Capa da Publicação

Pixar: Todos os filmes do estúdio, do pior ao melhor

Por Gabriel Mattos

Desde o lançamento de Toy Story em 1995, os filmes da Pixar são sinônimo de excelência em animação 3D. O estúdio carregou sozinho a evolução dos desenhos da Disney por anos com histórias tocantes, trazendo temas muitas vezes maduros, com uma linguagem tão acessível que todo mundo consegue entender.

A Pixar entrega emoção como ninguém. Se você está procurando um filme para se conectar, pode apostar que quase toda criação do estúdio vai te conquistar. Para te ajudar a organizar sua maratona no Disney+, eu classifiquei todos os filmes do estúdio nessa lista.

Lembrando que todos os filmes são muito bons, então uma classificação baixa não é nenhum demérito. Sem mais delongas, confira os filmes da Pixar, do pior ao melhor.

Imagem de capa do item

Carros 2

Eu gostaria muito de dizer que não existe filme ruim da Pixar, mas infelizmente Carros 2 existe. Esse filme renegou tudo que seu antecessor fez de bom numa tentativa desesperada de vender mais brinquedos. Criam-se mais carros, troca-se o cenário a cada vinte minutos, mas se esquece a verdadeira mensagem da franquia: a importância de se conectar com os outros para prosperar em conjunto.

Imagem de capa do item

Universidade Monstros

Não é que Universidade Monstros seja um filme ruim, ele só não é bom. O longa faz um excelente trabalho em atualizar a animação dos monstros mais carismáticos da Disney, mas falha em acrescentar argumentos interessantes aos temas explorados em Monstros S.A. Acaba sendo como um brinquedo nostálgico, que você brinca um pouquinho e logo esquece que existe.

Imagem de capa do item

Procurando Dory

Muitas histórias da Pixar são contidas em si mesmas e não necessitam de continuação. Ainda assim, seus personagens são tão carismáticos que é quase um crime privá-los de mais tempo de tela. Procurando Dory fica nesse limbo de personagens magnéticos com uma narrativa rasa. A Pixar acaba explorando com mais nuances os dramas da memória em filmes posteriores como Viva - A Vida é Uma Festa.

Imagem de capa do item

O Bom Dinossauro

Provavelmente um dos filmes da Pixar com os cenários mais estonteantes já produzido. Pena que seu protagonista não tenha um pingo de carisma. A premissa de O Bom Dinossauro é uma versão condensada de Rei Leão e a ideia era explorar novas possibilidades de desenvolvimento. O resultado é um filme bem morno que dificilmente vai prender o público mais velho.

Imagem de capa do item

Toy Story - Um Mundo de Aventuras

Toy Story — Um Mundo de Aventuras é uma ótima introdução a série mais influente da Pixar. Esse longa revolucionou o mercado de animação 3D e merece todo o mérito por isso, mas a cada sequência as aventuras de Woody e Buzz ficaram melhores e mais ousadas. Dito isso, Toy Story acaba sendo provavelmente o filme mais fraco da saga, o que por si só é um feito e tanto.

Imagem de capa do item

Valente

A história da princesa que não queria ser princesa. Com certeza Valente foi revolucionário para a Pixar, explorando com maturidade e irreverência o sexismo inerente do período viking. Além disso, esse filme é essencial para manter alguma coesão na Teoria Pixar — que conecta a narrativa de todos os filmes do estúdio em um único universo.

Imagem de capa do item

Toy Story 2

Depois de vermos Buzz e Woody brigar pela atenção de Andy no primeiro filme, Toy Story 2 põe a amizade da dupla à prova mais uma vez quando o vaqueiro é sequestrado por um colecionador de brinquedos. O humor da Pixar se mostra ainda mais refinado neste longa, revelando um lado cômico curioso de Buzz Lightyear. Para completar, temos ainda a introdução de personagens inesquecíveis da franquia — Jessie e Bala no Alvo.

Imagem de capa do item

Ratatouille

“Les rêves des amoureux…” Ratatouille pode não ser um musical, mas difícil não lembrar daquela agradável música francesa quando pensamos no filme. Como uma refeição bem balanceada, a história de como Remy revolucionou a culinária ao seguir os seus sonhos satisfaz todos que provam o seu inegável charme. O único problema da satisfação é que não te faz ansiar por mais.

Imagem de capa do item

WALL·E

Ousado e por vezes mal compreendido, WALL·E é uma joia rara com um tom ligeiramente pretensioso. A saga de um robôzinho ecológico em um Planeta Terra devastado levou os roteiristas do estúdio ao seu limite para entregar um filme bastante visual, com pouquíssimas falas. A mensagem é ótima, a entrega é sofisticada e, apesar de não ser um filme para todos, WALL·E é com certeza uma das criações mais comoventes da Disney.

Imagem de capa do item

Os Incríveis

O Quarteto Fantástico que se prepare quando chegar na Marvel Studios, pois o título de primeira super-família da Disney já tem dono. Os Incríveis sabe usar como ninguém suas ameaças de escala mundial para investigar a intimidade das relações familiares. O melhor do filme é a dinâmica sincera entre os super-heróis, que brilham tanto em combate quanto fora deles. Uma experiência verdadeiramente incrível!

Imagem de capa do item

Os Incríveis 2

O tempo passou e as dinâmicas familiares foram mudando, mesmo que lentamente. Os Incríveis 2 vem para mostrar que mesmo que as coisas estejam diferentes, o amor de família é sempre igual. O charme do primeiro filme mostra sinais de cansaço na continuação, mas esse longa mostra o seu valor ao acrescentar tópicos bem relevantes à discussão: o peso da jornada dupla das mulheres e a dependência de telas virtuais na sociedade contemporânea.

Imagem de capa do item

Monstros S. A.

Um universo dominado por monstros onde sua principal fonte de energia é o grito de criancinhas inocentes? Essa premissa tinha tudo para ser um filme aterrorizante, mas a magia da Pixar transformou Monstros S.A. em um dos maiores clássicos infantis. O melhor do longa é como ele equilibra bem os momentos de humor do Mike Wazowski com a relação delicada de Sully e Boo. É para fazer qualquer marmanjo chorar!

Imagem de capa do item

Procurando Nemo

“P. Sherman 42 Wallaby Way Sydney.”

O fato de que essa frase sem nenhum significado especial ficou gravada em nossas mentes por todos esses anos é um atestado da qualidade de Procurando Nemo. As aventuras de Dory e Marlin pelos oceanos, rumo à Austrália, é um grande road movie submarino cheio de personagens carismáticos e momentos inesquecíveis. Se eu for parar para listar cada um, não terminamos essa lista hoje: como o encontro com tubarões veganos, ou o campo de águas-vivas, e tem também a Dory falando baleiês e…

Imagem de capa do item

Carros 3

Chegamos em um ponto da lista que os filmes tem uma qualidade tão absurda que fica difícil até mesmo compará-los. Depois do fiasco que foi Carros 2, ninguém parecia muito animado para mais um filme da aposta mais errada da Pixar.

Apesar de tudo, Carros 3 mostrou entender com maestria a essência da saga e proporcionou uma conclusão épica para a jornada de Relâmpago McQueen. Surpreendentemente uma das narrativas mais melancólicas da Pixar, trazendo a inevitável conclusão de que os grandes clássicos precisam abrir espaço para a nova geração.

Imagem de capa do item

Carros

Engana-se quem acha que Carros é apenas um filme sobre criaturas automobilísticas sencientes. Na verdade, essa é uma longa jornada sobre a descoberta da humildade. Pense no arco que o Homem de Ferro concluiu depois de meia dúzia de filmes… Relâmpago McQueen é mais rápido que um foguete para aprender as mesmas lições em Carros. Deixe a música te embalar e acelere nessa deliciosa história de redenção.

Imagem de capa do item

Toy Story 3

Desde seu lançamento, Toy Story 3 foi um verdadeiro soco no estômago dos fãs de animação. Muitos cresceram assistindo os filmes da franquia e essa história final, a despedida de Andy que adentrava a vida adulta, tocou na ferida de uma geração que não estava pronta para seguir em frente. Obviamente, o choro nas salas de cinema foi generalizado. Certamente um filme que marcou a história da Pixar.

Imagem de capa do item

Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica

Dois Irmãos pega um conceito super saturado — o mundo mágico da fantasia medieval — e traz sua própria interpretação. Mais um filme sobre família, dessa vez com os irmãos Ian e Barley Lightfoot, mas o escopo reduzido ajuda o longa a se aprofundar como nenhum outro na intimidade dessa relação. Entre referências a Dungeons & Dragons e feitiços dando errado, os irmãos aprendem a dividir com sinceridade as dores de crescer sem o pai.

Imagem de capa do item

Vida de Inseto

Vida de Inseto é uma daquelas produções que testa o limite de quão longe a Pixar consegue ir conceitualmente sem deixar de contar uma boa história. O que parece uma inocente fábula sobre uma formiga criativa é um refinado ensaio sobre consciência de classe, revolução industrial e colonialismo. Graças a momentos geniais de comédia e personagens divertidíssimos, acabamos aprendendo bastante enquanto damos boas risadas.

Imagem de capa do item

Divertida Mente

Provavelmente o filme mais importante feito pela Pixar, especialmente na nossa sociedade atual onde a falsa felicidade das redes sociais está sempre mirando na nossa saúde mental. Divertida Mente traduz temas sérios e complexos em uma linguagem leve e colorida que vai ajudar muita criança a não virar um adulto frustrado quando crescer. Você começa assistir achando que é só um filme e acaba recebendo uma verdadeira sessão de terapia.

Imagem de capa do item

Soul

O mais recente filme da Pixar é um tapa necessário para nos lembrar de viver a vida plenamente. Soul explora o lado filosófico da morte embalado com o melhor da música negra americana. A narrativa mira no desânimo da vida adulta, mas de alguma forma consegue entreter também os pequenos. Mais um projeto do estúdio que reúne o melhor de dois mundos.

Imagem de capa do item

Toy Story 4

Você achou que Toy Story tinha acabado no terceiro filme da franquia? Engano seu, amigo. A Disney sabia que depois daquele desfecho dramático havia pelo menos mais uma história para se contar: como aprender a desapegar.

O enredo de Toy Story 4 ecoa o sentimento dos fãs da franquia que precisavam de um alento para seguir em frente. Se uma história magnífica com animação de ponta e uma fotografia de tirar o fôlego não foram o suficiente para acalmar o coração dos fãs, nada mais vai.

Imagem de capa do item

Viva - A Vida é uma Festa

Dessa vez a Pixar resolveu mergulhar na riqueza cultural da América Latina para produzir o seu musical mais empolgante. Viva - A Vida é Uma Festa, ou apenas Coco no original, fala sobre morte do jeito alegre e otimista que só o povo latino conhece. Mas ao mesmo tempo, fala sobre ancestralidade, paixão e memória.

Tradição é um tópico intrigante a ser explorado por um estúdio conhecido por sua revolução. Miguel, o protagonista da história, é apaixonado por música, mas nasceu em uma família que foi arruinada por ela. Sua jornada através do legado mexicano desagua em uma das cenas mais comoventes da história do cinema.

Up - Altas Aventuras

Talvez o verdadeiro trunfo da Pixar seja histórias sobre velhinhos fofinhos, afinal. Up - Altas Aventuras, mostra o ranzinza Carl Fredricksen tentando honrar a memória de sua falecida esposa. E de pouquinho em pouquinho, vemos seu coração sendo conquistado pelo atrapalhado escoteiro Russel e o adorável cãozinho Dug. Mesmo sendo um filme carregado de um espírito muito aventuresco, como o próprio nome diz, Up tem diversas cenas tocantes onde sentimos na pele a dor da perda e a saudade que Carl tem de suportar. Pode até ter sido um dos primeiros filmes que te fez chorar quando criança.

O fato é que Up resume bem toda experiência da Pixar: personagens carismáticos, uma história empolgante e uma mensagem comovente apresentada no que há de melhor na indústria de animação. Uma verdadeira obra-prima!

Imagem de perfil
Gabriel Mattos

Editor, repórter correspondente de Wakanda, caçando Pokémon por onde eu vou! Sempre nas lives da Legião! • @gabeverse