Elden Ring: TUDO o que encontramos no teste fechado do game – O Mundo Aberto (Parte 2 de 4)

Capa da Publicação

Elden Ring: TUDO o que encontramos no teste fechado do game – O Mundo Aberto (Parte 2 de 4)

Por Márcio Jangarélli

Consegue ouvir o chamado das Terras Intermédias, Maculado? Na última semana, participamos do teste de rede fechado de Elden Ring, novo game da FromSoftware em parceria com George R. R. Martin, e já tivemos um gostinho do que está por vir.

Depois de explorar a história e os personagens que o teste nos apresentou, agora é hora de conhecer um pouco do mundo que o game mostrou e da nova mecânica chamada “Graça”.

PARTE 2

As Terras Intermédias

A Térvore é visível de todo o oeste do Limgrave

O teste se passa no que parece ser a área inicial de Elden Ring, o Limgrave – mas não dá para ter tanta certeza assim, tudo pode mudar na versão final. Porém, não é o Limgrave completo; é apenas a área oeste do primeiro mapa, que foi limitada por “paredes de luz”, impedindo que os jogadores avançassem para além do permitido.

Nos vídeos de divulgação, o mapa completo do Limgrave foi mostrado rapidamente e é uma região MUITO maior do que a presente no teste. Mas não se engane: só o que foi incluído nessa demonstração já é um mundo aberto absurdo de grande, abarrotado de conteúdo para render pelo menos 4-8 horas de exploração para os jogadores mais dedicados.

Como funciona o mundo aberto?

O mapa do oeste do Limgrave, cenário do teste

Elden Ring pode ser considerado, de maneira simplificada, um Dark Souls em mundo aberto. No entanto, não entenda isso como “pouca coisa”; os soulsborne são jogos construídos em um mundo semi-aberto linear e isso faz parte do núcleo desses games. A mudança de escopo já revoluciona as mecânicas do título e eleva a construção de mundo do estúdio para outro patamar.

O mapa de Elden Ring é totalmente aberto e possui verticalidades parciais; ou seja, com o novo sistema de pulo, tanto do seu personagem, quanto do corcel espectral, você consegue explorar lugares mais altos e escalar determinados aclives. O dano de queda, tão temido dos soulsborne, foi diminuído aqui, incentivando explorações mais amplas.

Outra coisa interessante é que esse game possui um mapa, ferramenta indisponível em outros soulsborne – com exceção do mapa geral de Sekiro. Você não o desbloqueia por exploração, como é comum em vários jogos, mas encontrando seus pedaços durante o gameplay. 

Ele permite marcação de lugares de interesse, que aparecem no mundo como sinais azuis no horizonte, mostra seus “Locais de Graça”, possui um sistema de viagem rápida, indica áreas de jogo cooperativo, mas não mostra masmorras e masmorras legado. A localização de NPCs importantes também está integrada no mapa.

Além das áreas abertas, onde você pode encontrar inimigos, coletar materiais, itens, tesouros e até desafiar chefes poderosos, Elden Ring incorpora a jogatina mais linear e cheia de segredos dos soulsborne em seu arsenal com as masmorras, espalhadas por todo o mapa, e masmorras legado, a maior e mais importante de cada área, onde ficam os boss dessas regiões.

Masmorras

Cada masmorra do teste é única – a da imagem, no entanto, não estava na demonstração

As masmorras são comuns no mapa e podem ser encontradas através da exploração. Elas são cavernas, calabouços, minas e áreas do tipo e se assemelham ao sistema das masmorras de cálice de Bloodborne – mais curtas, objetivas e diversas, no entando.

Toda masmorra do teste trouxe um Local de Graça logo no início, uma estaca de invocação e um formato único, com puzzles simples, armadilhas, inimigos variados e tesouros. No fim de cada uma delas, havia um mini-boss localizado aos pés de uma “árvore fúnebre”. Eles não foram tão difíceis de derrotar, mas eram traiçoeiros e possuíam vários ataques em área.

Alguns desses boss guardavam tesouros mais raros, enquanto outros estavam ali somente pela batalha. Ao derrotá-los, uma marca de teleporte aparece para te levar de volta ao início da masmorra, economizando tempo.

O mapa não funciona dentro das masmorras. No teste, havia pelo menos 6 dessas masmorras espalhadas pelo oeste de Limgrave.

Masmorras Legado

A entrada do Castelo Tempesvéu, Masmorra Legado do Limgrave

As masmorras comuns não são os únicos desafios de Elden Ring; cada região das Terras Intermédias trará uma – ou mais – das chamadas Masmorras Legado, que simulam ainda mais o espírito dos mapas soulsborne.

No teste, começamos a explorar a Masmorra Legado do Castelo Tempesvéu. É uma área muito maior que qualquer outra dungeon até então, mais labiríntica, que lembra os castelos de Dark Souls, com suas armadilhas, puzzles e segredos.

Nas Masmorras Legado você encontra os chefes principais da região. No teste, não chegamos até o final da dungeon, mas fica claro que o boss principal do lugar é Godrick, o Enxertado, que já conhecemos pelos trailers. Porém, na entrada da masmorra, enfrentamos Margit, o Agouro Caído, que guardava o portão. Ele é o inimigo mais forte da demonstração.

Explorando a masmorra, foi possível encontrar dois mini-boss: o Leão Guardião, seguindo pelo portão principal, e o Chaveiro de Muitos Braços, pelo caminho secundário.

Forlon Hound Evergaol

Um dos lugares mais curiosos do teste

É importante dizer que a extensão do mapa de Elden Ring não serve apenas para fazer volume ou aumentar o sentimento de vastidão do game; o mapa do jogo está lotado de coisas interessantes em cada canto, só esperando para serem descobertas. Sejam inimigos, tesouros, eventos, chefes, NPCs, masmorras ou áreas… peculiares (?), o game foi feito para te entreter em cada espacinho.

Falando dessas áreas estranhas, o teste mostra um lugar que contrasta muito com o resto da experiência. Seguindo pelas redondezas da entrada do Castelo Tempesvéu, há uma região com inimigos que parecem minhocas gigantes de pedra, com um único olho brilhante, paradas pelo mapa. No centro disso, está uma runa, brilhante, desenhada no chão que, caso você intereja, te teleporta para outro lugar.

Assim você vai parar na arena de batalha “Forlon Hound Evergaol”, onde um boss te aguarda. O Cavaleiro Cão de Caça Darriwill pode ou não ser difícil, dependendo do seu nível e Cinzas de Guerra ao chegar nessa área – algumas dessas habilidades dão muito dano nele. O interessante é como esse lugar funciona, parecendo até uma dimensão de bolso, que pode passar despercebida pelos jogadores.

Não dá para saber se o game final trará outros espaços como esse, mas essa é uma das coisas mais curiosas presentes no teste.

Ponto de Comunhão

A Igreja da Comunhão do Dragão fica isolada em uma ilha isolada

Ainda, falando em estranhezas, existem outras duas áreas “especiais” no teste. Uma delas, eu realmente não consegui desvendar.

Descendo para a costa do Limgrave, caso siga a praia para o norte, você encontrará um lugar onde uma runa brilhante está em movimento no solo, cercando algumas ruínas. Confesso que tentei de tudo aqui, mas nada aconteceu.

Se você seguir a praia para o sul, encontrará o segundo vendedor nômade, uma caverna e verá uma ilha próxima. Para chegar lá, você precisa seguir pela caverna, que é uma masmorra. Depois de derrotar o Chefe dos Semi-Humanos, o game até te oferece retornar para o início, mas se você continuar, encontrará a saída para a tal ilha.

Nessa ilha está a Igreja da Comunhão do Dragão. Nas ruínas de uma igreja, fica um dragão de pedra caído, com chamas ainda brilhando em sua boca.

