Capa da Publicação

Documentos da briga judicial entre Johnny Deep e Amber Heard revelam informações pesadas rejeitadas pelo tribunal

Por Arthur Eloi

O caso entre Johnny Depp e Amber Heard pode ter chegado ao fim nos tribunais, mas o drama continua ganhando novas repercussões na internet. Dessa vez, um grupo de fãs do ator acabou, acidentalmente, tocando em novos podres de Depp que haviam sido omitidos do julgamento.

Tudo começou quando a advogada e Youtuber Andrea Burkhart, que cobriu todo o julgamento em seu canal, fez uma campanha de financiamento coletivo para pagar as taxas judiciais para ter acesso à documentos privados do caso. Os fãs de Johnny Depp, na esperança de encontrar novas acusações contra Heard, ajudaram e arrecadaram US$3,3 mil (cerca de R$17 mil). Os documentos, porém, pintam uma ofensiva verdadeiramente agressiva da equipe judicial do ator.

Os arquivos foram disponibilizados no site de Burkhart, com suas mais de seis mil páginas extensamente analisadas por veículos como Daily Beast. Dentro dos documentos, é possível encontrar “evidências” que a equipe legal de Depp tentou usar no caso, mas que acabaram recusadas pela juíza do caso.

A primeira delas é o fato de que foram submetidas fotos íntimas de Heard, junto com todo um histórico de ex-namorados dela e de sua irmã, Whitney Heard, além de detalhes de quando Amber Heard trabalhou como dançarina em uma balada erótica, na tentativa de retratá-la como uma garota de programa. As evidências foram recusadas e arquivadas sob a seção “assuntos pessoais irrelevantes”.

Novos documentos exibem uma série de evidências recusadas pela juíza, ou então removidas a pedido da equipe legal de Depp

Já em outra das táticas questionáveis, a equipe legal de Depp puxou a habilitação de motorista de Heard e seu histórico de multas. O motivo foi tentar sugerir conexão entre um antigo acidente de carro que tirou a vida de um amigo próximo de Amber Heard.

Segundo os documentos, a promotoria de Depp interrogou a irmã da atriz, questionando se Heard tinha algum relacionamento romântico com a vítima em questão, e se era ela que estava ao volante no dia de sua morte. Whitney Heard desmentiu tudo, e também precisou esclarecer que não havia sofrido nenhum tipo de agressão física por parte da irmã, algo que também foi insinuado pela equipe legal do ator.

Há ainda uma série de evidências apresentadas pela equipe de Heard que foram excluídas do julgamento, a pedido da equipe de Depp. De inicio, os advogados de Heard tentaram incluir os medicamentos para disfunção erétil de Depp, argumentando que isso ajudava a corroborar o abuso sexual sofrido pela atriz com uma garrafa de bebida alcoólica.

Já as outras informações que foram arquivadas incluem trocas de mensagens entre o ator e Marilyn Manson, para evitar “culpa por associação”; relatórios que indicam manipulação digital nas fotos que supostamente mostram agressões que ele sofreu nas mãos da atriz; pedidos para ocultar um depoimento em que a equipe assume que Depp não sofre de nenhum tipo de consequência emocional ou física por conta do relacionamento com Heard ou pelo caso; e uma série de depoimentos por profissionais de saúde, como psiquiatras e terapeutas, que comprovam sinais de estresse pós-traumático em decorrência de violência doméstica que Heard sofreu.

À pedido da equipe de Johnny Depp, inúmeras evidências foram excluídas do julgamento – como diversos relatórios médicos que apontam que Amber Heard sofre de estresse pós-traumático causado por violência doméstica

Do lado de Amber Head, o mais questionável é uma lista de atores comparáveis ao status dela, que foi utilizada (e recusada) para tentar comprovar que todo o auê do caso atrapalhou sua carreira. A lista inclui nomes como Jason Momoa, Chris Pine, Gal Gadot, Zendaya e Ana de Armas – apesar de todos esses já serem estrelas maiores que Amber Heard muito antes do julgamento começar.

No fim das contas, os novos documentos podem acabar criando pressão por parte do público para o julgamento ser retomado e o veredito anulado, algo que Amber Heard e sua equipe já entraram com recurso para pedir – e foram negados pela juíza do caso.

Sendo assim, o caso que parecia encerrado, quando foi ordenado que a atriz pagasse cerca de US$10 milhões para o ex-marido, ainda pode se arrastar por mais um tempo.

Imagem de perfil
Arthur Eloi

Repórter entusiasta de filmes ruins, jogos de tiro e de horror em todas as suas formas. Dá notas duvidosas para obras questionáveis • @ArthurEloi117