Elden Ring: TUDO o que encontramos no teste fechado do game – Inimigos e Boss (Parte 4 de 4)

Capa da Publicação

Elden Ring: TUDO o que encontramos no teste fechado do game – Inimigos e Boss (Parte 4 de 4)

Por Márcio Jangarélli

Tudo que é bom chega ao fim! Mesmo com MUITO conteúdo para ser explorado, o teste de Elden Ring terminou rapidamente e nos deixou querendo mais. Assim, para finalizar nosso especial sobre o beta do novo game da FromSoftware, chegou a hora de conhecermos os inimigos mais poderosos mostrados no jogo.

Os soulsborne da FS são conhecidos por seus chefões, mini boss e inimigos poderosos – e Elden Ring não ficou atrás nesse sentido. Só no teste, encontramos 4 chefes, 9 mini-chefes e alguns monstrões escondidos pelo mapa. 

Conhecimento é poder, então vamos nos preparar para o lançamento do game – que chega só em 25 de Fevereiro de 2022 –  entendendo melhor cada um desses inimigos.

PARTE 4

Caçando e batalhando

Batalhar em um soulsborne nunca foi tão divertido

Antes de chegar nos chefões, precisamos entender os tipos de inimigos que povoam o oeste do Limgrave. Dessa vez, a FromSoftware está apostando em uma abordagem em grupo com seus monstros comuns, onde existe uma maior facilidade para ataques em bando e uma variedade de golpes em área.

Todo o mapa está abarrotado de alvos para enfrentar, sejam eles hostis ou não. Isso torna o mundo de Elden Ring extremamente vivo e perigoso, deixando a “nova” função de furtividade essencial para avançar sem muitos problemas.

No Limgrave, é preciso prestar atenção aos seus arredores por completo; inimigos voadores, que ganharam uma área maior de atuação por conta da habilidade de pulo do seu personagem, estão presentes e atacam em bandos. E mesmo a cavalo você não está seguro: inimigos montados são uma realidade, perigosos e resistentes.

Animais silvestres

A FromSoftware também colocou um urso assassino para caçar os jogadores que tentaram “quebrar” o teste

Não são apenas monstros e soldados que povoam o mapa de Elden Ring; animais silvestres foram adicionados ao game, especialmente para fomentar a caça em busca de materiais de criação. 

No teste encontramos grandes pássaros, cervos, lobos e tartarugas. Existem até besouros de tesouro escondidos pelo cenário, que funcionam quase como os lagartos de cristal de Dark Souls, deixando itens raros ao serem derrotados.

Desses animais selvagens, é possível coletar ossos, pele, sangue e outros tipos de materiais. Esses itens servem para a criação de flechas, poções, entre outras opções de crafting.

Eventos de mundo aberto

Assalto medieval a carruagem de tesouros

Se aproveitando da nova configuração do mapa, a FromSoftware incluiu em Elden Ring o que podemos chamar de “eventos de mundo aberto”. São inimigos especiais – solo ou em grupo – ou sidequests que você encontra espalhados pelas áreas do jogo, geralmente se movimentando pelo mapa. Ou seja, você não encontra esses “eventos” em um ponto fixo, mas buscando através de uma rota.

No teste, existe um exemplo bem claro desses eventos de mundo aberto. Seguindo próximo ao primeiro portão do Castelo Tempesvéu, você pode encontrar uma “caravana”; são dois trolls puxando uma carruagem que contém um tesouro, seguidos por uma multidão de soldados diferentes. 

A rota dessa verdadeira procissão bizarra é longa e não reseta só por você usar um Local de Graça para mudar o momento do dia; ela aparece em outra parte do trajeto, mas não no início. Inclusive, essa caravana passa ao lado de outros acampamentos de inimigos, fazendo o jogador planejar bem o momento certo do ataque.

Inimigos no relógio

O Cavaleiro Negro é um dos inimigos favoritos de quem participou do teste

Ainda dentro dessa ideia dos eventos de mundo aberto, existem inimigos – e tipos de evento – que só aparecem em ciclos específicos do dia. Como Elden Ring possui um sistema de “horário”, alguns monstros são noturnos, outros diurnos e alguns até aparecem durante a manhã ou à tarde.

