Capa da Publicação

Rua do Medo: Entenda a história completa da maldição de Shadyside

Por Arthur Eloi

Atenção: Alerta de Spoilers!

Rua do Medo, a trilogia de terror da Netflix, contou a história da maldição de Shadyside de forma invertida. Começando em 1994, cada capítulo voltou no tempo até eventualmente chegar na raiz do problema. Agora que todos os três filmes já foram lançados, vale colocar tudo em ordem para entender como o caos se instaurou na cidade.


Shadyside vs. Sunnyvale

Rivalidade entre Sunnyvale e Shadyside é presente em toda a trilogia Rua do Medo

Algo bastante citado ao longo da trilogia é a rivalidade entre Shadyside e Sunnyvale, a cidade vizinha. Acontece que, em 1666, nem a intriga e nem a divisão territorial sequer existiam ainda. Na verdade, tudo era parte de uma única colônia da Nova Inglaterra, chamada de Union. O que aconteceu então?

Curiosamente, quem foi “responsável” pela separação dos territórios foi Sarah Fier, de certa forma. Após o vilarejo altamente religioso sofrer uma série de eventos bizarros, sem nenhuma explicação aparente, Fier foi acusada de bruxaria e heresia, muito pelo fato de ter uma relacionamento com Hannah, a filha do pastor do local. Quando os moradores se organizaram para caçá-las, eles decidiram que era hora de separar o trigo do joio, ou seja, dividir Union entre as ovelhas negras e os “cidadãos de bem”. Assim surgiu Shadyside e Sunnyvale, duas cidades nascidas da intriga, perseguição e, claro, da mentira.

O pacto de Solomon Goode

A grande reviravolta da Parte 3 de Rua do Medo é revelar que Sarah Fier nunca foi um bruxa, mas sim foi acusada como forma de encobrir um pacto feito por Solomon Goode. Suposto colega de Fier, o homem passava por um período de luto após perder a filha. Mais tarde, é revelado que o trauma de Goode o fez negociar com o demônio.

O pacto é bastante simples: riquezas, fertilidade e controle das terras para Solomon e seus descendentes, desde que, de tempos em tempos, a família apontasse uma alma para ser possuída pelo capiroto. O nome indicado pelos Goode então se tornaria um serial killer, e a pessoa que reforçou o pacto seria recompensada em curto período de tempo.

O legado dos Goode

Para manter o poder e a riqueza, descendentes de Solomon Goode devem continuar sacrificando pessoas de Shadyside ao capeta

Entre 1666 e 1994, muita desgraça aconteceu em Shadyside, ao ponto de que o local ficou conhecido como a “capital do homicídio” nos Estados Unidos. Em contraste, Sunnyvale apenas cresceu e prosperou, com os Goode se tornando uma das maiores, mais influentes e ricas famílias da cidade vizinha. Não é só coincidência.

Como mostra a Parte 3 de Rua do Medo, isso só aconteceu porque, de anos em anos, algum membro dos Goode apontava uma pessoa inocente para se tornar um fantoche de Satã. Isso começou logo em 1666, com o pastor Cyrus Miller assassinando 12 crianças de Union e depois arrancando os próprios olhos. Nos séculos seguintes, isso só se repetiu (veja mais sobre os assassinatos no item abaixo). Com os Goode no controle de Sunnyvale, a cidade de Shadyside funciona apenas como uma espécie de fazenda para possíveis sacrifícios.

Os assassinatos de Shadyside

Pastor de Union, Cyprus Miller foi o primeiro serial killer da maldição dos Goode

Josh, o irmão de Deena, é obcecado pela história mórbida de sua cidade, e isso ajuda a mapear tudo de ruim que ocorreu por lá. Depois de 1666, parece que houve um certo hiato em crimes de grandes proporções. Na parede de Josh, é possível observar os relatos de um massacre ocorrido em 1890, com o assassino recebendo o nome de Fazendeiro da Morte.

