Capa da Publicação

Preview: Monster Hunter Stories 2 – Wings of Ruin, primeiras impressões do jogo

Por Gabriel Mattos

Monster Hunter Stories 2: Wings of Ruin, o próximo grande lançamento do Nintendo Switch, promete fisgar o coração dos fãs de anime. Principalmente aqueles que reclamam da falta de inovação dos games de Pokémon. Duas semanas antes do lançamento oficial, a Capcom liberou uma demo que permite acessar os primeiros capítulos do jogo. A Legião testou e te conta exatamente o que esperar!

Para quem não conhece, a franquia Monster Hunter é um verdadeiro colosso do mundo dos games no Japão, movimentando multidões fervorosas para as lojas no lançamento de cada sequência. O sucesso no ocidente só veio com força recentemente, em Monster Hunter World, mas já garantiu uma adaptação hollywoodiana de gosto duvidoso.

Em seu ápice de popularidade, muita gente está disposta a dar uma chance para a franquia, mas os jogos principais acabam afastando novatos devido a seu alto nível de complexidade. Pensando em uma maneira de conquistar os jogadores mais casuais, surge o derivado Stories, aliando visuais cartunescos a uma história mais simples de digerir.

Essa vontade de ensinar os jogadores com calma e paciência está bem evidente ao longo das mais de quatro horas de teste liberadas. Como a demonstração é exatamente o início do jogo, concentra os principais tutoriais para ensinar o básico da jogabilidade.

Talvez essa não tenha sido a melhor escolha para tentar atrair um novo público. A aventura apresentada até parece interessante, mas o ritmo inicial é ditado pela necessidade de segurar a mão do jogador em cada mínimo estágio. Pode ser essencial para garantir uma boa experiência no jogo completo, mas quando todo seu limitado tempo com a demo é marcada por tutoriais, é difícil não perder parte da empolgação.

Quando o game decidia permitir um pouco de exploração, o game mostra fagulhas de brilhantismo que podem resultar em uma jornada imperdível para fãs de JRPG. Monster Hunter Stories 2 constrói sua experiência em três pilares bem sólidos: exploração, combate em turnos e coleção de monstros.

Colecione monsties em Stories 2

Tal qual Pokémon, você pode domar algumas das criaturas selvagens para lutar ao seu lado, os chamados monsties. Aprender as vantagens e fraquezas de cada um tem um apelo instantâneo e aumentar sua coleção é essencial para conseguir explorar ao máximo o mundo do jogo.

Visualmente, o mundo do jogo parece ter sido construído para o Nintendo 3DS e melhorado superficialmente para não fazer feio no Nintendo Switch. Tem algo de básico na construção dos mapas que seria justificado pelas limitações do antigo portátil, mas que parecem estranhas na alta definição do híbrido

Deixando de lado algumas texturas de qualidade questionável, o mundo de Monster Hunter Stories 2 tem muito a oferecer. Tocas de monstro aleatórias estão espalhadas por todo canto, incentivando a exploração e trazendo um ar de novidade a cada nova visita. Montar em seus monstros para avançar com mais agilidade, por si só, também é muito divertido.

Explore um mundo vasto

Por fim chegamos no combate. A princípio, as batalhas em turnos parecem tão triviais quanto um jogo de jokenpo. Mas novas mecânicas são adicionadas ao longo da demo aumentando o elemento estratégico. As possibilidades são tão intuitivas que nunca chegam a pesar demais a complexidade dos confrontos. Tanto as batalhas mais rápidas, quanto as mais longas tem seu charme.

O ponto mais fraco dessa demonstração ficou para a história, que não empolga e faz muito pouco para despertar a curiosidade do público. Há uma leve conexão com os eventos do primeiro título, mas não o suficiente para confundir jogadores de primeira viagem. O problema é que o jogo está tão comprometido em ensinar como jogar que esquece de apresentar motivos para continuar jogando.

A demonstração traz algumas limitações que você não deve encontrar na versão completa e paga do game. Para começar, o nível máximo alcançável é 11 e apenas um save slot pode ser criado. Também não é possível acessar o modo multiplayer ou contatar os amigos, mas essas adições não devem atrapalhar a experiência geral.

A história não engata na demo, mas os personagens tem potencial

Monster Hunter Stories 2: Wings of Ruin promete ser um JRPG competente para os jogadores mais casuais do Nintendo Switch. O game chega a plataforma e a Steam no dia 9 de julho.

Fique com:

Imagem de perfil
sobre o autor Gabriel Mattos

Redator que joga mais Switch do que deveria e já leu todo o novo cânone de Star Wars, até os livros ruins. • @gabeverse