Gavião Arqueiro: Série bate recorde de mortes em tela da Marvel

Capa da Publicação

Gavião Arqueiro: Série bate recorde de mortes em tela da Marvel

Por Jaqueline Sousa

Gavião Arqueiro é a série mais recente do Universo Cinematográfico da Marvel, tendo a primeira temporada disponível no Disney+. Apesar de ter sido uma produção menor e sem grandes reviravoltas na linha temporal do MCU, a trama conquistou um recorde intrigante: o de maior número de mortes em tela da Marvel.

A história de Clint Barton (Jeremy Renner) e Kate Bishop (Hailee Steinfeld), ao longo dos seis episódios da série, foi analisada pelo site Screen Rant. com o objetivo de contar quantas mortes ocorreram durante o desenvolvimento da trama. A conclusão: Gavião Arqueiro possui entre 50 e 55 mortes, ultrapassando o recorde de cerca de 35 mortes, em Homem de Ferro, de 2008.

Segundo a análise do site Screen Rant, Gavião Arqueiro tem entre 50 e 55 mortes.

No entanto, vale ressaltar que o Screen Rant não levou em consideração as diversas batalhas dos Vingadores, incluindo invasões alienígenas, ataques de robôs ou até mesmo a luta contra Thanos, que dizimou metade da população no universo. Tais batalhas não foram consideradas na análise, o que deixa Gavião Arqueiro como a mais sanguinolenta do MCU.

O que explica o recorde de Gavião Arqueiro? Assim como o flashback do suposto Ronin massacrando alguns mafiosos, certamente, a luta no Rockefeller Center, presente na conclusão da série, contribuiu para que a produção quebrasse o recorde de mortos.

Ainda que não mostrasse ninguém morrendo de fato, a batalha contou com diversas das flechas que possuíam efeitos perigosos e possivelmente letais. Para aumentar o número de corpos, no mesmo episódio vimos o Espadachim usando sua espada para derrubar os membros da Gangue dos Agasalhos, o que resultou em mais acidentes.

Todos os episódios de Gavião Arqueiro já estão disponíveis na plataforma do Disney+.

Aproveite também:

Imagem de perfil
sobre o autor Jaqueline Sousa

Jornalista. Apaixonada por cinema, música e literatura. | @jqlnsss