Um bom exemplo disso no teste é o Cavaleiro Negro. Ele não chega a ser um mini-boss, mas é um inimigo poderoso que só aparece durante a noite. É possível encontrá-lo em uma ponte, na região central do mapa, desmontado ou a cavalo. O cavaleiro não aparece em nenhum outro momento do dia e pode seguir uma rota de movimentação como os eventos.

Inimigos comuns também podem seguir essa regra; existem morcegos gigantes que, mesmo que apareçam em alguns pontos durante o dia, possuem uma atuação mais violenta à noite; E existem monstros que ficam mais poderosos dependendo do período, como os grupos de semi-humanos próximos da praia.

Os chefões de Limgrave

Nas masmorras ou em mundo aberto, os chefões estão incríveis

Mas o principal aqui são eles, as temidas “barreiras” dos soulsborne: os chefes e mini-chefes

Elden Ring mostrou três categorias desses inimigos durante o teste: os chefes de mundo aberto, que são boss reais, de alta dificuldade que assombram regiões do Limgrave; os chefes de masmorra que, em sua maioria, funcionam mais como mini-chefes, com dificuldade baixa ou moderada, no final de cada dungeon; e os chefes clássicos, de história, que te aguardam nas masmorras legado.

 

CHEFES DE MASMORRA

Cavaleiro de Godrick

Quem sabe no game final ele não fica mais forte?

No teste, Elden Ring te oferecia um tutorial “opcional”. Para acessá-lo, era só pular em um buraco à direita de onde seu personagem nasce,  com uma luz chamativa no fundo. Ou você podia simplesmente ignorar e seguir com o game.

Seguindo pelo tutorial, no final estava o Cavaleiro de Godrick que… bom, não dá nem pra ser chamado de mini-chefe ou inimigo poderoso; era só um soldado com barra de HP especial.

A única coisa interessante nele é seu nome, sugerindo quem governa essas terras.

Homem-Fera de Farum Azula

Vários Homens-Fera de Yharnam fazendo um freela em Elden Ring

O Homem-Fera é um dos mini-chefes essenciais desse teste. Com um visual que parece saído de Bloodborne e uma dificuldade moderada, é no fim dessa batalha que você encontra o baú com o frasco do Elixir Magnífico e duas Lágrimas de Cristal.

Para encontrar o Homem-Fera de Farum Azula, é bem simples; basta seguir para o norte da igreja onde você encontra o Kalé e, ao chegar no rochedo, virar para o leste. Assim você encontra a Caverna do Arvoredo, onde ele te espera.

Cão de Guarda da Árvore Fúnebre

É um gato demônio?

Caso faça esse mesmo caminho, mas siga para o oeste ao chegar no rochedo, você encontrará as Catacumbas Intempéries. Essa é uma masmorra bem mais difícil que a primeira, lotada de armadilhas e goblins assassinos.

No fim da dungeon, está um dos inimigos mais bizarros desse teste. Também vindo diretamente de um pesadelo de Bloodborne, o mini-boss aqui é o Cão de Guarda da Árvore Fúnebre.

Esse é um inimigo de nível médio-difícil, com vários ataques em área poderosos. A melhor opção contra ele são ataques mágicos e invocações para mantê-lo ocupado enquanto você golpeia.

Chefe Semi-humano

Outro que lembra os designs dos transformados de Yharnam

Se você segue para a área oeste do mapa, chegará à costa do Limgrave. Continuando para o sul, você encontra o segundo mercador nômade, sem nome no teste. Antes, no entanto, se você caminhar rente à montanha, está a Caverna do Dissidente.

Esse é um lugar que terá alguma importância maior no game final. Isso porque essa é a caverna da história do Boc, o NPC transformado em árvore que você encontra na região central do mapa.

Na caverna, os inimigos são todos semi-humanos, como o Boc. Assim, você encontra o(s) mini-chefe(s) desse lugar: o Chefe Semi-humano. A surpresa é que são dois boss, junto de vários soldados.

Eles não são inimigos difíceis, mas podem te derrubar caso ataquem todos de uma vez. A melhor estratégia aqui é chegar um pouco mais furtivo e tentar derrotar o primeiro Chefe Semi-humano antes de chamar a atenção do outro, que está mais para o fim da sala e não te vê chegando.

