Missão Impossível 7: Paramount processa seguradora por perdas causadas pela pandemia

Capa da Publicação

Missão Impossível 7: Paramount processa seguradora por perdas causadas pela pandemia

Por Melissa de Viveiros

O filme Missão Impossível 7 foi um dos muitos que sofreram com a pandemia de COVID-19. Com lançamento originalmente agendado para o mês passado, a produção sofreu dois adiamentos, e só deve estrear no ano que vem. A Paramount Studios, responsável pelo projeto, havia feito um seguro no valor de $100 milhões de dólares para cobrir a disponibilidade de figuras centrais do filme. Agora, o estúdio está processando a seguradora, devido à divergências das partes quanto ao que a seguradora é responsável por cobrir em relação às paralisações ocorridas por causa da pandemia (via CBR).

O processo foi realizado na corte federal da Califórnia, e afirma que a seguradora Federal Insurance Company é a responsável por cobrir quaisquer perdas que a Paramount tenha sofrido devido à indisponibilidade de qualquer “pessoa coberta”. A questão central surgiu porque, dentro do contexto inesperado da pandemia, essa definição passou a ser muito ampla.

A situação teve início ainda em fevereiro de 2020, quando o filme teve suas gravações paradas devido a uma das “pessoas cobertas” ter pego COVID. Na época, a Federal pagou $5 milhões de dólares ao estúdio. O ponto principal do conflito, no entanto, se deu devido à determinação do governo italiano de paralisar as gravações devido à quarentena, algo que ocorreu poucas semanas após a pausa inicial. O processo diz:

“Finalmente, a Federal disputou que apenas parte das perdas reivindicadas pela Paramount estavam cobertas pelo Seguro. Especificamente, em 1 de julho de 2020, a Federal escreveu para a Paramount, declarando que iria pagar pelas perdas causadas pela doença da pessoa coberta em fevereiro de 2020, sujeita ao ajuste submetido das despesas do coberto. No entanto, a Federal declarou que a cobertura do elenco de $100,000,000 de dólares não estava disponível para as partes restantes das perdas da Paramount. A Federal alegou que as perdas da Paramount surgidas da pandemia, de ordens de autoridades civis e da necessidade de mitigação só poderiam ser cobertas pela cobertura do Seguro de Autoridade Civil, e que então todas as perdas estariam sujeitas a um único limite de responsabilidade de $1,000,000 de dólares.” 

Em outro ponto do texto, é indicado que a seguradora também menosprezou os riscos que a presença de pessoas infectadas teria nas gravações:

“Notavelmente, a Federal alega que não há evidências que estes membros do elenco e da equipe não poderiam continuar seu trabalho, apesar de estarem infectados com SARS-CoV-2 e apresentarem um risco inegável aos outros indivíduos envolvidos com a produção.”

Tom Cruise em Missão Impossível 7. Ator teria se exaltado com membros da equipe por não seguirem os protocolos de segurança da COVID-19 durante as gravações.

As gravações do filme voltaram a ser realizadas em julho do ano passado, sofrendo uma nova paralisação em outubro. Com isso, um novo adiamento ocorreu, com a Paramount notificando a Federal quanto ao depósito da cobertura por estes prejuízos, mas a seguradora não concorda que isso esteja dentro da cobertura que deve ao estúdio. É possível que esse caso seja apenas o primeiro do tipo, com outros estúdios seguindo por um caminho semelhante em relação aos seguros que receberam durante a pandemia.

Atualmente, Missão Impossível 7 tem lançamento programado para maio de 2022.

Fique com:

Imagem de perfil
sobre o autor Melissa de Viveiros

Graduanda em Letras na UFMG. || What is infinite? The universe and the greed of men. || @windrunning_