Capa da Publicação

Kang, o Conquistador é o próximo grande vilão do MCU? Tudo sobre o personagem nas HQs

Por Gus Fiaux

Loki é a mais recente produção do Universo Cinematográfico da Marvel, dando o pontapé inicial na grandiosa saga do Multiverso, que deve se desenvolver ainda mais nos próximos meses com o lançamento de Homem-Aranha: Sem Volta para CasaWhat If…? Doutor Estranho no Multiverso da Loucura. Porém, outra coisa bem grandiosa que a série sugere para o futuro é a presença de Kang, o Conquistador.

Nos quadrinhos, Kang é um grande inimigo dos Vingadores e do Quarteto Fantástico, um famoso tirano das linhas temporais, que busca estender sua dinastia por várias eras. O personagem será interpretado por Jonathan Majors no MCU e já temos um gostinho de suas próximas aparições, dando a entender que ele será o principal vilão da segunda temporada da série do Deus da Trapaça e de outras franquias da Casa das Ideias.

Neste artigo, apresentamos um pouco mais de quem é Kang, o Conquistador e tudo o que você precisa saber sobre esse antagonista poderoso!

Histórico nas HQs

Kang, o Conquistador apareceu pela primeira vez em Avengers #8, publicada em setembro de 1964. Como um inimigo dos Heróis Mais Poderosos da Terra, ele já se apresentou como um grande déspota temporal vindo do Século 30, pronto para governar o Século 20 e juntá-lo à sua dinastia. Entretanto, ele não contava com a resistência vinda dos Vingadores. O personagem foi uma criação de Stan Lee Jack Kirby.

Ao longo dos anos, Kang teve diversas participações em sagas e aventuras dos Vingadores e o Quarteto Fantástico – sempre aparecendo como uma grande ameaça para ambas as equipes. Em outras histórias, ele também enfrentou os X-Men e outros grupos heroicos da Marvel, mas suas histórias quase sempre refletiam na mesma estrutura de narrativa: ele vinha para o presente, causava o caos temporal e era derrotado pelos heróis do período.

Se você quer conhecer um pouco mais sobre Kang e suas várias facetas no Universo Marvel, é recomendado que procure pelo arco de histórias que compõe a Dinastia Kang. Aqui, temos um grande desenvolvimento do vilão e toda a ameaça que ele representa para a continuidade temporal da Casa das Ideias. Vingadores Eternamente é outra leitura altamente recomendável, já que mostra Kang se aliando aos Vingadores para derrotar Immortus.

Outra história bem impressionante do personagem está no primeiro volume de Jovens Vingadores e na saga A Cruzada das Crianças, onde conhecemos a versão mais jovem de Kang, o Rapaz de Ferro, e entendemos como ele foi de um herói honrado que renegava seu “eu futuro” até sua completa transformação nesse vilão temporal. É uma boa história que ajuda a contextualizar ainda mais o impacto desse antagonista.

Quem é Kang?

Kang, o Conquistador é uma das várias identidades de Nathaniel Richards, um cientista que nasceu no Século 30 e é descendente distante de dois grandes personagens da continuidade atual da Casa das Ideias: Reed Richards (o Senhor Fantástico) e Victor Von Doom (o Doutor Destino). No futuro, Nathaniel começou a fazer experimentos com as linhas temporais e com o próprio conceito do tempo, desenvolvendo uma forma de viajar pela realidade.

Em suas primeiras desventuras, Nathaniel viajou por vários períodos temporais para tentar encontrar seu lugar no mundo. Ele foi um faraó no Antigo Egito e também se tornou uma espécie de vilão frequente no Século 20, lutando contra os heróis da Marvel embora ainda não tivesse manifestado seu alter-ego de Conquistador. Posteriormente, ele assumiu esse papel e continuou enfrentando os Vingadores, indo ainda mais fundo no passado da equipe.

É um pouco difícil entender as histórias do personagem pois não há uma linearidade evidente nessas tramas. Em um arco, ele pode aparecer como sua contraparte mais velha e logo no seguinte, retornar mais jovem e sem ter vivido as experiências que viveu no arco anterior. Ele é um dos maiores vilões da Marvel, tendo ganhado muito destaque fora das HQs, principalmente na animação Os Vingadores: Os Super-Heróis Mais Poderosos da Terra.

É importante entender que Kang não está preso ao tempo como os demais personagens da Casa das Ideias – e por conta disso, ele não o vivencia da maneira que nós conhecemos. Ele é quase onisciente de sua própria consciência – basicamente, ele pode ter memórias de eventos que ainda não viveu. Além disso, ele é capaz de se “separar” de suas demais contrapartes temporais, de modo que pode alterar o destino de seus “eus” passados sem alterar seu futuro.

Variantes temporais de Kang

No MCU, dá-se a entender que as diferentes facetas de Kang, o Conquistador são, na verdade, Variantes – ou seja, versões vindas de outros universos do Multiverso, como se cada um fizesse parte de uma terra alternativa. Nas HQs, é um pouco diferente, já que todas as versões de Kang nada mais são que “recortes temporais” do personagem, como se cada um deles fizesse parte da história do mesmo personagem.

