universo, aspectos comuns se tornam manifestações antropomórficas. Chamadas de Sete Perpétuos, eles são Destino, Morte, Sonho, Destruição, Desejo e Delírio (Destiny, Death, Dream, Despair, Delirium e Destruction no original).

Partindo do ponto de vista de Sonho, seguimos a entidade ser presa por um grupo de humanos que almejavam prender sua irmã, a Morte. A captura da representação antropomórfica do sonho causa uma ruptura na sociedade humana, criando doenças do sono e até culminando na Segunda Guerra Mundial.

No Brasil, Sandman recebeu diversas publicações, desde pela Editora Globo até a Conrad e a Panini Comics. De acordo com Gaiman, as primeiras edições da Globo tinham uma qualidade superior as das americanas, fazendo do Brasil o primeiro país a descobrir o universo de Sandman.

“O primeiro país no mundo a descobrir Sandman foi o Brasil. Os quadrinhos publicados lá traduzidos (e a honestidade me obriga a admitir) em edições melhores do que as dos quadrinhos americanos”, contou o autor.

Infelizmente, as edições da Editora Globo não são fáceis de serem adquiridas hoje em dia. O método mais simples de consumir os quadrinhos de maneira oficial é através da Coleção Especial de 30 Anos publicada pela Panini. Porém, para os que preferem edições capa dura, os quatro volumes de Absolute Sandman: Edição Definitiva, também da Panini, é a pedida certa.

Os Arcos de Sandman

Os Sete Perpétuos.

A história de Sandman é dividida em arcos, mas diferente do que vemos em quadrinhos como X-Men e Liga da Justiça, a linha narrativa é mais solta e menos dependente. Em cada arco, vamos seguindo personagens distintos e, aos poucos, desvendamos o quebra-cabeça que é Sonho, o Sonhar e os demais Perpétuos.

Por isso, alguns arcos possuem apenas uma edição, outras vezes três ou até mais de dez. Os nomes de cada arco e as edições correspondentes são:

  • Sandman: Prelúdios e noturnos (De 01 a 08)
  • Sandman: A casa de bonecas (De 9 a 16)
  • Sandman: Terra dos Sonhos (De 17 a 20)
  • Sandman: Estação das brumas (De 21 a 28)
  • Sandman: Espelhos distantes (De 29 a 31 e 50)
  • Sandman: Um jogo de Você (De 32 a 37)
  • Sandman: Convergência (De 38 a 40)
  • Sandman: Vidas breves (De 41 a 49)
  • Sandman: Fim dos mundos (De 51 a 56)
  • Sandman: Entes queridos (De 57 a 69)
  • Sandman: Despertar (De 70 a 73)
  • Sandman: Exílio (74)
  • Sandman: A tempestade (75)

Edição Definitiva

Uma das cenas icônicas de Sandman é o encontro de Sonho e Morte na praça.

As edições de luxo, também chamadas de Absolute Sandman,  ainda são o modo mais direto para se consumir todo o material sem se perder em números e fascículos. Compilada em cinco volumes, além de Morte: Edição Definitiva, a história principal de Sonho está presente apenas nos quatro primeiros volumes.

Neles, podem ser encontrados os arcos publicados entre 1989 e 1996 e materiais adicionais, enquanto o quinto volume reúne contos e quadrinhos especiais publicados após o fim de Sandman. Veja a lista abaixo:

  • Sandman – Edição Definitiva Vol. 1 (De 1 a 20)
  • Sandman – Edição Definitiva Vol. 2 (De 21 a 39, além de uma história curta publicada em Vertigo Winter’s Edge, Um Conto do Inverno em tradução)
  • Sandman – Edição Definitiva Vol. 3 (De 40 a 56, além de edições de Sandman Especial 1: A Canção de Orpheus)
  • Sandman – Edição Definitiva Vol. 4 (De 57 a 75, além do conto O Castelo)
  • Sandman – Edição Definitiva Vol. 5 (Contém histórias de cada um dos Perpétuos, além dos contos Caçadores de Sonhos e Teatro da Meia-Noite)

Para iniciar no mundo de Sandman sem grandes pretensões, os contos são a melhor porta de entrada. Caçadores de Sonhos, por exemplo, traz uma aventura ilustrada e em prosa, mostrando como Sonho interage com outras culturas. Ilustrada por Yoshitaka Amano, a história adapta uma lenda japonesa, e conta sobre uma raposa e seu amor por um humilde monge.

Teatro da Meia-Noite reúne as duas versões de Sandman, o personagem de Gaiman e o herói criado para a DC Comics.

Coleção Especial de 30 Anos

A edição especial de 30 anos reuniu novas capas comemorativas

Nas Edições Especiais de 30 Anos, acontece algo similar à organização de Absolute Sandman. As dez primeiras edições reúnem o conteúdo dos quatro volumes de luxo; já as quatro edições restantes se tratam do material extra da série.