Caso chegue ali sem ter encontrado um dragão de verdade antes, nada vai acontecer. No entanto, se você já topou com o Dragão Voador Agheel na região sul do Limgrave e o derrotou, você receberá o Coração de Dragão. Leve o item até a igreja e será oferecido a você uma comunhão com o dragão, que lhe rende uma magia dracônica.

Ainda não dá para saber se essa é a versão de Elden Ring para os pactos e facções dos soulsborne, mas tudo indica que sim.

Locais de Graça

Fogueira de graça

Sem fogueiras em Elden Ring! Seu descanso no game é um pouquinho mais… mágico? Para os maculados, os pontos de descanso, aumento de nível e tudo mais são chamados de Locais de Graça.

A Graça é parte fundamental do jogo. Ela está ligada ao Anel Prístino, à Térvore, às donzelas e ao destino das Terras Intermédias. De acordo com os diálogos, ela é o que faz os Maculados, com quem você joga, e serve como sua guia no game, indicando direções e pontos de descanso.

Assim, os Locais da Graça funcionam como as Fogueiras de Dark Souls, com algumas adições essenciais. Eles também são os pontos de viagem rápida do seu personagem e onde você pode configurar algumas das novas habilidades e instrumentos, como o Elixir Magnífico e as Cinzas de Guerra.

Passagem de tempo e viagem rápida

Os Locais de Graça também te permitem conversar com a Melina, para descobrir mais sobre o lore do game

Outra novidade de Elden Ring são a passagem de tempo e mudanças de clima. Você pode explorar o Limgrave em diferentes estágios do dia, usando os Locais de Graça para avançar no tempo. Existem eventos e inimigos que só aparecem em determinados horários, então explorar as Terras Intermédias com Sol e, depois, Luas é importante para conhecer tudo o que o game tem para oferecer.

Já as mudanças climáticas acontecem automaticamente e podem ser restringidas a determinadas regiões. No teste, encontramos tempestades, névoa, ventania e existe uma área do mapa onde uma chuva de raios cai sem parar. Considerando as imagens reveladas do jogo, podemos esperar mais cenários, especialmente envolvendo neve.

Produção de Itens e Melhoramento de Armas

Você não tem mais desculpas para ficar sem flechas

Elden Ring também emprega sistemas clássicos de mundo aberto. No game, seu personagem pode coletar itens e ingredientes no cenário e através da caça de animais selvagens para a criação de itens. O crafting é importantíssimo, permitindo ao jogador criar desde bombas e flechas, até itens de buff e debuff, poções e antídotos.

Para aumentar seu escopo de crafting, você precisa comprar ou coletar Livros de Receita. Logo no primeiro vendedor, o Kalé, dois livros estão disponíveis, mas você encontra outros como tesouros espalhados pelo mundo ou em vendedores adiante. Os livros variam de tipos de crafting, específicos para itens de ataque, poções e etc.

Também, o processo de melhoramento de armas foi modificado no game. Agora, inicialmente é o seu personagem quem faz as modificações no equipamento até o nível 4, dependendo de uma pedra de ferreiro para isso e os já tradicionais minérios que você encontra no gameplay. Não está claro se um ferreiro aparecerá adiante para dar seguimento às melhorias.

As armas ainda contam com escalas de bônus baseadas nos seus atributos, como nos soulsborne anteriores. No entanto, a aplicação de Cinzas de Guerra nos equipamentos pode mudar todas as mecânicas de uma arma.

Cinzas de Guerra e Artes de Batalha

O teste tem várias Cinzas de Guerra escondidas – boa parte como recompensa de mini-boss e boss

Uma das mudanças principais no sistema de combate de Elden Ring foi a adição de Cinzas de Guerra. Esses itens atribuem Artes de Batalha para suas armas, mudam suas escalas de evolução e podem ser trocados quase livremente entre equipamentos.

Você pode comprar, encontrar ou coletar de inimigos as Cinzas de Guerra. Cada uma possui uma Arte de Batalha diferente – especiais únicos para suas armas, invocados pelo L2 – e elas te dão também a opção de alterar a constituição do equipamento. Ou seja, com esses itens, você pode alterar uma arma comum para arma mágica, por exemplo. Isso muda tanto seus status básicos, quanto as escalas bônus.

