Capa da Publicação

Better Call Saul é melhor do que Breaking Bad? O porquê você deve dar uma chance para a série

Por Jaqueline Sousa

Breaking Bad faz parte de um seleto grupo de séries que modificaram significativamente a forma como os telespectadores se relacionam com esse tipo de mídia. Criada por Vince Gilligan, a história do professor de química Walter White (Bryan Cranston) revolucionou não somente a televisão norte-americana, mas o universo das séries como um todo.

É por isso que, após o término da produção, em 2013, logo surgiu a oportunidade de continuar expandindo o universo de Breaking Bad com a série prequel Better Call Saul. Desta vez, os holofotes foram parar em Saul Goodman (Bob Odenkirk), o advogado interesseiro e brincalhão que aparece na produção original.

Com criação de Vince Gilligan e Peter Gould, Better Call Saul mantém uma excelente consistência de qualidade desde a primeira temporada, chegando a ser melhor do que sua antecessora em diversos aspectos. Caso você ainda tenha um pé atrás em relação à produção, aqui estão alguns motivos que podem te fazer mudar de ideia para aproveitar essa fantástica obra-prima da TV!

Qual é a história da série?

Better Call Saul é um spin-off de Breaking Bad que conta a história do advogado Jimmy McGill, que é interpretado brilhantemente pelo ator Bob Odenkirk, antes dele se tornar o famigerado Saul Goodman. Logo, a série se passa antes dos eventos narrados na trama de Walter White e Jesse Pinkman (Aaron Paul), a dupla (quase) imbatível da produção original. Ainda assim, o programa também traz algumas situações que acontecem depois do final de Breaking Bad.

No enredo de Better Call Saul, acompanhamos Jimmy seis anos antes dele conhecer White e Pinkman. Na época, ele era apenas um advogado de causas menores que tentava aprimorar a vida financeira. Enquanto isso, McGill também cuidava do irmão mais velho – e um advogado bem-sucedido – Chuck (Michael McKean), que estava enfrentando um problema de saúde mental no período.

É seguindo essa narrativa que a produção vai apresentando, aos poucos, as diversas facetas e o passado de Jimmy McGill/Saul Goodman, assim como suas estratégias e falcatruas para conseguir se dar bem na vida. 

Quem está no elenco?

Pôster da série Better Call Saul.

Além dos rostos novos, Better Call Saul também conta com personagens de Breaking Bad.

Quem assistiu Breaking Bad, provavelmente vai reconhecer alguns dos rostos presentes em Better Call Saul. Além de ter Bob Odenkirk reprisando seu papel como o advogado trambiqueiro, o programa também conta com o retorno de Jonathan Banks, o intérprete de Mike Ehrmantraut, e Giancarlo Esposito, que viveu o criminoso Gus Fring na série original.

Mas a produção não trouxe somente os personagens incríveis de Breaking Bad: a atriz Rhea Seehorn também brilha no spin-off como a advogada Kim Wexler, e o ator Charles McKean, que interpreta o irmão mais velho de Jimmy, é mais um nome de peso no elenco.

Outros destaques são Patrick Fabian como o advogado Howard Hamlin, Michael Mando como Nacho Varga e Tony Dalton como Eduardo “Lalo” Salamanca. Além deles, há a volta de membros conhecidos da família Salamanca, como Mark Margolis reprisando o papel como Hector Salamanca e Raymond Cruz como Tuco Salamanca

Entre as participações especiais, a quinta temporada de Better Call Saul também contou com a volta de Dean Norris como o agente da DEA Hank Schrader. E, para a alegria dos fãs, Bryan Cranston e Aaron Paul já estão confirmados para aparecer em algum momento da sexta e última temporada da série como Walter White e Jesse Pinkman, respectivamente (via Variety).

Por que dar uma chance para a série?

Bob Odenkirk como Jimmy McGill em Better Call Saul.

A transformação de Jimmy McGill em Saul Goodman é feita de forma sútil na série.

Agora que você já tem um panorama geral do que vai encontrar em Better Call Saul, chegou o momento de entender os motivos que a tornam tão incrível quanto Breaking Bad e fizeram com que muitos fãs a achassem superior à antecessora.

Se você é um serienático de carteirinha, sabe que séries sobre advogados não são uma coisa totalmente inovadora hoje em dia. Basta lembrarmos da clássica Law & Order, How to Get Away with Murder e Suits, por exemplo, só para citar algumas. Então, qual é diferencial de Better Call Saul?

Ao contrário de outras produções do gênero, o que torna a derivada de Breaking Bad tão instigante é o próprio protagonista, Jimmy McGill. Desde o princípio, sabemos que ele não é um advogado comum: tudo o que McGill quer é se tornar bem-sucedido, nem que precise apelar para métodos controversos no caminho.

O personagem está disposto a quebrar qualquer juramento ou ignorar legislações para se dar bem, não importa qual seja o estrago que aquilo cause. Por mais que o telespectador entenda os conflitos e as contradições em que ele se coloca, o bom coração de Jimmy não consegue ultrapassar a tentação de uma boa quantia em dinheiro, que quase sempre é arrecadada por meios ilegais. 

Isso nos leva a outro motivo que torna Better Call Saul tão incrível: a construção e desenvolvimento dos personagens ao longo das temporadas. Tudo é muito sútil: a circunstância do surgimento do nome “Saul Goodman”, por exemplo, é tratada com tanta naturalidade que nem parece assumir a grande importância que terá no futuro do personagem. 

Jonathan Banks como Mike Ehrmantraut e Bob Odenkirk como Jimmy McGill sentados em um banco.

O desenvolvimento dos personagens de Better Call Saul é um dos pontos altos da série.

A transformação de Jimmy no infame advogado é feita de forma minuciosa, algo que chega a ser superior a forma como Walter White foi se tornando o temível Heisenberg em Breaking Bad. Além disso, apesar de ambas trazerem a figura de um anti-herói como protagonista, McGill revela ter intenções melhores do que o professor de química, que só estava em busca de alimentar o próprio ego durante a construção de seu império de metanfetamina. 

E esse ótimo desenvolvimento de personagem não fica apenas nas mãos de Jimmy: praticamente todos os coadjuvantes são bem construídos. As menções honrosas vão para Chuck McGill, a construção de sua doença mental e o relacionamento conturbado com o irmão mais novo; a relação do protagonista com a advogada Kim Wexler; o passado de Mike Ehrmantraut e toda a complexidade envolvendo Gus Fring.

Muito dessa excelência vem da própria equipe por trás da série, como os criadores Vince Gilligan e Peter Gould, que também esteve na produção de Breaking Bad. Ambos dominam todo o universo criado por eles em Better Call Saul e também parecem mais maduros no desenvolvimento da trama.

Esses são apenas alguns dos vários motivos que garantiram um alto índice de qualidade e relevância à série derivada da história de Walter White. Se você se considera um grande fã de Breaking Bad, certamente não vai se arrepender em dar uma chance para Saul Goodman. 

Onde assistir?

Rhea Seehorn como Kim Wexler e Bob Odenkirk como Jimmy McGill em Better Call Saul.

Better Call Saul está disponível na Netflix.

Finalmente ficou curioso para assistir a Better Call Saul? Você pode encontrar as cinco temporadas completas da série (cada uma com 10 episódios de duração entre 40-60 minutos) disponíveis na Netflix

Já a sexta e última temporada da produção terá o total de 13 episódios, que serão divididos em duas partes. A primeira estreou no dia 18 de abril, no canal norte-americano AMC, com dois episódios, que já estão disponíveis no serviço de streaming. A segunda parte está com data marcada para estrear em 11 de julho.

Vale ressaltar que os episódios de Better Call Saul são lançados semanalmente. 

Você já assistiu a Better Call Saul ou pretende ver a série algum dia? Acha que ela chega aos pés de Breaking Bad? Deixe sua opinião nos comentários!

Aproveite também:

Imagem de perfil
sobre o autor Jaqueline Sousa

Jornalista. Apaixonada por cinema, música e literatura. | @jqlnsss