Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba 2×08: Tengen Uzui, o Pilar do Som

Capa da Publicação

Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba 2×08: Tengen Uzui, o Pilar do Som

Por Flávia Pedro

Atenção: Alerta de Spoilers!

Após 7 episódios de espera, finalmente chegamos a verdadeira Segunda Temporada de Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba. Contabilizado como o novo “episódio 1” pela Crunchyroll, “Tengen Uzui, o Pilar do Som” foi um episódio de transição entre o Mugen Train Arc e o arco que nos foi apresentado. Para todos os efeitos, pode ser considerado como um episódio duplo, principalmente pelo seu tempo de duração (46 minutos e 51 segundos).

Repleto de uma carga dramática, não tivemos muitos momentos de ação (na verdade apenas um, que falarei mais adiante), mas tivemos algumas pitadas de humor que garantiu um respiro emocional. Senti neste episódio uma função de nos dar tempo para digerir os acontecimentos anteriores, passar pelo luto junto com a família Rengoku e, principalmente, estabelecer novas e preciosas informações que serão de grande importância para o futuro da obra.

A animação seguiu o padrão normal, sem muita extravagância devido a falta de lutas. Os enquadramentos, cortes, câmera e trilha sonora continuam agradando e muito, mesmo sem sair do que a série já estabeleceu quando precisa optar por um ritmo mais calmo. A nova aberturaque neste episódio apareceu no final – está espetacular! Com vários cenários novos referentes ao Distrito do Entretenimento, aparição de personagens inéditos e uma nova inimiga, tudo com uma qualidade equiparável a dos filmes.

Mas sem mais delongas, vamos ao episódio!

Temos por quase dois minutos iniciais a repetição dos momentos finais entre a luta de Rengoku e Akaza, para fazer uma breve conexão entre o que aconteceu com o que está por vir. Vemos os meninos sendo socorridos, o corvo levando a informação da morte do Rengoku para seu irmão mais novo, que sofre sozinho e para Kagaya Ubuyashiki, que logo demonstra um breve interesse por Tanjiro.

Akaza destruindo a espada de Tanjiro

O demônio Akaza aparece com o orgulho ferido por ter sido atingido pela espada de Tanjiro enquanto fugia do sol sendo chamado de covarde. Sua missão aparentemente era matar o Hashira e os 3 caçadores que estavam com ele, mas não sai como esperado e os 3 meninos escapam com vida, isso o deixa irritado.

Após esta breve recaptulação e associação com o episódio atual, temos os créditos com cenários muito bem construídos para entendermos melhor a geografia do univeso de Demon Slayer e então acomanhamos um garotinho misterioso indo sozinho durante a noite para uma biblioteca e retornando para a sua casa, onde descobrimos através de uma conversa entre seus pais e amigos que ele é uma criança recém adotada.

Muzan em seu novo corpo

O plot twist vem quando Akaza aparece no quarto da criança e ela se revela sendo ninguém menos que Muzan, agora em outro corpo e em outra família. Descobrimos também que a verdadeira missão de Akaza, além de exterminar os caçadores, era descobrir onde encontrar uma flor chamada Lírio Aranha Azul. O lírio aranha é uma flor muito conhecida em animes que aparece frequentemente em momentos de luto, tristeza e reflexão, mas sempre na cor vermelha, o azul daqui é a diferença.

A flor Lírio Aranha Azul

É necessário prestar bastante atenção nesta flor, uma vez que ela parece ser de extrema importância para os planos futuros de Muzan. Fora isso, temos o mestre completamente insatisfeito com Akaza e o ferindo, afinal a Lua Superior não cumpriu direito nenhuma de suas missões dadas a ele e vemos o oni novamente com seu orgulho ferido, agora por Muzan.

Voltando para Tanjiro, Zenitsu e Inosuke, os 3 estão se recuperando dos ferimentos na Mansão das Borboletas, mas Tanjiro fugiu de seu repouso para levar as últimas palavras de Rengoku à sua família. Chegando lá ele se depara com o irmão mais novo e gentil do Hashira das Chamas, que o trata de forma carinhosa e preocupada. Em contrapartida, aparece o pai de Kyojuro, um homem amargo, grosseiro e insensível com seus filhos.