Durante a Parte 3, porém, Deena revela que, depois do pacto original que condenou Cyrus Miller, foi o filho de Solomon Goode que assumiu o manto, e entregou a alma de Isaac Milton em 1904. O assassino ficou conhecido como The Grifter (ou algo como O Golpista, em tradução livre), conhecido por assassinar garotas e usar uma máscara de ferro. É possível vê-lo em uma cena rápida, em que afoga uma jovem no lago.

Pouco depois, em 1922, foi a vez de Billy Barker, garoto deformado que matou seus irmãos com um taco de beisebol. No jornal de Josh, é possível ver também o assassino chamado de Humpty Dumpty Killer, que desmembrava suas vítimas na Shadyside de 1935. Já na década de 1950, o possuído da vez foi Harry Rooker, o entregador de leite que matava donas de casa com uma navalha entre os anos de 1950 e 1953. A década seguinte teve um de seus mais famosos casos: Ruby Lane. A jovem de 16 anos, possuída pelo demônio, matou seu namorado e seus amigos, tudo enquanto cantava. Para tentar se livrar do controle de Satã, Lane cortou seus pulsos logo em seguida.

Alguns anos depois, em 1978, a mãe de Ruby Lane era enfermeira no Acampamento Nightwing, e pesquisava sobre a maldição de Sarah Fier, para tentar encontrar uma justificativa para o surto da filha. Lá, descobriu que o monitor Tommy Slater estava destinado a virar mais um serial killer na história de Shadyside, e tentou matar o jovem antes que isso se realizasse. A enfermeira falhou, e Tommy acabou cometendo um massacre no acampamento, matando uma série de jovens e crianças com um machado.

Por fim, o último caso de possessão demoníaca na trama da trilogia é o ponto de partida de Rua do Medo 1994, quando o policial Nick Goode sacrifica o nome de Ryan Torres. Apenas um atendente de shopping, o jovem surta e sai matando todos os funcionários que cruzam o seu caminho, vestindo uma máscara de caveira. Como recompensa, Goode se tornou delegado de Shadyside, enquanto seu irmão virou o prefeito de Sunnyvale.

Em 1994, Ryan Torres foi o último serial killer de Shadyside antes de Deena acabar com a maldição

O fim da maldição – e o que vem pela frente

Após entender a farsa por trás do mito da bruxa Sarah Fier, Deena volta ao presente e mobiliza seus amigos para dar um basta na maldição. Para isso, ela arquiteta um plano que envolve distrair os espíritos que lhe perseguem, mas também matar Nick Goode e acabar com o pacto de uma vez por todas. Depois de uma intensa batalha final, ela consegue concluir seu objetivo, e Shadyside parece entrar no seu primeiro período de paz – mas, obviamente, não por muito tempo.

Lá em 1666, Solomon Goode só teve a ideia de fechar um pacto com o demônio após roubar o livro de uma bruxa de Union, que ensinava como performar o ritual. Nos momentos finais da trilogia, o artefato é apenas marcado como prova da cena do crime, quando a policia encontra o altar debaixo da casa dos Goode. A última cena, porém, mostra o livro sendo roubado por uma pessoa não identificada. A mensagem é clara: ainda há muito para acontecer. Considerando que o mais longe que a trama chegou foi em 1994, Shadyside ainda tem muita desgraça pela frente até chegar aos dias de hoje.

Cena final de Rua do Medo indica que ainda tem muita desgraça pela frente

Os três filmes de Rua do Medo já estão disponíveis na Netflix. Aproveite, e confira abaixo outros 10 filmes de terror para assistir caso tenha curtido a trilogia:

Imagem de perfil
sobre o autor Arthur Eloi

Repórter entusiasta de filmes ruins, jogos de tiro e de horror em todas as suas formas. Dá notas duvidosas para obras questionáveis • @ArthurEloi117