Capa da Publicação

Qual legado a Marvel deixou nesses 10 anos para o cinema?

Por Morganna Gumes

Atualmente a Marvel está na boca do povo, quem vê ela fazendo bilheterias astronômicas não imagina como foi sofrido para a mesma estar onde está, e muito disso foi pela coragem de inovar em alguns momentos fundamentais. A Marvel passou por momentos bem conturbado financeiramente que levou a venda de direitos de bons personagens, como a equipe dos X-Men, que é um quadrinho extremamente popular desde de seu lançamento. Coube então a Marvel pensar nos heróis que tinham sobrado na sua mão e bolar uma estratégia que fosse interessante e convincente ao público, e eis que nasce o MCU?

Na verdade não exatamente, a Marvel colocou todas as suas apostas e dinheiro também na produção do primeiro Homem de Ferro e o primeiro filme do Hulk, se os filmes não fossem bem tanto em crítica quanto em aceitação do público seria o fim para a Marvel. Uma grata surpresa veio no lançamento, tanto Hulk como Homem de Ferro foram bem aceitos pelo público e principalmente Homem de Ferro foi bem recebido pela crítica, trazendo um alívio a Marvel e dando condições de a mesma colocar a mão na massa para a construção do MCU.

Alguns anos se passaram e a Marvel recuperou o respeito dos telespectadores em relação a filmes do tipo herói, também tivemos o lançamento de Batman de Nolan que foi muito importante para reforçar o apelo ao gênero, contudo a Marvel mostrou o que Nolan não tinha conseguido, um feito único impossível de replicar, ela restabeleceu de maneira positiva esse tipo de filme no cinema. É possível lembrar de antes da época de Nolan e durante que filmes de super heróis eram muito raros, principalmente heróis que vinham de revistas em quadrinhos, mesmo os que tinham começado dando certo se mostraram terríveis fiascos e muitos eram tão ruins que nem conseguiam sonhar com uma continuação.

Emplacando Homem de Ferro 2 e Thor a Marvel se sentiu mais confiante e veio novamente a ousar nos seus filmes, entregando Capitão América: O Primeiro Vingador onde temos uma das grandes influências que a Marvel deixará no cinema, filme de herói é tipo não é gênero. O filme do Capitão é um ótimo filme de gênero guerra e pode ser lido facilmente dessa maneira sem depender de muito malabarismo dos telespectadores para tal. No ano seguinte temos o lançamento de Vingadores, o filme nos apresenta ao universo compartilhado da Marvel, universo esse que já estava sendo trabalhado em diversos filmes de maneira muito sutil, o que deu todo um charme para esse projeto, sua sutileza em se apresentar.

Depois dessa apresentação a Marvel fica com um grande pepino na mão, como voltar a tratar dos heróis em seus filmes solo sem perder completamente o ritmo desse universo compartilhado? Como trabalhar histórias solo que conversem com os outros personagens? Sabemos que não é de hoje a questão de universo dentro de franquias, temos os exemplos de Star Wars, Star Trek e por aí vai.

Trabalhar universos com filmes solos é uma questão muito mais difícil, pois é necessário manter a localidade e simplicidade da história para o personagem sozinho poder dar conta da trama, e ao mesmo tempo você precisa fisgar o telespectador com essa história. Tarefa nem um pouco fácil, pois a tendência é fazer algo grandioso para ser interessante, e se cometer esse erro, como apresentar um segundo filmes dos Vingadores que consiga grandiosidade maior que os filmes solos? O Lucas Rafael tem um artigo ótimo aqui no site falando exatamente sobre a complexidade de se trabalhar com universos dentro do cinema, vale a pena a leitura.

Com isso vemos que a Marvel com seu MCU praticamente deixou uma cartilha de como criar universos compartilhados nos cinemas, mesmo com seus erros ela criou sábias lições e mostrou como filmes podem estar em sintonia mas manter sua identidade própria, como características comuns a um tipo de filme não precisam tolir completamente a parte criativa e prender a produção nelas, que as características servem como norte e não como regras.

Hoje a Marvel luta para não se perder dentro das próprias lições que criou e não deixar seus filmes caírem no marasmo e na repetição das inovações que a mesma construiu, uma tarefa um tanto quanto difícil vendo ainda quantas produções ela tem pela frente. Existe uma grande possibilidade de a Marvel se renovar com seu MCU, principalmente agora que ela poderá trabalhar a equipe mais amada dos quadrinhos, os X-Men e ali ainda tem muita coisa a ser debatida e discutida.

Depois de dez anos, temos uma Marvel firme e consolidada, sendo a principal responsável pelas tendências que serão replicadas daqui pra frente tanto nos filmes de heróis como em diversos outros tipos de filmes. Sua marca ficará na história do cinema. Ela pegou um estilo extremamente saturado e o refez do zero, desconstruindo diversos clichês e muitas vezes se utilizando desses clichês para criar algo novo e único.

A questão que fica é, se a Marvel já inovou tanto ela corre o risco de cair na mesmice? Pode a Marvel ainda ter cartas na manga para surpreender seus fãs?

Segue uma lista para vocês com os filmes que julgamos os melhores do universo da Marvel:

Imagem de perfil
sobre o autor Morganna Gumes

Apaixonada por cinema, quadrinhos e jogos, apaixonada por linguística e muito fã de Silent Hill. "the fear of blood tends to create fear for the flesh" - Silent Hill