Só é possível atribuir Cinzas de Guerra para seus equipamentos nos Locais de Graça. Elas também podem ser acopladas em escudos e armas secundárias, com diferentes Artes de Batalha nesses casos. E ainda que você possa mudá-las sem custo entre seu arsenal, existem armas que não são compatíveis com esses itens, que possuem Cinzas fixas ou que não aceitam determinados tipos de alteração.

Por sua vez, as Artes de Batalha vindas das Cinzas de Guerra são extremamente poderosas, variando entre ataques mágicos, físicos, direcionados ou em área. Elas podem ser carregadas, segurando o botão, para gerar mais dano ou aumentar a área ou tempo de duração do ataque. Seu sucesso em Elden Ring depende muito de entender os prós e contras das Cinzas de Guerra – ainda que, no teste, não tenha sido mostrado problemas vindos dessas habilidades.

Elixir Magnífico e Lágrimas de Cristal

No teste, é possível encontrar três Lágrimas de Cristal para o seu Elixir

Outra novidade interessante do teste é o Elixir Magnífico, item especial que você coleta em uma das dungeons do game. Essa é a recompensa da masmorra Caverna do Arvoredo, uma das mais simples de se encontrar no mapa, próxima da igreja onde fica o Kalé. No final você enfrenta o Homem-Fera de Farum Azula e, ao derrotá-lo, pode pegar seu tesouro.

O Elixir Magnífico é uma poção única que o próprio jogador cria usando Lágrimas de Cristal. Na Caverna do Arvoredo você encontra o frasco e uma Lágrima; no teste existem outras duas Lágrimas, espalhadas pelo mapa. 

Com os itens em mãos, seu Local de Graça te oferece agora a opção de misturar o Elixir, combinando duas Lágrimas. Cada lágrima possui um efeito diferente, podendo curar 50% do seu HP, aumentar status temporariamente ou até causar uma auto-explosão no seu personagem, que consome metade da sua vida, mas atinge os inimigos em volta com um grande dano. 

Misturando as Lágrimas, você cria uma poção que possui duas funções ao mesmo tempo e os efeitos podem ser alterados toda vez que você encontrar um Local de Graça.

O Elixir Magnífico só pode ser usado uma vez, mas é recarregado quando você descansa nos Locais de Graça.

Estacas de Marika

Marika, a Eterna, é a rainha das Terras Intermédias

Algo curioso em Elden Ring é que os Locais de Graça não são seus únicos checkpoints no game. Na verdade, perto de lugares com chefes, inimigos poderosos ou eventos, estão também as Estacas de Marika, que também servem como ponto de ressurgimento caso seu personagem morra.

O teste não mostrou nenhum contra de usar as Estacas de Marika, mas eu não confiaria que as coisas vão permanecer assim na versão final. Ao morrer na área de uma Estaca, você poderá escolher retornar para o seu último Local de Graça ou para a Estaca de Marika, que fica mais próxima.

Escolhendo a Estaca de Marika, suas poções são restauradas e você retorna com a vida completa, mas não há interações com armas, magias ou cinzas, próprias dos Locais de Graça.

Um fato interessante é que Marika vem de Rainha Marika, a Eterna, que as informações já divulgadas sobre Elden Ring revelaram ser a soberana das Terras Intermédias e mãe dos semi deuses que governam as regiões desse lugar.

Não perca a continuação da nossa viagem por Elden Ring! As próximas partes dessa história chegam nos próximos dias, aqui na Legião dos Heróis.

Ansioso para Elden Ring? Não esqueça de comentar! O game tem lançamento marcado para 25 de fevereiro de 2022, para PlayStation 4, PlayStation 5, família Xbox e PC.

Veja agora nossa lista sobre o game:

Confira também o que já foi postado sobre nosso especial de Elden Ring:

Imagem de perfil
sobre o autor Márcio Jangarélli

Assessor, redator e jornalista. Madonna de Jakku.