Gavião Arqueiro 1×04: Parceiros, Certo?

Capa da Publicação

Gavião Arqueiro 1×04: Parceiros, Certo?

Por Leo Gravena

O novo episódio de Gavião Arqueiro poderia facilmente ser descrito como uma “fanfic” escrita por fãs, cheio de momentos que espelham os de Vingadores: Ultimato e a própria história de Clint Barton e Natasha Romanoff, além de ter momentos mais calmos e divertidos com o Vingador e Kate Bishop. Sem desmerecer as fanfics – algumas são até melhores que o que vemos na história original – o quarto episódio de Gavião Arqueiro, contudo, consegue fazer tudo isso de uma forma tão natural e excelente, que cada um dos clichês de Natal e referências funcionam muito bem e só agregam à essa história.

“Parceiros, Certo?” é cheio de momentos calmos, mas nem um pouco leves. O episódio começa exatamente de onde o anterior para, com Clint encontrando Jacques Duquesne, que está usando a espada do Ronin. A conversa entre Kate, Clint, “Jack” e Eleanor é um momento bastante interessante, e a maneira como a Bishop deixa claro que não quer que sua filha termine como Natasha é excelente. A personagem também está muito presente no episódio, quase como um prenúncio de que Yelena está prestes a chegar.

Uma reunião familiar bem desconfortável.

O pessoal do LARP volta nesse episódio de uma forma bem mais divertida e interessante – realmente tendo um propósito dessa vez – e as interações deles com a Kate são excelentes, e deixam claro como a personagem é muito mais carismática que o Gavião Arqueiro de Clint Barton quando o assunto é lidar com o público. A ideia de que eles irão fazer os trajes usados por Clint e Kate (provavelmente na batalha final) também é bem interessante e mostra que trajes heroicos não surgem do nada como o MCU sempre sugeria no passado.

O momento em que Kate leva uma árvore de Natal para o apartamento e ela e Clint conversam sobre o momento em que ele conheceu Natasha prova que quando o assunto é séries, o ponto alto de quase todas as produções da Marvel sempre são os diálogos que mostram as ideologias e personalidade daqueles personagens.

Ao tentar ser “filmes do MCU com 6 horas divididos em episódios” as séries da Marvel Studios acabam perdendo um pouco quando o assunto são os momentos de respiro das séries, quando os personagens estão apenas conversando e discutindo sobre seus problemas e vidas – basta lembrar de Demolidor e todos os momentos excelentes que são apenas Matt se confessando, ou da conversa entre ele e o Justiceiro no telhado durante a segunda temporada.

Com “WandaVision” e “Falcão e o Soldado Invernal” tivemos mais do que apenas uma cena rápida onde os personagens conversam e falam sobre o que está acontecendo em suas vidas, mas com Gavião Arqueiro o que vemos aqui é uma divisão muito boa entre os momentos de ação e investigação com os de diálogo, o que faz com que toda a construção de Kate Bishop seja ainda melhor e que o espectador finalmente consiga se interessar pelo Gavião Arqueiro depois do herói passar tanto tempo sendo deixado de lado.

Conversa entre Kate e Clint sobre Natasha e Ronin é um momento excelente do episódio

Outra parte bastante interessante foi ver mais de Linda Cardellini como Laura Barton, a esposa de Clint, sendo bastante útil, conseguindo informações sobre a Gangue do Agasalho e até mesmo falando outras línguas, o que já anda gerando teorias de que ela possa ser uma agente da S.H.I.E.L..D. aposentada…

Mistérios sobre o relógio à parte – honestamente nem consigo formular uma teoria sobre o que ele pode significar, então não deixem de colocar as suas nos comentários! – a cena de luta no final do episódio foi excelente em um nível que é quase impossível de se descrever. Assistir Clint desesperado ao ver Kate caindo do prédio, e todas as semelhanças com a morte de Nat, é de partir o coração, mas a luta tripla contra Eco e Yelena é outro ponto alto da série.

Já sobre toda a dinâmica entre Kate e Yelena, é muito interessante notar como o episódio deixa claro que ambas terão uma relação importante no futuro do MCU apenas com uma cena. Toda a conversa entre Kate e Clint sobre “a flecha não atirada” é colocada ali para mostrar que as duas personagens possuem mais pela frente, talvez até mesmo como uma nova dupla de Gaviã Arqueira e Viúva Negra.

A participação de Yelena, mesmo rápida, é muito boa e somente ver Florence Pugh em tela é um deleite. Com dois episódios para o fim da série, é certo que muita coisa ainda vai acontecer, inclusive a aguardada participação de um grande chefão do crime que possui ligação com a Eco.

Yelena Belova está de volta

Quais suas expectativas para os dois últimos episódios de Gavião Arqueiro? Não deixe de comentar!

Confira também todos os easter eggs e referências do episódio:

Imagem de perfil
sobre o autor Leo Gravena

Editor | @LeoGravena
Escrevo sobre cultura geek na internet desde 2012
"Don't look back -- the past is exactly where it belongs."