Ao eliminá-los, você pode continuar o caminho até sair na ilha da Igreja da Comunhão do Dragão. A quest do Boc não continua no teste.

Troll Escavador de Pedras

Os Trolls estavam lá para te dar trabalho – e materiais para melhorar sua arma

Uma das dungeons mais simples de encontrar no teste são os Túneis de Agheel. É um dos poucos lugares evidentes no mapa, quando você o encontra, ficando logo ao sul de onde você começa o game.

Esse é um lugar lotado de minérios para melhoria de armas e criação de itens. Também é cheio de caminhos secretos e itens valiosos.

No fim da mina te aguarda o Troll Escavador de Pedras. Ele é só um pouco mais chato de derrubar que os Trolls que você encontra no mundo aberto, mas nada muito complexo.

Guardião do Túmulo

Será que dá para conseguir essa armadura no jogo final?

Já entre as masmorras mais difíceis de encontrar estão as Catacumbas Turváguas. Sua entrada está no fim do “córrego” de Agheel, seguindo por uma área de esqueletos “imortais” e veneno.

Cheia de armadilhas e inimigos escondidos, o mini-boss dessa masmorra é o Guardião do Túmulo. Esse inimigo é bem fraco para ataques mágicos e mediano em seus golpes e velocidade – mas tem um design bem legal.

Cabeça de Abóbora

O elmo do Cabeça de Abóbora é a cara dos soulsborne

Um lugar importante para visitar no teste são os Escombros da Cidade de Tenebrae. Além de ser uma área curiosa, aprofundando os mistérios dessa terra, nela está escondido um “porão”, próximo de uma planta monstro, onde você encontra o Cabeça de Abóbora.

Esse é um dos boss mais legais do teste – e que parece ter dado trabalho para muita gente, pela quantidade de manchas de sangue no local. Ele possui ataques físicos poderosos, uma boa defesa, mas é lento. Derrote-o e você ganha seu capacete dourado de abóbora.

Com o Cabeça de Abóbora morto, você consegue, então, acessar a sala nesse porão onde a Feiticeira Selen está. Ela te fala mais sobre a magia de Elden Ring e vende feitiços pedregulhantes.

Leão Guardião

Ele surge de surpresa só para te rasgar ao meio

E para quem chegou no Castelo Tempesvéu achando que o único grande perigo do lugar seria o Margit, logo um Leão aparece para te provar o contrário.

Dentro do Castelo existem dois mini-boss, bem difíceis e localizados em lugares perigosos. O curioso é que eles não possuem arena ou barra de HP de chefes, ainda que sejam mais poderosos que boa parte dos boss de masmorra.

Seguindo pelo portão principal – e escapando de todo o batalhão de soldados que te aguarda – você encontra o Leão Guardião. Esse leão gigante é muito forte, muito rápido e possui movimentos difíceis de prever. Depois de chegar tão longe, ele está lá te esperando para uma nova provação.

Chaveiro de Muitos Braços

Quase um jump scare em Elden Ring

Mas se você seguiu o conselho do NPC na entrada e foi pelo caminho secundário, seu desafio final no teste é o Chaveiro de Muitos Braços.

Esse monstro surge de surpresa, te prende em uma sala apertada, escura e te ataca sem piedade. Ele é absurdamente rápido e pode te derrubar em um instante se você não começar a se movimentar. Sua recompensa nessa batalha é a chave para a sala onde o teste termina.

 

CHEFES DE MUNDO ABERTO

Sentinela da Árvore

Preparado para duelos a cavalo?

Se você acha que Elden Ring foi bonzinho colocando apenas o Cavaleiro de Godrick no fim do tutorial, é melhor tomar cuidado. Logo ao sair para o Limgrave, na área à sua frente, está te aguardando um daqueles chefões cruéis que a FromSoftware adora fazer: o Sentinela da Árvore.

Esse é o primeiro “chefe” de verdade que você encontra, solto no mundo aberto te esperando. Ele possui uma rota curta, onde vai e volta, mantendo vigília montado em seu cavalo. Dificilmente você conseguirá derrotá-lo no início do game, então a ideia é fugir dele usando sua furtividade.

O Sentinela é o primeiro boss de mundo aberto que conhecemos da FS e também o primeiro a cavalo. Dá sim para enfrentá-lo no mano a mano – e até derrubá-lo do cavalo, que possui HP próprio, mas ele foi feito para lutar junto do Torrente.

Ainda, ele possui resistência física e mágica altas, um grande alcance em seus golpes, ataques em área e pode refletir feitiços com seu escudo. Uma coisa legal é que se ele perceber você tentando contorná-lo, o Sentinela te persegue até a igreja onde está o Kalé e derruba parte da torre com um ataque.

Dragão Voador Agheel

Sem palavras para a luta contra o Agheel

Talvez o boss que deixou os jogadores mais impressionados no teste, a batalha contra o Dragão Voador Agheel é verdadeiramente sensacional. Ele fica ao sul de onde seu personagem começa, mas só aparece quando você entra na área, fazendo chover fogo em inimigos no local enquanto aterrissa.

É com esse dragão que Elden Ring mostra seu potencial. As possibilidades de batalha são absurdas e divertidas, seja corpo-a-corpo, combate mágico ou montado no Torrente. Ainda, dá um gostinho dos momentos épicos que o game final trará.

Como é de se esperar, o dragão é muito poderoso. Muitos ataques em área, com dano físico alto, dano de fogo praticamente one hit kill e muita resistência. Se você o derrota, ele deixa o item “Coração de Dragão”, que serve para você fazer “comunhão” e ganhar uma magia.

Cavaleiro Cão de Caça Darriwil

Será que existem outros Cárceres Perpétuos espalhados pelo game final?

No entanto, nenhum dos chefes de mundo aberto é tão curioso quanto o Darriwil. Esse cavaleiro fica em um lugar mágico, confinado em um “Cárcere Perpétuo”. Para acessá-lo, você só precisa encontrar a runa de acesso, que fica ao sul da entrada do Castelo Tempesvéu.

A runa te transporta para uma dimensão de bolso chamada “Cárcere Perpétuo do Cão Abandonado” – uma área cercada por uma barreira mágica. Confinado ali está o Cavaleiro Cão de Caça Darriwil, que carrega algumas semelhanças com o Artorias, de Dark Souls.

Essa é uma das batalhas corpo-a-corpo mais legais do teste – e é uma das situações que mais despertam ansiedade pelo jogo final, para entendermos o que de fato está acontecendo nesse lugar.

 

CHEFES CLÁSSICOS

Margit, o Agouro Caído

Margit é o primeiro boss de história em Elden Ring

Não seria FromSoftware, no entanto, sem um chefe clássico, poderoso, que dá gosto e raiva de enfrentar. Assim, na entrada do Castelo Tempesvéu está Margit, o Agouro Caído.

Margit segue a fórmula tradicional dos boss de soulsborne, com arena perigosa, onde você pode acabar caindo, poderes impossíveis, combos implacáveis e magias destrutivas. Um ótimo mix para o final do teste, né?

Claro, existem macetes para derrotá-lo sem sofrer tanto. Algumas magias funcionam melhor, invocações espectrais podem ajudar e ele pode ser envenenado – especialmente se você conseguir as cinzas da invocação da água-viva monstro. É uma ótima batalha, digna dos souls, e o design do boss é a pura perfeição.

Ao entrar, Margit te despreza, dizendo que precisa extinguir seu desejo de glória. Quando é derrubado, ele parte como um mau perdedor, te amaldiçoando e jurando te caçar do além. Será mesmo que este foi o fim do Agouro Caído?

Assim encerramos nossa jornada pelo teste fechado de Elden Ring! Agora é esperar alguns meses até a experiência completa. Será que dá pra aguentar?

Ansioso para Elden Ring? Não esqueça de comentar! O game tem lançamento marcado para 25 de fevereiro de 2022, para PlayStation 4, PlayStation 5, família Xbox e PC.

Veja agora nossa lista sobre o game:

Confira também o que já foi postado sobre nosso especial de Elden Ring:

Imagem de perfil
sobre o autor Márcio Jangarélli

Assessor, redator e jornalista. Madonna de Jakku.