Kid Immortus e o Rapaz de Ferro são as versões mais jovens do personagem e são, em suma, figuras bondosas e que não querem se tornar vilões sombrios e sinistros. Rama-Tut é a identidade que ele assume quando viaja para o Egito Antigo, onde se torna um Faraó. Depois, ele vira o Centurião Escarlate, quando começa a assumir o lado mais vilanesco e tenta conhecer um de seus ancestrais (o Doutor Destino).

Eventualmente, ele se torna Kang, o Conquistador, um grande vilão capaz de dominar várias linhas temporais, ao mesmo tempo em que parte em busca de um reino unificado – Cronópolis, sua maior criação. Essa é a versão mais famosa do personagem, sendo a que mais enfrentou os Vingadores e outras equipes heroicas ao longo dos anos. Aos poucos, ele vai deixando a vilania de lado e se torna uma pessoa moralmente ambígua.

É assim que surge Immortus, o “sábio”. Depois de todas as conquistas de seu eu anterior, ele se torna alguém muito mais compenetrado em analisar e estudar a fluidez do tempo e como isso interfere diretamente em sua vida – apesar de ter uma boa cota de lutas e confrontos com os Vingadores. Eventualmente, ele se “separa” de Kang e se torna uma entidade diferente, e o Kang que conhecemos deixa de ser “destinado” a se tornar ele.

Se quer conhecer mais profundamente sobre as variantes de Kang, confira abaixo:

Poderes e habilidades

Apesar do visual assustador e de suas diversas habilidades tecnológicas, Kang não possui nenhum superpoder – ao menos, não como outros personagens da Marvel. Por ter nascido e sido criado no Século 30 (31 no MCU), ele vem de uma era onde os seres humanos já conseguiram fazer várias melhorias biológicas em sua própria espécie. Ou seja, ele possui uma longevidade estendida. Nas HQs, ele tem mais de 70 anos, mas aparenta ter pouco mais de 40.

Contudo, sua vasta gama de habilidades vem de seu intelecto genial, muito acima da média da população, mesmo no Século 30. Basicamente, ele foi o grande responsável por inventar a viagem temporal da forma como é utilizada nas HQs da Marvel, baseando-se em protótipos criados por seus ancestrais, como o Senhor FantásticoDoutor Destino. Ele também é treinado em várias técnicas de artes marciais e é um grande estrategista bélico.

Quanto às suas habilidades, boa parte delas deriva de sua armadura e equipamentos tecnológicos, construídas a partir de seu intelecto extraordinário. O traje permite que ele viaje no tempo sem dificuldades, podendo fluir entre as linhas temporais como nós fluímos entre o espaço geográfico próximo. Essa armadura possui alta resistência e é capaz de disparar rajadas de energia, além de possuir um avançado sistema de regeneração.

Além disso, a armadura também tem uma outra utilidade fundamental para o vilão, que é a capacidade de buscar e materializar armas guardadas em outras linhas temporais. Dependendo de cada circunstância, ele pode apenas “catar” armas armazenadas em suas bases temporais, que vão desde as mais primitivas lanças e espadas até machados ultratecnológicos e armas laser.

Kang no Universo Cinematográfico da Marvel

Se nos guiarmos pelo final da primeira temporada de Loki, já sabemos que Kang será uma das próximas (e grandes) ameaças do Universo Cinematográfico da Marvel. No último episódio, descobrimos que a pessoa que está por trás da criação da Agência de Variação Temporal é Aquele Que Permanece, que nada mais é que uma “Variante” do próprio Kang, o Conquistador.

O personagem é interpretado por Jonathan Majors, e embora o nome de Kang não seja mencionado em momento algum, já cantamos essa bola na hora em que o astro apareceu, já que ele tinha sido confirmado para o papel de Kang em Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania. Mas julgando pelo último episódio da temporada, não seria surpresa alguma se ele fosse introduzido como o principal vilão do segundo ano de Loki.

Aqui, descobrimos que Aquele Que Permanece criou a Linha Temporal Sagrada, unificando de vez o Multiverso, depois que suas Variantes (versões suas de outros universos) entraram em uma guerra sanguinária entre si. Ele até sugere que há uma versão “terrível” de si próprio que foi o principal responsável por ele tomar essa decisão, e fica no ar que ele está se referindo ao Kang que conhecemos das HQs.

Com essa apresentação deixada em aberto, fica a impressão de que o Conquistador será o “próximo Thanos” do MCU – ou seja, um vilão aterrorizante e assustador que vai ser o responsável por trazer o caos a vários heróis e equipes. Já sabemos que ele terá mais participações, mas não seria surpresa alguma se ele estivesse sendo construído como um vilão gigantesco que vai mostrar todo seu poder em uma próxima fase desse universo, talvez dando início às Guerras Secretas

Kang, o Conquistador pode ser apresentado de vez na segunda temporada de Loki.

Abaixo, fique com o que esperar da segunda temporada da série do Deus da Trapaça:

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux