Eternos: Filme não vai estrear em países do Oriente Médio

Capa da Publicação

Eternos: Filme não vai estrear em países do Oriente Médio

Por Gus Fiaux

Eternos chegou aos cinemas fazendo história, por ser um filme que aposta ferrenhamente em diversidade como um grande elemento da trama. O longa apresenta o primeiro casal LGBTQIA+ do Universo Cinematográfico da Marvel, representado por Phastos e seu marido Ben, que inclusive possuem um filho chamado Jack. Apesar da inclusão ter sido elogiada por muitos, alguns países estão se recusando a lançar o filme por conta disso.

O longa chegará aos cinemas de vários países do Golfo Pérsico nos próximas dias, porém o The Hollywood Reporter acaba de confirmar que ele foi rejeitado em ao menos três países: QatarEmirados do Kuwait e Arábia Saudita – todos países onde a homossexualidade é categorizada como crime. De acordo com o site, órgãos de cada um desses países pediram à Disney que algumas cenas fossem retiradas do corte do filme, mas o estúdio se negou.

A própria diretora do longa, Chloé Zhao, disse que bateria o pé para que o filme não sofresse cortes por conta dos seus personagens gays – e disse também que a Disney concordou com sua decisão. No passado, o estúdio foi alvo de críticas por remover cenas com personagens LGBTQIA+ do corte internacional destinado a países que criminalizam ou punem a homossexualidade e outras expressões não-heteronormativas.

Phastos aparece com seu marido e seu filho ao longo do filme. Eternos inclusive conta com o primeiro beijo gay do MCU, entre Phastos e Ben.

É importante mencionar que o filme ainda não foi banido nesses países – ou seja, ele ainda pode ser exibido através da internet e outros meios oficiais, mas não nos cinemas. Contudo, o The Hollywood Reporter diz que é apenas uma questão de tempo até que o longa seja de fato censurado e proibido nos países. Na China, o filme não terá sua estreia oficial e na Rússia, ele recebeu classificação indicativa de 18 anos.

Eternos acaba fazendo história não apenas por ter o primeiro casal gay do Universo Cinematográfico da Marvel, mas também por trazer o primeiro beijo entre homens e por explorar uma família LGBTQIA+ com naturalidade. É um marco nos filmes de super-heróis e pode ser o primeiro passo em direção a um MCU mais plural, ainda mais se levarmos em conta que filmes futuros devem explorar esses temas, como Thor: Amor e Trovão.

Eternos está em cartaz nos cinemas.

Veja também:

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux