França também está desenvolvendo super-soldados biônicos

Capa da Publicação

França também está desenvolvendo super-soldados biônicos

Por Leo Gravena

Parece que a China não é o único pais que está disposto a criar super-soldados alterando o DNA das pessoas. Alguns dias depois da Inteligência Americana dizer que a China está tentando criar “super-soldados” para seu exército, agora a França anunciou que está trabalhando em um projeto similar, fazendo uma declaração pública após ter recebido aprovação ética para desenvolver soldados biônicos com “capacidades físicas, cognitivas, perceptivas e psicológicas” aumentadas.

De acordo com o tabloide britânico The Sun, isso pode acabar resultando em um tipo de corrida genética para a criação de super-soldados bem semelhante à Guerra Fria.

O jornal entrevistou o professor Michael Clarke, do Kings College em Londres que falou sobre como isso pode acabar afetando a humanidade.

“Alcançamos o ponto agora no qual podemos, potencialmente, manipular o DNA de uma pessoa para dar a eles uma força e durabilidade extras, e outras coisas, como fazemos com os animais. Assim como fizemos com o gado para dar a eles mais músculos, podemos fazer isso agora muito precisamente com humanos.

 

O que [a China e França] estão pensando é no que pode surgir daqui 30 anos, dados mais 10 anos de desenvolvimento e experimentos. Em 30 anos os chineses podem ter um grupo de pessoas que tem 20 anos e possuem características particulares que podem ter sido adicionadas à eles ao manipular o DNA”. 

Cena de “Capitão América: O Primeiro Vingador” mostra Steve Rogers, o Capitão América, antes de tomar o soro do super-soldado

Aproveite e confira também:

Imagem de perfil
sobre o autor Leo Gravena

Editor | @LeoGravena
Escrevo sobre cultura geek na internet desde 2012
"Don't look back -- the past is exactly where it belongs."