A Panini tem planos de fazer publicações similares para os quadrinhos especiais da Morte, mas este é um tópico que será abordado mais a frente. Cada um desses volumes compila um arco da história de Sandman, sendo o lugar certo para quem deseja começar a ler, mas não tem certeza se está investido o suficiente para acompanhar toda a saga.

Sandman: Prelúdio

Capa da Edição de Luxo de Sandman: Prelúdio.

Em 2013, Gaiman retornou ao Sonhar com The Sandman: Overture, que chegou ao Brasil como Sandman: Prelúdio. A série concluída em seis edições é, como diz seu título, um prelúdio. Através dele, conhecemos o Sonho e o Sonhar anos antes do Perpétuo ser preso.

Por se tratar de uma aventura que se passa “antes de tudo”, a história não é obrigatória, mas vale a título de curiosidade. O que se destaca é a possibilidade de conhecermos um reino antes de ser destruído pela falta de Sonho.

O universo expandido

Arte de capa de O Universo de Sandman: O Sonhar Vol. 1.

O maior problema no mundo de Sandman é seu universo expandido. Com o decorrer da história original de Gaiman, o autor incluiu diversos personagens cativantes e misteriosos. Um dos principais, por exemplo, foi Lúcifer. A figura do anjo caído ganhou uma abordagem diferente, fazendo com que a editora, posteriormente, investisse em uma série solo do personagem.

Outras obras de Gaiman, como Os Livros da Magia, publicado em 1990, também foram se unindo ao universo do personagem. Com a retomada de Sandman em 2013 com Sandman: Prelúdio e a aproximação da Vertigo com a DC Comics, em 2018, a linha O Universo de Sandman foi criada.

Ela celebra o aniversário de 30 anos da série, mas também o aniversário de 25 anos desde a criação da Vertigo. Esse universo expandido foi concebido por Gaiman, mas é gerenciado por uma equipe criativa diferente. Para adentrar este mundo, é preciso ter um conhecimento prévio dos personagens títulos, mas também da trama principal do quadrinho de 1988.

Desta forma, não existe uma ordem certa além da numeração interna. Alguns dos títulos já publicados no Brasil são:

  • O Universo de Sandman: Constantine
  • O Universo de Sandman: Lúcifer
  • O Universo de Sandman: Os Livros da Magia
  • O Universo de Sandman: A Casa dos Sussurros
  • O Universo de Sandman: O Sonhar
  • O Sonhar: Horas de Vigília

Leituras Casuais

Sandman: Os Caçadores de Sonhos traz uma arte impecável com uma história tocante.

Material de leitura é o que não falta para Sandman. Gaiman criou um universo rico, com a possibilidade de diferentes autores contribuírem para o mesmo. Além disso, o tom exploratório que os Sete Perpétuos e o Sonhar possuem dá margem para o artista brincar com cores e formas.

Dito isso, existem diversos quadrinhos que, como Sandman: Prelúdio, não são imprescindíveis para compreender o todo, mas valem ― e muito ― pela qualidade narrativa e visual. Alguns deles são:

  • Sandman: Noites sem Fim
  • Sandman: Os Caçadores de Sonhos
  • Série Sandman Apresenta (Incluindo Hellblazer, edições de Lúcifer, Os Pequenos Perpétuos, entre outras)
  • Sandman Teatro do Mistério
  • Morte: Edição Definitiva
  • Lúcifer

Morte: Edição Definitiva é o maior destaque dessa lista, e vale tanto para um público que conhece pouco do mundo de Sandman quanto para fãs antigos. Esta versão reúne duas minisséries e outras HQs, entre elas uma educativa sobre sexo seguro.

Outras edições adjacentes de Sandman não chegaram ao Brasil, como The Sandman Universe: Nightmare Country (O Universo de Sandman: Terra dos Pesadelos em tradução literal), God Save the Queen (Deus Salve a Rainha em tradução literal) e The Girl Who Would Be Death (A Garota que Seria a Morte). É possível que, futuramente, essas e outras edições “perdidas” sejam publicadas no Brasil.

A Panini vem fazendo um trabalho de “popularizar” Sandman nos últimos anos. Com a Coleção de 30 Anos e a série da Netflix, a editora tornou o título um lançamento constante. Desta forma, entre você começar a ler Sandman e a possibilidade de conseguir finalizar, a editora, provavelmente, já vai ter materiais novos.

Aproveite e continue lendo:

Imagem de perfil
Junno Sena

Pós graduando em Antropologia com o raio problematizador ligado no 120. Assiste filme trash para relaxar e dorme cantarolando a trilha sonora de A Hora do Pesadelo. Blaxploitation na veia e cinema coreano no coração. Atualmente mora em Petrópolis, RJ. Ele | Elu