Porém esse encotro entre o garoto e o pai de seu amigo é de extrema importância pois, por conta dos brincos de Tanjiro, o pai de Rengoku o reconhece com um usuário da Respiração do sol – que tem ligação direta com a Hinokami Kagura – e descobrimos finalmente um pouco mais sobre essa respiração e dança misteriosas. O pai de Rengoku diz à Tanjiro:

“A respiração inicial, a primeira de todas as respirações. A técnca mais poderosa de todas! E todas as outras respirações são derivadas da Respiração do Sol! Todas as outras respirações não passam de versões da Respiração do Sol. As outras respirações são cópias baratas e inferiores à Respiração do Sol: chamas, água, vento… Todas elas.”

É um diálogo importante, apesar de bem hostil. Não só pelas novas informações sobre o pai de Tanjiro, mas porque vemos nitidamente o lado humano do protagonista, que se culpa pela morte do amigo, que se culpa por não ser tão forte e que mesmo tendo um grande potêncial, precisa alcançar suas habilidades com muito esforço. Nada do que Tanjiro conquistou como caçador foi por puro protagonismo, o garoto tem uma caminhada bem difícil e humana.

Caderno com anotações dos Hashiras das Chamas

Senjuro entrega a Tanjiro um caderno com diversas anotações de outros Hashiras das Chamas para que ele conseguisse mais inforações sobre a tal respiração do Sol, ele só não contava que seu pai havia rasgado as páginas. A cena final da família Rengoku nesse episódio nos mostrou o pai deKyojuro, também um ex-Hashira, bebendo para esconder seus sentimentos mas chorando muito pela perda de seu filho que, como último pedido, pediu para que o pai cuidadesse de sua própria saúde.

Pai de Rengoku chorando pela morte de seu filho mais velho

A partir daí voltamos para a Mansão das Borboletas e finalmente temos um clima mais leve, com os personagens sendo frequentemente desenhados no estilo chibi e com o humor retornando. Inosuke, Zenitsu e Tanjiro então se recuperam e voltam a treinar, nesse meio tempo 4 meses se passaram e eles saíram também em missões, tanto juntos quanto individualmente.

O único momento de ação desse episódio é justamente uma das missões em que Tanjiro foi designado e vence sem maiores problemas um oni com a ajuda de Nezuko. É importante lembrar que a garota-oni vai começar a ter papéis importantes nessas batalhas auxiliando seu irmão e seus amigos.

Tanjiro derrotando um oni

É voltando dessa batalha que finalmente o tão esperado Hashira do Som aparece: Tengen Uzui. Sua primeira aparição não é lá muito amigável, afinal ele está tentando sequestrar duas meninas da Mansão das Borboletas porque precisa de mulheres para uma missão e como é um superior, ele simplesmente tomou posse das meninas sem ao menos perguntar se elas queriam ajudar.

Inosuke, Tanjiro e Zenitsu tentando impedir Uzui de sequestrar Aoi

Tanjiro chega para tentar impedir o sequestro e é acompanhado pela chegada de Inosuke e Zenitsu, que se oferecem para a missão no lugar das meninas. Uzui já aparece ao mesmo tempo que metido e seguro de si, um pouco carismático apesar da péssima primeira impressão. Vemos os meninos partindo para a missão referente ao Distrito do Entretenimento, que promete empolgar muito os fãs que estão acompanhando a adaptação.

Pós-crédito

Tengen Uzui nas fofocas Taisho

Por fim, as Fofocas Taisho voltaram no pós-credito e conhecemos um pouco mais do Uzui, que fala um pouco sobre sua criação shinobi e vemos sua interação inicial com os meninos ao perguntar o que os meninos eram capazes de fazer contra onis, pois os demônios do Distrito de Entretenimento são muito mais poderosos.

Chegamos ao fim do primeiro episódio inédito dessa segunda temporada que você pode acompanhar pela Crunchyroll ou pela Funimation. Mas o que você achou desse episódio? Correspondeu as expectativas por ter esperado tanto? Divide sua opinião com a gente nos comentários!

Confira também:

Imagem de perfil
sobre o autor Flávia Pedro

Historiadora formada pela UFF e apaixonada por cultura japonesa, animes, mangás, filmes... Criadora de conteúdo no instagram Anime Dicria, viciada em café e leitora de fanfics ruins nas horas vagas. Instagram: fllavia_pedro