Capa da Publicação

Os 8 vilões mais cruéis da história do cinema

Por Arthur Eloi

A mágica do cinema é nos transportar para a pele de outras pessoas, sentir empatia em momentos de dificuldade e nos alegrar com suas vitórias. Há muitos cineastas que entendem essa poderosa imersão, e ajudam a despertar o ódio em nós ao nos confrontar com vilões verdadeiramente malignos.

De nazistas impiedosos a monstros sanguinários, listamos abaixo alguns dos mais cruéis vilões do cinema!

Imagem de capa do item

Hans Landa (Bastardos Inglórios)

Nada é pior do que um nazista. Monstros da vida real, responsáveis por um dos períodos mais sombrios da história humana, continuam nos atormentando (e recebendo o que merecem) em filmes, séries, livros e jogos.

Quando se trata de nazistas sádicos (por mais redundante isso soe), a maior referência é Hans Landa, brilhantemente interpretado por Christoph Waltz em Bastardos Inglórios (2009).

O vilão do filme de Quentin Tarantino é eficiente em sua caça à judeus, e parece ter enorme prazer em perseguir e torturar as pessoas. O maior problema é que, por fora, ele é calmo e amigável, escondendo sua personalidade podre e desejos violentos.

Imagem de capa do item

Anton Chigurh (Onde Os Fracos Não Têm Vez)

Onde Os Fracos Não Têm Vez só é um dos melhores filmes dos Irmãos Cohen graças à aterrorizante presença de Anton Chigurh, o matador de aluguel vivido por Javier Bardem.

Em sua missão de resgatar uma maleta cheia de dinheiro, o assassino é quieto, mas bastante violento e impiedoso, sem nenhum problema em executar aqueles que cruzam seu caminho, mesmo os inocentes.

Anton Chigurh é um matador de sangue frio, eficiente e altamente resiliente, capaz de iludir a polícia e todos que o perseguem. Não é a toa que o papel rendeu um Oscar de Melhor Ator Coadjuvante para Javier Bardem em 2008.

Imagem de capa do item

Michael Myers (Halloween)

Há todo um subgênero do terror dedicado à maníacos, o slasher. Dentre os grandes assassinos do cinema, Michael Myers, da franquia Halloween, é o mais aterrorizante.

Com sua máscara vazia, sua caminha tranquila, seus hábitos de observar suas vítimas antes de assassiná-las brutalmente ajudam a definir Myers como a verdadeira encarnação do mal. Essa frieza, porém, não significa que ele pega leve com suas presas, e as elimina das formas mais sádicas o possível.

É um monstro vazio que só conhece ódio e violência, e que é praticamente indestrutível, já que se mantém na ativa por mais de 40 anos - algo que muitos de seus competidores já não podem dizer.

Imagem de capa do item

Freddy Krueger (A Hora do Pesadelo)

Outro dos grandes maníacos do cinema, a maldade de Freddy Krueger costuma ser ofuscada por conta de seu bom humor, especialmente nas continuações. Mas é justamente essa combinação que o torna tão letal.

O monstro criado por Wes Craven, e imortalizado por Robert Englund, é dos piores tipos de sádico. Capaz de se infiltrar nos sonhos de jovens, ele utiliza todos os traumas, medos e memórias de suas vítimas para criar pesadelos únicos.

Assim, o último momento de vida daqueles que são atacados por Freddy Krueger são passados vivenciando seus maiores medos, sem sequer conseguir pedir ajuda já que tudo acontece dentro de suas cabeças. Pior ainda, o maníaco faz tudo isso enquanto conta piadas e dá risada.

Imagem de capa do item

Annie Wilkes (Louca Obsessão)

Um dos tipos de maníacos mais assustadores são aqueles que sequer desconfiam que estão fazendo algo de errado. Ninguém se encaixa melhor nessa definição do que Annie Wilkes, a insana antagonista de Louca Obsessão.

Adaptação de 1990 da obra de Stephen King, o filme segue Paul Sheldon, um autor de ficção que sofre um acidente quase fatal. Ele é resgatado da estrada por Annie Wilkes, uma enfermeira que se diz ser a fã número um de Sheldon - e uma pessoa completamente surtada e violenta.

Com transtornos de personalidade, Wilkes alterna entre fangirl e uma maníaca capaz de agredir e torturar seu autor favorito, tudo em busca de sua aprovação e de uma obra exclusiva para ela. Imortalizada nas telonas pela excelente Kathy Bates, é uma das vilãs mais horrendas que já apareceu no cinema.

Imagem de capa do item

Enfermeira Ratched (Um Estranho no Ninho)

Qual é a associação entre enfermeiras e perversão? Há algo poderoso quando uma figura associada com cura e bondade se revela uma força maligna, capaz de induzir pesadelos. No cinema, que provou isso é a enfermeira Mildred Ratched, do clássico Um Estranho no Ninho (1975).

Nesse premiado drama, um criminoso - vivido por Jack Nicholson no papel que lhe rendeu um Oscar - alega insanidade para tentar reduzir sua pena, mas acaba se arrependendo da decisão quando é transferido para a ala psiquiátrica da prisão. Lá, ele se vê sob o comando da terrível enfermeira Ratched, que usa de todo o seu poder para torturar os detentos.

Com poder absoluto dentro da instituição, ela deixa seus pacientes sem remédios ou até passando fome, além de obrigá-los a fazer todas as suas vontades. Sem ninguém para responder, Ratched usa e abusa de sua função das formas mais desumanas o possível. Depois do clássico de 1975, a personagem também ganhou uma série de TV em 2020, onde foi vivida por Sarah Paulson.

Imagem de capa do item

Pennywise (It: A Coisa)

Stephen King é dono de uma das mentes mais perturbadas da literatura. Antes de ter criado Annie Wilkes, o mestre do horror também imaginou um monstro verdadeiramente horripilante: um palhaço assassino.

Além de atiçar os medos de palhaço de muita gente, Pennywise, o antagonista de It: A Coisa, é muito pior do que parece. A criatura é, na verdade, um ser cósmico que atormenta a cidade de Derry de tempos em tempos.

Tomando a forma de um palhaço, Pennywise é um maníaco devorador de crianças, que não só se contenta em comer a carne delas mas também de se alimentar de seus medos. Tal qual Freddy Krueger, ele primeiro brinca e provoca suas vítimas, colocando-as na pior situação imaginável antes de matá-las de uma vez por todas.

Imagem de capa do item

Jason Voorhees (Sexta-Feira 13)

Dos grandes assassinos dos slashers, Jason Voorhees é, facilmente, o campeão na categoria de brutalidade. O maníaco da franquia Sexta-Feira 13, com sua máscara de hóquei e machete sempre em mãos, tem uma criatividade macabra para aniquilar jovens cheios de tesão.

Um assassino de estatura gigantesca e força impiedosa, Jason usa tudo ao seu redor para criar armadilhas mortais e entregar mortes violentas. Assim como Michael Myers, é quieto e praticamente invencível, tornando sua ameaça ainda maior.

Jason pode estar fora das telonas há mais de uma década, mas seu talento sanguinário para a violência ajudou a definir toda uma era do cinema de horror, que é lembrada “carinhosamente” até os dias de hoje.

Quem é seu vilão favorito? Deixe nos comentários abaixo!

Imagem de perfil
Arthur Eloi

Repórter entusiasta de filmes ruins, jogos de tiro e de horror em todas as suas formas. Dá notas duvidosas para obras questionáveis • @ArthurEloi117