Capa da Publicação

Josh Trank, diretor de Quarteto Fantástico, foi impedido de escalar atriz negra para Sue Storm

Por Raphael Martins

Poucos filmes de super-heróis tiveram uma produção tão conturbada quanto Quarteto Fantástico, filme de 2015 dirigido por Josh Trank (Poder Sem Limites). O longa foi vítima de duras críticas e fracassou espetacularmente nas bilheterias mundiais, se tornando infame entre os fãs.

O próprio Josh Trank já disse por diversas vezes que os executivos da 20th Century Fox interferiam constantemente em seu trabalho, transformando o resultado final numa verdadeira colcha de retalhos, convoluta e bagunçada. Mas não foi por falta de tentativa do diretor, que tornou a falar sobre o assunto em uma entrevista recente, revelando que foi impedido de escalar uma atriz negra para viver Sue Storm.

Veja também:

Chris Evans conta por que aceitou o papel de Tocha Humana em Quarteto Fantástico

Fonte confiável diz como X-Men e Quarteto Fantástico serão introduzidos no UCM

Diretor de Quarteto Fantástico dormiu armado após ter escalado Michael B. Jordan

Ao site Geeks of Color, o diretor revelou seu desejo de contratar uma atriz negra para interpretar Sue Storm, o que faria sentido, uma vez que seu irmão Johnny Storm era vivido por Michael B. Jordan no filme. Segundo ele, a Fox estava muito mais preocupada em considerar uma atriz branca famosa do que apoiar sua visão do projeto:

“Houve muitas discussões controversas que aconteceram por trás das cenas sobre isso. Eu estava muito interessado em uma Sue Storm negra, assim como Johnny Storm e Franklin Storm negros. Mas quando você está lidando com um estúdio e um filme enorme como este, todo mundo quer manter a mente aberta sobre quem serão as grandes estrelas. Tipo, ‘Bem, talvez seja a Margot Robbie ou algo assim.’ Mas quando chegou a hora, eu encontrei uma rejeição bem pesada sobre contratar uma atriz negra para aquele papel.

 

Quando eu penso nisso, eu deveria ter apenas ido embora quando esse tipo de compreensão me atingiu, me sinto envergonhado por não ter feito isso apenas por princípios, porque esses não são os valores pelos quais eu dito minha vida. […] Eu sou alguém que está sempre falando sobre defender o que eu acredito, mesmo que isso signifique queimar minha carreira, e me sinto mal por não ter levado esse assunto à sério. Sinto que falhei nisso, mas aquela foi uma situação estranha e infeliz. Não sei como descrever isso.”

Ainda sobre esse assunto, Josh Trank confessou que seu maior arrependimento foi não ter brigado com o estúdio o suficiente para que sua visão fosse respeitada. Ao que parece, as brigas pelo Quarteto Fantásticoe as interferências do estúdio, já estavam acontecendo antes mesmo do filme ser filmado.

Fique com nossa lista de diretores que poderiam comandar o Quarteto Fantástico no MCU:

Imagem de perfil
sobre o autor Raphael Martins

Redator, apresentador e roteirista. Gosto de longas caminhadas na praia, Star Wars, tokusatsu, anime e filé com batata frita. Deixo as pessoas constrangidas. Você pode trocar uma ideia comigo no Twitter: @aqueleraphael