Capa da Publicação

X-Men: Bryan Singer, diretor do filme, teria oferecido sexo em troca de papéis

Por Cristiano Rantin

Recentemente inúmeras informações sobre os bastidores de X-Men: O Filme estão sendo reveladas. Além de  brigas com Bryan Singer, o diretor, que quase fez com que o elenco debandasse da produção, uma nova acusação surgiu: Singer teria oferecido sexo em troca de papéis no filme.

Segundo o site The Hollywood Reporter, diversos homens, alguns que inclusive eram menores de idade na época, acusaram o diretor desta conduta abusiva. Segundo eles, Singer prometia audições para o filme em troca de “favores sexuais”. De acordo com o site, foi assim que o ator Adam Robitel, o namorado de Singer na época, entrou para a figuração no filme.

The Hollywood Reporter afirma que suas fontes levantaram suspeitas sobre Alex Burton, ator que na época tinha 18 anos, e que interpretou Pyro no primeiro X-Men: “Ninguém se lembra como Burton, que não tinha nenhum trabalho anterior, foi escalado. Uma fonte conta que Burton havia dito ‘Marc [Collins-Rector] e Bryan criaram o papel para mim'”. Outra fonte considera estranho o fato de que Bryan pagou para que Burton voasse de Toronto para Los Angeles, um custo desnecessário para um ator novato e para um papel que só teve uma breve aparição no projeto.

Oito dias depois do lançamento de X-Men, Burton prestou queixa contra três amigos de Singer, incluindo Collins-Rector. O ator denunciou que havia sido drogado e estuprado pelos três, além de ser mantido preso contra sua vontade, sofrendo violência física, pelo período julho de 1999 e maio de 2000 (data que inclui a produção de X-Men: O Filme). Na acusação, Burton diz que Collins-Rector “ameaçava usar seu poder e influência na industria de entretenimento para impedi-lo de ter um emprego no ramo de entretenimento”.

Vale lembrar que, no segundo filme, Burton não retornou para interpretar Pyro. O personagem ganhou um imenso destaque, tendo Aaron Stanford como seu intérprete.

As acusações e suspeitas levantadas pelo THR não são novidades. Essa não é a primeira vez que Bryan Singer é acusado de conduta sexual imprópria, incluindo estupro, envolvendo menores de idade. Em 1997, dois garotos prestaram queixas, dizendo que Singer teria feito com que eles ficassem nus para uma cena de Apt Pupil. Em 2014, o diretor e seu amigo, Gary Goddard, foram acusados se abusar sexualmente de um rapaz de 17 anos, logo após a estreia de Superman: O Retorno.  Na época, Singer negou as acusações.

Até o momento Singer e sua assessoria não se pronunciaram sobre a reportagem do The Hollywood Reporter.

 

Imagem de perfil
sobre o autor Cristiano Rantin

Jornalista • Editor • Mestrando em Comunicação Social pela UEL • Twitter e Instagram: @Chris_Rantin • "Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"