Qual a ordem de leitura dos livros de The Witcher?

Capa da Publicação

Qual a ordem de leitura dos livros de The Witcher?

Por Gabriel Mattos

A primeira temporada de The Witcher foi um verdadeiro sucesso na Netflix, mas a ordem dos acontecimentos acabou confundindo um pouco o público. Muita gente preferiu mergulhar de vez nos livros escritos por Andrzej Sapkowski, que deram origem à história. Mas entre contos e romances, bate aquela dúvida: qual a ordem de leitura dos livros de The Witcher?

Para te ajudar a navegar nesse universo cheio de complexidades, preparamos um guia explicando os dois jeitos mais populares de curtir os livros: seguindo a ordem de lançamento das histórias ou seguindo os acontecimentos pela ordem cronológica.

Ambos tem suas vantagens e suas armadilhas, então vamos explicar direitinho qual é a importância de cada publicação sem entrar em grandes spoilers.

Como ler na ordem de lançamento dos livros?

Primeiramente vamos explicar qual é ordem em que os livros foram lançados, pois essa costuma ser a ordem idealizada pelo autor para que o público melhor entenda os acontecimentos. Essa ordem constrói alguns mistérios de uma maneira mais intrigante, deixando pistas e até propositalmente confundindo o leitor em alguns momentos

Os dois primeiros livros lançados sobre as aventuras de Geralt de Rívia exploram mais o seu lado bruxo. Eles não estão preocupados em contar uma única história como em outras sagas, mas sim em narrar pequenos contratos que moldaram o caráter do bruxo ao longo dos anos. Tratam-se de duas coletâneas de contos menores, consideravelmente independentes entre si.

Esse formato mais livre de uma narrativa intrínseca se provou ideal para introduzir conceitos importantes para a série, como a relação entre os bruxos, criaturas e a sociedade. Também acaba contextualizando as disputas políticas que irão transpassar a história principal no futuro.

A Espada do Destino (1992)

A Espada do Destino é o primeiro a ser lançado de fato na Polônia, mas reúne eventos que se passam depois de O Último Desejo. Logo, o mais recomendado é que este seja o segundo livro em sua leitura, mesmo que você deseje seguir a ordem em que foram originalmente publicados.

Essa coletânea reúne os contos: O limite do possível, Um fragmento de gelo, O fogo eterno, Um pequeno sacrifício, A espada do destino e Algo mais. É a nossa introdução à pequena Ciri, logo pode esperar acontecimentos ligeiramente diferentes do que visto na série de TV. O livro prepara as peças finais para o início dos romances escritos por Andrzej — a saga do bruxo Geralt de Rívia.

O Último Desejo (1993)

A coletânea que deve iniciar a sua maratona literária é O Último Desejo. Mesmo que não tenha sido o primeiro livro lançado na Polônia, em 1993, foi o primeiro a chegar ao resto do mundo. Uma decisão muito acertada das editoras, pois é aqui que teremos as histórias mais introdutórias para entender quem é Geralt de Rívia.

Ela reúne contos fora da sua cronologia, dando preferência a uma ordem cuidadosamente pensada para tornar mais claro os eventos que explicam o que motiva Geralt a agir de forma tão ponderada. Neste livro temos os contos O bruxo, Um grão de veracidade, O mal menor, Uma questão de preço, Os confins do mundo e O último desejo. Há ainda pequenos fragmentos enigmáticos de narrativa entre os contos que juntos formam uma história extra: A voz da razão.

A primeira temporada da série da Netflix se inspira fortemente nessas histórias, especialmente pois é aqui que somos introduzidos a Yeneffer e Jaskier. Entretanto, temos um foco exclusivo no Geralt nesses contos, logo a série precisou adiantar alguns elementos de A Espada do Destino.

O Sangue dos Elfos (1994)

Começamos a seguir mais de perto a trama política e pessoal de Ciri no terceiro livro da franquia, O Sangue dos Elfos. Essa história terá continuidade direta nos próximos livros e inclusive funciona muito bem como ponto de partida para aqueles que não curtem muito ler contos.

A história começa com a tomada de Cintra por Nilfgaard. Cirilla, a única herdeira do trono, consegue fugir e passa a treinar com Geralt em Kaer Morhen, na tradição dos bruxos do Lobo. Vemos a criação da garota entre outros bruxos importantes para a formação de Geralt, como Vesemir, Coën, Eskel e Lambert. Essa será a principal inspiração para a segunda temporada da série.

Tempo do Desprezo (1995)

Logo em seguida, o quarto livro se aprofunda na relação de Ciri e Yeneffer. Tempo do Desprezo acompanha a tentativa da experiente feiticeira em auxiliar Ciri no controle de suas habilidades mágicas. O livro acaba se aprofundando em membros importantes da Irmandade dos Feiticeiros, como Philippa Eilhart e Francesca Findabair.

Claro que a tranquilidade não dura muito tempo. Ciri não conseguiria fugir das garras de Nilfgaard para sempre e a guerra acaba lhe encontrando, resultando em eventos que seriam sentidos até mesmo nos jogos da série. Um ponto muito interessante sobre a história é como ela aprofunda as tensões sociais e raciais que tangenciam toda a saga.

Batismo de Fogo (1996)

Depois do incidente no final de Tempo do Desprezo, Geralt luta para se reunir mais um vez com Ciri em Batismo de Fogo, enquanto se recupera de profundos ferimentos das recentes batalhas. Ele ouviu rumores de que Cirilla estaria prestes a se casar com o Imperador de Nilfgaard e pretende fazer tudo em seu poder para impedir essa tragédia.

No seu caminho, ele encontra diversos companheiros marcantes como o vampiro Regis, a caçadora Milva, o nilfgaardiano Cahir e a Rainha Meve. É apenas nesse livro que o bruxo ganha oficialmente o título de Geralt de Rívia, uma história que todo fã deveria conhecer.

A Torre da Andorinha (1997)

Geralt continua seguindo em direção a Nilfgaard, cheio de sangue nos olhos. Sozinha, Ciri encontra um filósofo no Pântano Pereplut e acha que Geralt e Yeneffer estão mortos. Essas duas mentiras levam nossos heróis a caminhos tortuosos em A Torre da Andorinha. O chamado da Torre que dá nome ao livro projetará Cirilla em uma aventura perigosa.

Esse é o penúltimo livro de romance da saga e já dá para perceber como os heróis mudaram ao longo da jornada antes do grande final. Após ter aprendido muito com Geralt e Yeneffer, Ciri acaba seguindo o seu próprio caminho que será concluído em A Senhora do Lago.

A Senhora do Lago (1999)

O capítulo final na saga do bruxo Geralt de Rívia começa com Yeneffer presa, Geralt enfeitiçado e Ciri em uma dimensão paralela. Pode parecer que a história ainda tem muitas pontas soltas para resolver, mas Adrzej consegue resolver todos os conflitos com perfeição ao explorar os desfechos da criança da profecia. Ciri vai precisar lutar para reencontrar seus amigos e recuperar as rédeas do seu destino. Será que ela obterá sucesso?

A Senhora do Lago foi lançada originalmente no Brasil em duas partes, uma em junho e outra em novembro de 2017. Há uma versão de volume único lançada em agosto de 2018 com a mesma capa, então preste atenção em qual versão você prefere antes de comprar.

Tempo de Tempestade (2013)

Com o sucesso absurdo dos games, Andrzej decidiu publicar mais um livro: Tempo de Tempestade. A história é bem independente e mostra uma visita de Geralt ao reino de Kerak. Os eventos acontecem entre os contos do primeiro livro, antes de O Sangue dos Elfos, mas traz personagens que só aparecem bem mais tarde na série.

Como ler The Witcher na ordem cronológica da história?

Por ser composto de um misto de romances e contos menores, pode ser um pouco complicado ler as histórias de The Witcher na ordem em que elas acontecem. Mas todo seu trabalho extra é recompensado pela chance de experienciar a jornada de Geralt e Ciri de uma forma mais interconectada.

Acaba parecendo uma única aventura contínua, mais empolgante, sem os frequentes saltos temporais que tanto confundem os leitores menos experientes. Para te ajudar a não se perder, ordenamos até mesmo os contos na sua ordem de acontecimentos. Sem mais delongas, essa é a ordem cronológica de The Witcher.

O Último Desejo (1993) — Parte 1

O Último Desejo é dividido em sete contos, mas a ordem em que eles acontecem está embaralhada no livro. A primeira história que acontece é Um grão de veracidade, seguida por O mal menor, Os confins do mundo e O último desejo. Assim que completar essas histórias, vamos pausar esse livro por enquanto e partir para o próximo.

Tempo de Tempestade (2013)

A última história canônica lançada no universo The Witcher se passa na verdade durante os acontecimentos do primeiro livro. Tempo de Tempestade é um romance à parte da história principal da saga, mas devo fazer um alerta: esse livro pode acabar diminuindo o impacto de revelações posteriores da narrativa. Se você não está muito comprometido em seguir a ordem cronológica, melhor deixar esse livro para depois para não levar spoilers do final.

O Último Desejo (1993) — Parte 2

Hora de retornar a O Último Desejo para ler as três histórias finais: Uma Questão de Preço, O Bruxo e A voz da razão. Este último conto traz Geralt relembrando os acontecimentos do livro e preparando terreno para a continuação. Serve mais para contextualizar os eventos, então não há problema em lê-lo apenas no final.

A Espada do Destino (1992)

No primeiro conto de A Espada do Destino descobrimos que se passaram quatro anos depois que Geralt deixou Yeneffer por seu medo de comprometimento. Logo, os eventos desse livro se passam cinco anos após o anterior. Pelo menos os contos desse livro foram organizados em ordem cronológica, pelo menos na maior parte do tempo.

O enredo só volta a ficar confuso no conto final, Algo mais. Isso porque apesar dele se passar no presente, Geralt tem visões do passado, de acontecimentos entre os demais contos do livro. Não vale muito a pena pausar esse conto inúmeras vezes, mas caso você esteja dedicado à ordem cronológica de todos os eventos, lá vai.

A segunda lembrança acontece antes de todo o livro, com a rainha Calanthe de Cintra. Em seguida, vem o conto A Espada do Destino. Meses depois, acontece a primeira memória de Geralt, com Yennefer em Belleteyn. Então temos a última visão, com Jaskier, antes de prosseguir com os demais contos do livro na ordem em que eles foram impressos.

O Sangue dos Elfos (1994) – A Senhora do Lago (1999)

Felizmente, a história segue sem muitas confusões, começando pelo livro O Sangue dos Elfos. A partir daqui, temos um romance que mostra o amadurecimento de Ciri, as aventuras de Geralt em um mundo cético e caótico, além das armações de Yennefer e suas feiticeiras.

Você pode até mesmo ignorar os livros anteriores da cronologia se não tiver muito tempo. Eles funcionam mais para potencializar a imersão neste universo e não impactam diretamente a história principal. Dito isso, caso você precise de um lembrete, esses são os romances da saga do bruxo Geralt de Rívia:

Em qual ordem você vai começar a saga de The Witcher? Achou a cronologia confusa? Não deixe de comentar!

Imagem de perfil
sobre o autor Gabriel Mattos

Redator que joga mais Switch do que deveria e já leu todo o novo cânone de Star Wars, até os livros ruins. • @gabeverse