Capa da Publicação

Jujutsu Kaisen 0: Principais diferenças entre o filme e o mangá

Por Flávia Pedro

Atenção: Alerta de Spoilers!

Como todo fã de animes sabe, na maioria dos casos eles são adaptações de obras vindas dos mangás e consequentemente sofrem uma ou outra alteração referente a obra original, pois a dinâmica de animação é diferente. Claro, Jujutsu Kaisen não seria exceção, mesmo em relação a seu novo filme. Aqui, explicamos melhor o que mudou em relação ao mangá!

A maioria das mudanças que o filme Jujutsu Kaisen 0 apresentou em relação ao mangá foi a inserção de diversas cenas extras que não só ajudaram a compor a história original, mas também nos aproximaram mais de alguns personagens.

Yuta Okkotsu.

A primeira delas acontece naturalmente já nos primeiros minutos de filme, enquanto os créditos iniciais ainda aparecem em tela. Nesta cena extra, vemos a preparação de Yuta Okkotsu – o protagonista do filme – para seu primeiro dia de aula. Ela foi encaixada entre o fim do diálogo dele com o Gojo na sala especial de execução e a chegada dele na sala de aula para conhecer Maki, Inumaki e Panda.

Acompanhamos o garoto no momento em que ele acorda, se arruma, se troca e caminha até o local que encontrará seu professor. Yuta faz tudo isso de forma melancólica, e essa cena foi fundamental para que o público entendesse o quão deprimido e sem perspectiva de vida o jovem estava após os acontecimentos envolvendo seus antigos “colegas” de turma e Rika, a maldição de Nível Especial que o acompanha.

Outra cena extra também envolvendo o Yuta mostra um pouco mais da amizade entre ele e Rika, ainda em sua forma humana. Para além da cena onde ela entrega o anel para ele como presente, nós podemos ver como ambos se conhecem – aparentemente em um hospital – e como eles eram felizes brincando juntos.

Rika Orimoto.

Esse foi outro momento importante para aproximar o público desses dois e nos fazer criar uma identificação com o que viria a ser, querendo ou não, a dupla principal do longa.

O filme também aproveitou bem mais o cenário Shinjuku, em Tóquio, durante o Cortejo dos Youkais. Este foi o lugar onde Gojo enfrentou Miguel, um outro feiticeiro de Nível Especial que era aliado de Geto, porém os dois não eram os únicos no local. Mesmo que não tenha sido mostrado claramente no mangá, é meio óbvio que após uma ameaça de Geto e uma declaração de ataque todos os Feiticeiros Jujutsu de Tóquio seriam mobilizados.

O Diretor Masamichi Yaga aparece no mangá convocando Feiticeiros de Grau 2 em diante, ex-alunos formados, membros dos  Clãs mais poderosos, as associações Jujutsu, entre outros. Ele convocou todos para o Cortejo e ataque de Geto, porém é no filme que temos uma palhinha desses poderosos feiticeiros em combate.

Mei Mei.

Personagens já conhecidos por nós brilharam muito em cenas individuais de ação onde eles enfrentavam maldições. Kento Nanami e Mei Mei são um ótimo exemplo disso, inclusive foi a primeira vez que vimos uma luta animada da Feiticeira Mei Mei e diga-se de passagem: que mulher poderosa! Foi uma ótima palhinha para a adaptação de sua luta no Arco de Shibuya, que virá em breve.

Nanami, como dito, também teve um momento só seu onde sozinho derrotou uma maldição gigante em poucos segundos. Fora isso, outros feiticeiros não tão relevantes até então, mas extremamente poderosos, também mostraram todo o seu potencial em combate, provando o porquê de estarem na linha de frente contra as maldições de nível alto.

Luta de Gojo vs Miguel.

Também tivemos uma luta empolgante entre Satoru Gojo e Miguel, muito bem animada e dirigida, que sanou a dúvida dos fãs que leram o mangá sobre “como essa luta teria sido?“, já que a obra original pula essa parte e Gojo só volta a aparecer quando encontra Geto quase morto após o desfecho de sua luta contra o Yuta.

Por fim, o que provavelmente mais chamou a atenção dos fãs: a cena pós-créditos! Nela, Miguel aparece após os acontecimentos do Cortejo dos Youkais ao lado de Yuta em uma espécie de restaurante no Quênia e ambos conversam tranquilamente, quase como amigos. Mas Gojo aparece do nada para estragar o clima entre os dois e a cena acaba.

Claro que tem um motivo para essa cena, ela não foi feita aleatoriamente e nós explicamos tudo sobre ela em um artigo que você pode ler clicando aqui.

Muitos fãs já especulavam sobre coisas novas dentro da adaptação, já que o Volume 0 do mangá é relativamente curto e na prática, faltaria conteúdo para completar o tempo necessário de um longa. Essa foi uma saída bastante inteligente do Estúdio MAPPA, onde de uma só vez conseguiu entregar mais tempo de filme e dar maior atenção para diversos personagens que o público já se familiariza.

Mas e você, gostou dessas adaptações ou esperava alguma outra do filme? Divide com a gente como foi a sua experiência assistindo!

Confira também:

Imagem de perfil
sobre o autor Flávia Pedro

Historiadora formada pela UFF e apaixonada por cultura japonesa, animes, mangás, filmes... Criadora de conteúdo no instagram Anime Dicria, viciada em café e leitora de fanfics ruins nas horas vagas. Instagram: fllavia_pedro