Capa da Publicação

Jon Bernthal, o Justiceiro da série da Netflix, comenta o uso indevido do símbolo do anti-herói

Por Evandro Lira

O anti-herói Justiceiro, da Marvel, esteve em evidência nos últimos dias, e não por causa de um lançamento da Casa das Ideias, e sim devido à conturbada invasão ao Capitólio dos Estados Unidos na semana passada.

Durante esse episódio, alguns dos invasores puderam ser vistos usando adesivos do Justiceiro em suas roupas. Isso levou Garth Ennis, um dos mais memoráveis e importantes escritores da história do Justiceiro, à tecer críticas ferrenhas a esses rebeldes. E agora, o protagonista da série live-action do personagem, Jon Bernthal, fez coro ao artista.

No Twitter, um fã publicou uma arte de Bernthal na pele do Justiceiro e disse: “Eu sou um fã do Justiceiro. Não importa quantos malucos roubem seu logotipo, continuarei sendo um fã do Justiceiro. Eles não entendem o que ele realmente simboliza. Se o fizessem, não o usariam. E eu não vou deixar que tirem isso de mim.”

Captura de tela do Twitter de Jon Bernthal

Em resposta, Jon Bernthal elogiou o trabalho do fã e defendeu seu ponto de vista:

“Estou contigo. Belo trabalho. Essas pessoas estão equivocadas, perdidas e com medo. Eles não têm nada a ver com o que Frank representa ou defende.”

Jon Bernthal deu vida a Frank Claste em duas temporadas da série da Netflix, mas infelizmente o programa foi cancelado antes que o ator pudesse interpretar o personagem uma terceira vez. Recentemente, o ator expressou seu interesse em voltar à viver o personagem em um possível revival da série pela Marvel Studios. Segundo ele, “ainda há esperanças”.

E aí, o que você pensa sobre toda essa história envolvendo o símbolo do Justiceiro? Comente!

Fique com:

Imagem de perfil
sobre o autor Evandro Lira

Editor, bacharel em Cinema e Audiovisual, bruxo nascido trouxa, filho dos filhos do átomo, mestre dos quatro elementos, fã de mais coisas do que deveria, frequentemente falando sozinho no Twitter. Segue: @evandroslira