Capa da Publicação

Diretor de The Last of Us Part II fala sobre o vazamento do jogo

Por Raphael Martins

Atenção: Alerta de Spoilers!

Os fãs de The Last of Us, para sua mais absoluta frustração, acabaram tendo que lidar com spoilers do segundo jogo dois meses antes do lançamento, quando imagens e vídeos de eventos-chave do game acabaram vazando na internet.

Veja também:

[Crítica] The Last of Us Part II é um estudo sobre ódio, vingança e trauma

The Last of Us Part II: Momento triste do jogo originalmente seria diferente

Trailer de The Last of Us Part II teve cena modificada para evitar spoilers

Se isso foi ruim para os fãs, foi ainda pior para Neil Druckmann, co-criador e diretor de The Last of Us Part II. Em uma conversa com o podcast Kinda Funny (via VG247), ele se disse arrasado com o acontecido:

“Quando o vazamento aconteceu, foi um dos piores dias da minha vida. Eu vi acontecer em tempo real, vi quando bombou no YouTube. Todos entramos em pânico, pedindo a eles que derrubassem. Há um atraso, então leva uma hora até tirarem. Ele teve talvez mil visualizações quando foi derrubado. Então você só se senta e seu coração afunda, e você pensa ‘Já está lá fora, é só uma questão de tempo até que exploda’. Algumas horas depois, já está em todo lugar, e você começa a receber mensagens de ódio em todas as suas redes sociais, que logo se tornam ameaças de morte, frases anti-semitas e uma loucura que eu jamais poderia ter previsto. Eu sabia que as pessoas ficariam irritadas ao ver um personagem que elas amam morrendo. Eu nunca pensei que isso chegaria a esse tipo de ódio? Não sei como descrever isso. Frustração?”

Druckmann também falou sobre como se sentiu tendo que conviver por dois meses com os vazamentos até que o jogo finalmente fosse lançado:

“A coisa mais difícil sobre quando o vazamento aconteceu é que você vê aquela cena, o amor que as pessoas tem por aquele personagem, e aquilo é tudo o que eles tem. Isso e o fato de você então jogar com a pessoa que o matou. E eles perdem a cabeça. Compreensivelmente. Então a gente tinha que só sentar lá por dois meses e falar ‘Tem mais coisa além disso, mas não podemos dizer nada agora’. Eles só vivem com aquela frustração e raiva. Isso foi difícil. Foi realmente muito difícil.”

O diretor disse que demorou um pouco para finalmente compreender o que havia acontecido:

“Em um certo ponto, alguns dias, você entendia que o pior tinha acontecido. A pior maneira possível de apresentar esse jogo tinha acontecido – nosso pior pesadelo. Porque tentamos muito proteger essa história.”

E vocês, o que acharam do game? Deixem seus comentários!

Confira nossa lista sobre o primeiro game aqui embaixo:

Imagem de perfil
sobre o autor Raphael Martins

Redator, apresentador e roteirista. Gosto de longas caminhadas na praia, Star Wars, tokusatsu, anime e filé com batata frita. Deixo as pessoas constrangidas. Você pode trocar uma ideia comigo no Twitter: @aqueleraphael