Capa da Publicação

Sandman será atualizado para série da Netflix, explica Neil Gaiman

Por Raphael Martins

Os fãs de Sandman, uma das obras mais conhecidas de Neil Gaiman, tem muitos motivos para comemorar. Além da já confirmada série produzida pela Netflix, as graphic novels também serão adaptadas para o formato de audiolivro. O autor explicou sobre como os projetos serão diferentes, ressaltando que a série da Netflix trará uma história atualizada.

Veja também:

Diretor de Logan explica porque sua série de Sandman não foi feita

Descrições para a série de Sandman podem ter revelado vilão

Neil Gaiman reforça que a série do Sandman não tem relação com Lucifer

O audiobook, que será publicado pela Audible, terá um elenco estelar formado por atores como James McAvoy, Taron Egerton, Andy Serkis e Kat Dennings. Em uma mesa redonda virtual com membros da imprensa realizada recentemente (via ComicBook), Neil Gaiman falou sobre o projeto, ressaltando as diferenças com a série da Netflix:

“Uma das coisas nas quais eu continuo insistindo e tentando explicar para todos é que eles tem que contar para as pessoas que está é uma adaptação das três primeiras graphic novels. Depois será Estação das Brumas, e continuaremos com Entes Queridos e com sorte seguiremos fazendo até Prelúdio. Até terminarmos, serão 100 ou 120 horas de audio.

 

A ideia é contar a coisa toda. Mas também temos que fazer algo que eu acho que é meio que especial, que é tratar isso como um audiobook, porque enquanto fazemos a série da Netflix, olhamos para aquilo e pensamos ‘Certo, é 2020, digamos que eu esteja fazendo Sandman começando em 2020, o que nós faríamos? Como mudaríamos as coisas? Que gênero esse personagem teria? Quem essa pessoa seria? O que estaria acontecendo?”

O autor também falou mais sobre a vindoura série com atores baseada em sua obra, ressaltando que tiveram que esperar o momento certo para tirá-la do papel:

“As pessoas tentaram fazer filmes e adaptações para a TV por trinta anos, estão tentando ativamente fazer isso por 25 anos, e nunca conseguiram. E isso nunca deu certo por causa de todos os efeitos especiais e do que seria preciso para realizar esses efeitos. Nunca funcionou porque você estava fazendo algo que era adulto. As pessoas iriam escrever roteiros para filmes de Sandman e falariam ‘Mas esse é um filme para maiores, nós não podemos gastar $100 milhões em um filme para adultos.’ Então, não acontecia. Você precisava estar em um mundo onde contar uma história de uma forma longa era uma vantagem, não uma desvantagem. E o fato de que nós temos setenta e cinco edições de Sandman – essencialmente 13 livros inteiros – cheios de material, é algo muito bom. Não é uma desvantagem, está do nosso lado. O fato de vivermos em um mundo onde podemos pegar coisas que só existiam na arte dos quadrinhos e agora podem existir na realidade.

 

Eu recebo esses emails com coisas de design de produção da Netflix para Sandman e eu apenas quero mostrá-los para todo mundo, e sei que não posso. São incrivelmente confidenciais, mas eu olho para eles e me encanto. No outro dia, eles me mandaram o castelo de Lúcifer, com os portões do inferno e todos aqueles detalhes, e eu só pensava ‘Meu Deus, isso é incrível.’ Não poderíamos ter feito isso há cinco anos atrás, e com certeza não há dez anos atrás. A ideia de fazermos Prelúdios e Noturnos e A Casa de Bonecas como nossos 10 primeiros episódios, ninguém nos deixaria fazer isso. O mundo não estava pronto. Agora está.”

Confira nossa lista de coisas que queremos ver na série aqui embaixo:

Imagem de perfil
sobre o autor Raphael Martins

Redator, apresentador e roteirista. Gosto de longas caminhadas na praia, Star Wars, tokusatsu, anime e filé com batata frita. Deixo as pessoas constrangidas. Você pode trocar uma ideia comigo no Twitter: @aqueleraphael