Capa da Publicação

[REVIEW] Ghost Story – Os fantasmas caminham entre nós

Por Gus Fiaux

A literatura de horror nos presenteou com ótimos exemplares ao longo dos anos – desde o sobrenatural ao psicológico, passando por grandes autores como Stephen King, Bram Stoker, Mary Shelley e até mesmo Neil Gaiman. Entre as grandes obras publicadas, poucos mergulharam tão profundamente no lado macabro dos fantasmas quanto Ghost Story. 

O livro, publicado originalmente em 1979 por Peter Straub, acaba de encontrar uma nova edição no Brasil, graças à Darkside Books – a editora parceira da Legião dos Heróis. A história agrupa um quarteto de idosos – conhecidos como a Sociedade Chowder – que escondem um grande segredo, que precisa vir à tona conforme os fantasmas e demônios de seus passados começam a assombrá-los.

Considerado um dos melhores e mais importantes exemplares da literatura de horror por Stephen King, em seu livro Dança MacabraGhost Story é uma obra fria, sinistra, macabra e, acima de tudo, fantasmagórica, no melhor sentido da palavra. O livro nos leva à cidade fictícia de Millburn, em Nova York, e nos ilustra o dia-a-dia dos homens da Sociedade Chowder.

Narrada a partir de diferentes pontos de vista, a trama segue seus quatro protagonistas – Frederick Hawthorne, Sears James, John Jaffrey Lewis Benedikt. Um ano antes do começo da história, eles perderam um grande amigo, Edward Wanderley, graças a circunstâncias misteriosas que envolvem um grande segredo de seu passado.

Ainda assim, eles conservam a amizade e se reúnem quinzenalmente para contar histórias de horror – algumas fictícias, outras muito reais. E aos poucos, essas histórias vão tomando vida, conforme a vida do quarteto fica em risco.

De muitas formas, Ghost Story é um livro como poucos outros. A ambientação e atmosfera são os principais motores de uma história cheia de reviravoltas impressionantes – a começar pelo prelúdio, que nos joga em uma cena angustiante que só é resolvida ao final das mais de quatrocentas páginas do livro.

Mais do que isso, é uma história de fantasmas que cria uma nova versão das almas penadas que estamos acostumados nos filmes, séries e livros de horror. As criaturas que assombram a Sociedade Chowder são fragmentos de seu passado, mas não vivem por aí como formas incorpóreas e desencarnadas. De muitas maneiras, esses fantasmas são mais reais e tangíveis que os protagonistas.

Além disso, um grande mérito do livro é a forma como ele explora não apenas o quarteto principal, mas toda a vida na cidade de Millburn – e como a cidade em si se torna palco para a carnificina produzida pelos seres sobrenaturais, algo que com certeza deve ter inspirado Stephen King em sua obra-prima IT: A Coisa. 

Aliás, fica bem nítido como o livro serviu de inspiração para muitas obras de King. Vale lembrar que ele próprio já trabalhou ao lado de Peter Straub em duas obras, O Talismã A Casa Negra.

Em suma, Ghost Story é um mistério delicioso e tenebroso, que se movimenta com um senso de pavor crescente. Dividido em três partes – mais um prelúdio e um epílogo -, o livro consegue evocar imageticamente tudo o que está escrito – e é uma pena que a única adaptação da obra, lançada em 1981, não esteja à altura da magnitude da história de Straub.

Se você gosta de fantasmas e criaturas sobrenaturais, Ghost Story é uma leitura obrigatória. Um livro cheio de elementos surpreendentes e com uma história engajante e atmosférica, mostrando como os fantasmas andam entre nós e se alimentam das histórias que criamos sobre eles…

Veja mais reviews dos títulos da Darkside Books:

[REVIEW] A Menina do Outro Lado – Uma obra de arte em forma de mangá

[REVIEW] 30 Dias de Noite – Carnificina vampiresca

[REVIEW] Exorcismo: O Ritual Romano – Demônios no Vaticano

Confira algumas imagens da edição do livro:

Ghost Story está disponível nas livrarias. Você pode adquirir o livro na loja oficial da Darkside Books, clicando aqui.

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux