Capa da Publicação

Estudo aponta que séries da Netflix ajudam a criar empatia com pessoas LGBTQ+

Por Matheus Takahashi

Uma pesquisa realizada entre a Netflix e a GLAAD no Brasil revelou que os espectadores heterossexuais dos programas da plataforma estão criando maior empatia em relação à comunidade LGBTQ+. O estudo afirma que a presença de personagens importantes dentro deste espectro fazem com que os espectadores se tornem mais compreensivos e respeitosos com a comunidade.

Saiba mais sobre a Netflix:

Novo filme da Netflix tem 0% de aprovação no Rotten Tomatoes

Netflix emite comunicado sobre mudanças na dublagem

Cowboy Bebop da Netflix será fiel ao material original, diz roteirista

Os resultados da pesquisa mostram que 80% dos espectadores que não se identificam como LGBTQ+ passaram a ter melhores relações com pessoas LGBTQ+ em suas vidas pessoais por assistem a programas como Sex Education e Elite, além de acompanhar personagens como Casey, de Atypical, e Robin, de Stranger Things.

Sobre o assunto, a diretora de mídia latina e representante em língua espanhola da GLAAD, Monica Trasandes, demonstrou-se bastante contente com o resultado. Ela disse:

“Dada toda a polarização do mundo hoje, a representação nas telas importa mais do que nunca. A Netflix e os criadores de todo o mundo têm a oportunidade de aumentar a aceitação da comunidade LGBTQ+ por meio do entretenimento.

 

Séries como Sex Education e Elite não são apenas grandes histórias, elas permitem que mais pessoas vejam suas vidas na tela – aumentando a empatia e a compreensão. Os dados comprovam: mais representatividade acelera a aceitação”.

Os espectadores LGBTQ+ que participaram da pesquisa também afirmaram que o entretenimento é algo que reflete bastante em sua comunidade, principalmente nos últimos dois anos – 85% deles afirmaram que isso ajudou nos relacionamentos familiares. No entanto, também foi frisado que os programas também precisam melhorar em algumas abordagens e trazer mais histórias vividas por personagens LGBTQ+, além de reforçar a necessidade de uma maior diversidade racial.

A pesquisa constatou que os títulos e personagens em que a comunidade LGBTQ+ se sentiu mais representada e que também foram os mais bem-sucedidos em criar empatia entre os não membros LGBTQ+, especificamente são:
  • Casey Gardner – Atypical
  • Eric Effiong – Sex Education
  • Lito Rodriguez – Sense8
  • Omar Shanaa – Elite
  • Piper Chapman – Orange is the New Black
  • Robin Buckley – Stranger Things
  • RuPaul – RuPaul’s Drag Race
  • Theo Putnam – O Mundo Sombrio de Sabrina

Apesar da luta de igualdade de gênero, orientação e raça ainda ser um futuro um tanto distante, a pesquisa da Netflix com a GLAAD certamente traz uma boa notícia para a comunidade LGBTQ+ e seus simpatizantes, em uma grande demonstração de que criar personagens dentro deste espectro, bem como retratar tramas que tratam desses temas, realmente trazem resultados e impactos para a vida real – especialmente vindo no Mês do Orgulho LGBTQ+. Uma grande lição para quem acha que isso é totalmente irrelevante.

A Netflix também preparou uma seleção especial de filmes e séries LGBT+, que pode ser conferida aqui.

E você? Qual o seu personagem LGBTQ+ favorito da Netflix?

Veja também:

Imagem de perfil
sobre o autor Matheus Takahashi

Geógrafo. Amante da cultura geek/nerd, mas ama mesmo super-heróis, jogos de luta e futebol. Conversa fácil sobre (quase) qualquer coisa

IG: t1takahashi TT: takamatheus