Capa da Publicação

Justiceiro adota política de não matar, mas faz algo ainda pior

·
Por Dyllan Souza

Frank Castle é conhecido por sua violência extrema, garantindo que as vítimas do Justiceiro nunca escapem da morte. Mas agora a coisa mudou. Em Punisher: Soviet #6, vimos o anti-herói adotando uma política de não matar seus alvos, decidindo por algo muito pior.

Veja também:

Motoqueiro Fantasma é incapaz de derrotar o Justiceiro, revela HQ

Série de Silêncio dos Inocentes escala atores de Watchmen e O Justiceiro

Punchline rasga o pescoço de Arlequina em nova HQ

Na HQ Frank Castle se junta ao Justiceiro russo chamado Valery Stepanovich, que está em busca de um gangster chamado Pronchenko – o responsável por diversos traumas em sua vida, incluindo entregar a sua equipe para terroristas, fazendo com que Valery assistisse seus colegas terem a pele arrancada de seu corpo.

Após muitos anos investigando isso, Valery descobre a responsabilidade de Pronchenko e decide caçá-lo. É ai que Frank entra na história. O personagem também está buscando Pronchenko e sua máfia criminosa, tentando colocar um fim nas maldades do vilão.

Quando Valery acaba morrendo durante sua busca, o Justiceiro continua sua missão, descobrindo que um senador dos Estados Unidos tem vendido informações do governo para Pronchenko. Porém, o plano de Castle de vingança já estava em curso. Ele havia matado todos os filhos de Pronchenko depois de os fazerem enterrar seu amigo Valery.

Justiceiro, então obriga o vilão a arrancar a pele do senador americano, como uma certa forma de justiça poética ao que seu amigo passou. O senador morre de ataque cardíaco durante a tortura, e Pronchenko entra em um estado severo de choque.

A vingança de Castle é motivada pelo fato de que, ainda que tenha causado muita morte, Pronchenko nunca lidou diretamente com isso. O vilão sempre tomava decisões e deixava que outros sofressem com a tragédia e a dor.

Ao invés de matar seu inimigo, o Justiceiro vai embora, sabendo que o vilão jamais encontrará paz ou descanso após ter sua mente estilhaçada pelo trauma. Alguns meses depois, Pronchenko é preso e seus advogados conseguem impedir que ele seja condenado à pena de morte, mas Frank Castle sabe que, caso pudesse falar ou decidir, o vilão iria escolher morrer.

A seguir:

Imagem de perfil
sobre o autor Dyllan Souza