Capa da Publicação

Oscar 2021 aceitará filmes lançados para streaming, confira mudanças

Por Evandro Lira

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, responsável pela entrega do Oscar, anunciou nesta terça-feira (28) algumas mudanças inéditas para a próxima edição do prêmio mais famoso do mundo.

As novidades implantadas pela Academia surgem como uma resposta à pandemia do coronavírus, que afetou diversos setores da indústria do entretenimento, incluindo os cinemas. Com tantos filmes sendo adiados e produções interrompidas, tem havido muitas perguntas sobre como será o Oscar de 2021 já que pouquíssimos filmes foram lançados até agora.

Veja também:

Tik Tok doa $2 milhões para ajudar artistas em meio à pandemia

Bob Iger adia renúncia da presidência da Disney devido à pandemia

Estudo aponta que shows e cinemas podem perder público após a pandemia

Agora, a Academia revelou que, pela primeira vez na história, permitirá que filmes que não foram lançados no cinema sejam elegíveis ao prêmio. Segundo um comunicado da instituição, longas que estavam planejados para chegar aos cinemas mas que fizerem sua estreia diretamente em serviços de streaming ou VOD (video on demand) poderão concorrer ao Oscar.

Apesar da Academia permitir há alguns anos que filmes da Netflix, por exemplo, sejam elegíveis à premiação, uma das regras do prêmio é que todos os filmes que almejam uma vaga no Oscar sejam exibidos pelo menos durante 7 dias em algum cinema de Los Angeles. Desde que existe, essa regra nunca havia sido alterada, até esse ano.

“A Academia acredita firmemente que não há maneira melhor de experimentar a magia dos filmes do que vê-los em um cinema. Nosso compromisso com isso é inalterado e inabalável. No entanto, a pandemia historicamente trágica do COVID-19 exige essa exceção temporária às nossas regras de elegibilidade para prêmios. A Academia apoia nossos membros e colegas durante esse período de incerteza. Reconhecemos a importância de seu trabalho ser visto e comemorado, especialmente agora, quando o público aprecia filmes mais do que nunca”, disse o presidente da Academia, David Rubin, e o CEO, Dawn Hudson.

A Academia também anunciou que irá mesclar as categorias de Mixagem e Edição de Som em uma categoria única. Também foi anunciado que a trilha sonora de um filme deve ser pelo menos 60% original para que o filme se qualifique à categoria de Melhor Trilha Sonora Original. Para sequências e filmes de franquia, a trilha sonora deve ter no mínimo 80% de músicas novas.

É possível que mais mudanças no Oscar do próximo ano venham à medida que a pandemia de coronavírus se estende.

O que você achou das mudanças? Deixe seu comentário!

Fique com:

Imagem de perfil
sobre o autor Evandro Lira

Bacharel em Cinema e Audiovisual, potterhead das antiga, filho dos filhos do átomo, fã de mais coisas do que deveria, frequentemente falando sozinho no Twitter. Segue: @evandroslira