Capa da Publicação

Clube da Luta: Autor do livro reage ao final censurado do filme na China

Por Junno Sena

Não é novidade que, com as leis de censura da China, algumas produções acabam sofrendo cortes ou, até mesmo, são banidas do país. Mas, o assunto ganhou uma dimensão diferente quando Chuck Palahniuk, autor do livro Clube da Luta, descobriu que o final de sua história foi censurado e ficou completamente diferente no país. Para a surpresa de todos, ele gostou da alteração.

Diferente da conclusão sombria e a contemplação dos prédios sendo destruídos, no relançamento da versão chinesa de Clube da Luta, de David Fincher sobe um crédito explicativo antes de tudo isso acontecer, dando um novo contexto para a história do protagonista:

“Graças a pista dada por Tyler, a polícia rapidamente descobriu todo o plano e prendeu os criminosos. Prevendo a bomba de explodir. Após o julgamento, Tyler foi enviado a um asilo para receber tratamento psiquiátrico. Ele foi liberado do hospital em 2012.”, diz o letreiro concluindo a versão chinesa do filme.

Divulgada pela Bloomberg, o conteúdo deixou os fãs da produção confusos, mas permitiu que o autor do livro encontrasse uma nova interpretação para sua história. Uma que levasse em conta o sistema carcerário e a forma como o governo trataria o transtorno psiquiátrico de Tyler.

“Vocês viram essa m*rda? Isso é SUPER maravilhoso! Todos conseguem um final feliz na China”, Palahniuk fez piada do assunto no Twitter.

O corte não foi exclusividade de Clube da Luta. Em O Senhor das Armas, filme com Nicolas Cage, os últimos trinta minutos de filme foram substituídos por um letreiro dizendo: “Yuri Orlov confessou todos os seus crimes e foi declarado culpado em corte, sentenciado a prisão perpétua”.

Mesmo com as censuras, os cortes não passaram despercebidos pelo público chinês. Na plataforma similar ao Twitter, o Weibo, um usuário comentou: “Quando te dizem que o herói de Um Sonho de Liberdade terminou preso, que não há explosão em Clube da Luta e que Nicolas Cage foi preso, você passa a questionar se suas memórias existem de verdade”.

Cena final de Clube da Luta

A distribuidora oficial do filme na China, Tecent Video, não se retratou sobre o assunto, mas parece que a mudança incomodou Palahniuk menos do que o público esperava.

Os debates ao redor da censura na China tem ganhado ainda mais força nos últimos meses. Com a implementação de novas leis para regularizar a cultura de idols, produções LGBT+ nas televisões e outras diretrizes, o público têm ficado de olho no que tem acontecido na cultura chinesa.

Continue lendo:

Imagem de perfil
sobre o autor Junno Sena

Pós graduando em Antropologia com o raio problematizador ligado no 120. Assiste filme trash para relaxar e dorme cantarolando a trilha sonora de A Hora do Pesadelo. Blaxploitation na veia e cinema coreano no coração. Atualmente mora em Petrópolis, RJ.