Capa da Publicação

Autor de The Witcher fala das críticas raciais recebidas pela série da Netflix

Por Raphael Martins

Para a felicidade dos fãs, a série de The Witcher produzida pela Netflix acabou se tornando um grande sucesso, sendo a maior estreia da história da plataforma. Mas por mais elogiada que a adaptação tenha sido, é impossível agradar à todos.

The Witcher

Segunda temporada de The Witcher deve trazer monstro assustador esperado pelos fãs

Produtora de The Witcher explica razão de Jaskier ser menos mulherengo na série

Anime de The Witcher não será focado em Geralt, confirma Netflix

Houve aqueles que criticaram a série por mudar a raça de alguns personagens dos livros, especialmente do núcleo de Nilfgaard e dos reinos do norte, e em uma entrevista recente, o autor Andrzej Sapkowski, que escreveu os livros, teve a oportunidade de falar sobre o assunto.

Ao site Wyborcza, ele disse:

“Até onde eu me lembro, a cor da pele não é discutida com detalhes nos meus livros, então quem vai adaptar pode mudar isso livremente. Tudo é possível e tudo é permitido, é assim que tem que ser, afinal. Eles fizeram meus Zerrikanianos loiros terem cabelos pretos nos quadrinhos, porque o artista tinha sua liberdade artística. Em Troia: A Queda de uma Cidade, da Netflix, Aquiles é interpretado por um ator negro. Aquiles era, como nós sabemos, o filho do rei Peleu da Tessália e da nereida Tétis. A série parece questionar isso “como nós conhecemos” e sugere uma interferência nubiana. E isso é o que poderia ter acontecido também, afinal.”

Sapkowski também disse que The Witcher não é uma história eslava ou medieval, e que o fato de haver gente que tenta encaixar os personagens nessas origens o surpreende:

“Estou bem surpreso. Geralt é um nome bem “eslavo”, há algumas coisas “eslavas” nos nomes de pessoas e lugares. Há a Leshen e a Kikimora – mas também há A Pequena Sereia de Andersen e a Fera de Jeanne-Marie Leprince. Eu acho que preciso repetir isso: The Witcher é uma fantasia clássica e canônica, há muito espírito eslavo nela assim como há veneno na ponta de uma lança, parafraseando as palavras de Wokulski para Starski.”

O fato de existir um elfo de pele negra em The Witcher realmente incomodou muitas pessoas, que parecem se esquecer por um momento de que elfos não existem, e mesmo se existissem, não seriam desse mundo, logo não poderiam ser europeus.

Fique com imagens da primeira temporada de The Witcher em nossa galeria:

Imagem de perfil
sobre o autor Raphael Martins

Redator, apresentador e roteirista. Gosto de longas caminhadas na praia, Star Wars, tokusatsu, anime e filé com batata frita. Deixo as pessoas constrangidas. Você pode trocar uma ideia comigo no Twitter: @aqueleraphael