A transformação de Hugh Jackman do primeiro até o último ano como Wolverine

Capa da Publicação

A transformação de Hugh Jackman do primeiro até o último ano como Wolverine

Por Evandro Lira

Quando se trata de adaptação de quadrinhos, uma coisa é unânime: poucos atores se adequaram tão bem a um papel quanto Hugh Jackman e seu icônico Wolverine. É um daqueles casos onde personagem e ator são praticamente sinônimos, e qualquer um que venha a desempenhar esse papel no futuro terá muita dificuldade em se desvincular do legado de Jackman.

Veja também: 

Produtor dos filmes dos X-Men explica como introduziria os mutantes no UCM

Diretor de Logan fala sobre possível retorno de Hugh Jackman como o Wolverine

Arte reúne Wolverine de Hugh Jackman com Deadpool

A dedicação do ator australiano ao longo dos anos foi tanta, que é possível percebê-la só de olharmos para a transformação do seu corpo a cada filme dos X-Men. É claro que para viver uma máquina imparável como o Wolverine, exigia-se um corpo quase sobre-humano. E podemos dizer que Jackman se esforçou o bastante para tornar isso crível na tela.

Ao analisarmos a jornada de transformação de Hugh Jackman no papel do carcaju, vale lembrar que, quando anunciado como Wolverine, o astro, conhecido por papéis em musicais, sofreu duras críticas por parte dos fãs. Algumas delas partiam da ideia de que Jackman não tinha o corpo para viver o mutante. Mas bastou um único filme para que Jackman convencesse todo mundo de que ele era ideal para o Wolverine.

De qualquer forma, ali em 2000, Jackman não tinha o corpo gigante e super definido que viríamos a ver depois. Em boa parte do filme, na verdade, sequer vimos seu corpo direito. Três anos depois, Hugh Jackman apareceu com uma mudança significativa em seu “shape”, ele estava mais volumoso e musculoso para o segundo filme dos X-Men.

No encerramento da “trilogia clássica” dos mutantes, ninguém poderia imaginar que Hugh Jackman seria capaz de superar aquilo. Ali, em 2006, o ator estava enorme. Para além de peito e ombros largos, seus bíceps parecem ter se multiplicado a ponto de explodir quando pressionados.

No entanto, podemos dizer que foi em 2013, com o lançamento de Wolverine Imortal, que Hugh Jackman mostrou ao mundo que ele era capaz de se superar mesmo quando você achava que isso não era possível. Àquela altura, a boa forma de Chris Evans e Chris Hemsworth nos filmes do Capitão América e Thor deram um novo significado aos corpos de super-heróis, mas ainda assim, Jackman mostrou que não ficaria para trás.

No filme, o corpo de Jackman estava tão definido e trincado que era possível marcar veia por veia e contar cada “gominho” da barriga, não tendo uma gordura sequer para contar história.

A última vez que vimos Jackman na pele do glorioso mutante foi em Logan, filme de 2017. Com 50 anos, o astro continuou exibindo um físico invejável mesmo que tivesse perdido alguns dos ganhos dos anos anteriores. A “perca” era justificada, considerando que o personagem estava, de fato, muito mais velho.

Mesmo ali, Jackman mostrava que dedicação era a última coisa que ele deixaria para trás ao se despedir de um personagem tão icônico quanto o Wolverine.

Fique com:

(Via Mensxp)

Imagem de perfil
sobre o autor Evandro Lira

Bacharel em Cinema e Audiovisual, potterhead das antiga, filho dos filhos do átomo, fã de mais coisas do que deveria, frequentemente falando sozinho no Twitter. Segue: @evandroslira