Capa da Publicação

Criador de Arrow comenta desafio de transportar os heróis da DC para a atualidade

Por Matheus Takahashi

O atual contexto mundial tem trazido grandes discussões para produtores de filmes e séries, em especial nos EUA, por conta do debate trazido pelo Movimento Vidas Negras Importam. Sobre isso, o criador a série Arrow, Greg Berlanti, comentou sobre os desafios de criar uma nova visão dos heróis da DC para a atual geração.

Saiba mais sobre Arrow e outras séries da DC:

Stephen Amell, de Arrow, fala da demissão de ator de The Flash

Atores do Arrowverso zoam Legends of Tomorrow em vídeo hilário, assista

Novo episódio de Stargirl explica limitação dos poderes do Homem-Hora

Em um evento online promovido pela Variety (via Comic Book), Berlanti comentou que há uma grande responsabilidade ao trazer personagens do passado para a era moderna, afirmando que eles sempre tentar manter os elementos que tornam esses personagens icônicos, mas adicionando outros detalhes que os tornam mais verossímeis com a realidade não atual. O produtor disse:

“No Universo DC em especial, existe um foco sobre nosso reconhecimento de que nós queremos criar heróis que se pareçam e que se sintam como hoje em dia, não como nos anos 40 e 50. Eles [DC] sempre foram bem intencionados nessas criações no passado, mas há uma certa responsabilidade que você carrega se você quiser trazer esses personagens icônicos para esta geração, para ter certeza que ele vai pegar o espírito do personagem, mas eles não precisam ter o gênero ou a cor do personagem, nem mesmo a sexualidade”.

As próprias séries do Arrowverso têm mostrado um poucos dessas mudanças, desde seu início. Na série do Flash, por exemplo, uma das grandes mudanças ocorreu com Iris West, uma personagem que sempre foi branca nas HQs, mas que passou a ser vivida por Candice Patton, uma mulher negra. Outros destaques ficam para a mudança de gênero do Mestre dos Espelhos, que é uma mulher na série do Velocista Escarlate, e a heroína Dreamer, de Supergirl, que é transgênero – e é vivida por uma atriz trans, Nicole Maines.

A nova série da Stargirl também tem trazido algumas revisões nas histórias de alguns personagens, justamente com o intuito de trazer heróis clássicos com uma visão mais moderna e condizente com a atual realidade. São mudanças que ajudam a interpretar melhor os personagens nas séries, e que, ao contrário do que alguns pensam, ajudam o público a conviver melhor com as diferenças. 

Aproveite e veja a seguir:

Imagem de perfil
sobre o autor Matheus Takahashi

Geógrafo. Amante da cultura geek/nerd, mas ama mesmo super-heróis, jogos de luta e futebol. Conversa fácil sobre (quase) qualquer coisa

IG: t1takahashi TT: takamatheus