Diretor fala sobre Poder Sem Limites 2 e Quarteto Fantástico

Capa da Publicação

Diretor fala sobre Poder Sem Limites 2 e Quarteto Fantástico

Por Gus Fiaux

Lançado em 2015, Quarteto Fantástico foi considerado um dos piores filmes do histórico da Marvel. Produzido pela Fox, o filme foi uma catástrofe desde as filmagens, com o diretor Josh Trank sofrendo influência direta do estúdio para mudar muitas coisas durante a produção. Com o lançamento do longa, Trank deixou claro que o corte que foi para os cinemas não era seu.

Abaixo, veja mais notícias relacionadas a Josh Trank:

Arte conceitual de Quarteto Fantástico mostra versão bizarra do Fantasticarro

Diretor de Quarteto Fantástico usa novo filme de Scorsese para desmerecer a Marvel

Tom Hardy é Capone em novo filme do diretor de Quarteto Fantástico, veja trailer

Agora, quase cinco anos após a estreia, Trank finalmente está envolvido em outro projeto. Em uma nova entrevista ao JoBlo, o diretor foi questionado a respeito de sua experiência traumática durante as gravações do filme. De acordo com ele, os planos originais tinham sido bem diferentes, e refletiam seu estado de espírito na produção:

“O fim de ‘Quarteto Fantástico’ iria organicamente introduzir a aventura, a bizarrice e a diversão. Isso seria o mote para uma sequência. Claro, a continuação seria algo como: ‘OK, nós agora teremos super-poderes para sempre e é estranho e engraçado, e há aventuras espreitando em todos os cantos’. Mas o primeiro filme era a versão cinematográfica da situação em que eu me encontrava na época: a metáfora desses personagens se rastejando do inferno.”

O filme passou por severas refilmagens, todas comandadas por Simon Kinberg (que depois iria dirigir X-Men: Fênix Negra para a Fox). De acordo com o diretor, era uma sensação terrível, já que ele não podia fazer seu trabalho e tinha que responder positivamente para todas as mudanças feitas por uma equipe designada especialmente pelo estúdio:

“Foi como ser castrado. Você está parado ali, e basicamente está assistindo aos produtores bloqueando as cenas, cinco minutos antes de você chegar lá. Editores [contratados] pelo estúdio decidem a sequência de tomadas que vão construir o que quer que esteja acontecendo, e o que é que eles precisam. E então, por saberem que você é muito legal, eles tentam ser legais com você dizendo: ‘Bem, assim fica bom?’ Você pode dizer sim ou não.”

Outra experiência bem negativa que o diretor teve com a Fox diz respeito a seu primeiro longa-metragem, Poder Sem Limites. De acordo com ele, o estúdio tentou fazer uma continuação, mesmo contra seus desejos. Para evitar a dor de cabeça, ele fez de tudo para dificultar a produção do filme:

“Eu dificultei para eles marcarem reuniões. Eu era bem evasivo sobre as coisas. Eu fiz um monte de coisas bem ruins. Eu nunca quero ver ‘Poder Sem Limites 2’ acontecendo. Esse era meu pior pesadelo. Em primeiro lugar, eu não vou fazer. E se outra pessoa fazer, você sabe que será um pedaço de merda.”

A carreira de Trank parece ter sido bem afetada por Quarteto Fantástico. O cineasta passou cinco anos sem lançar nenhum projeto, e agora está voltando aos cinemas com Capone, uma biografia do lendário mafioso. Ainda assim, o diretor foi bem atacado pela produção, e após ter renegado o filme, atraiu atenção negativa de Hollywood.

Abaixo, veja os 10 piores filmes de super-heróis dos últimos 20 anos:

Quarteto Fantástico Poder Sem Limites estão disponíveis em DVD, Blu-Ray e mídias digitais.

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux