Capa da Publicação

Supergirl – Easter-eggs e referências em “Childish Things”!

Por Márcio Jangarélli

Ele estava lá para seu filho, Winn Schott, mas, em seu caminho, encontrou a Supergil, prima de um herói que ele já conhece muito bem… Pelo menos nos quadrinhos. E, como vocês podem esperar, não ficou nada bem para nenhum dos envolvidos.

Imagem de capa do item

Roteirista

Bryan Q. Miller foi quem escreveu esse episódio. Ele é um conhecido de longa-data dos fãs de quadrinhos. O motivo é porque Miller foi um dos editores executivos e escritor frequente das histórias de Smallville.

Um dos episódios que escreveu para a finada série do Superman é exatamente sobre o Homem-Brinquedo, quando o vilão usa um dos seus dispositivos para controlar Lois, fazendo ela matar por ele.

Também foi a última aparição de Kara em Smallville!

Imagem de capa do item

O Homem-Brinquedo

Winslow Schott é um vilão de longa-data da família Superman dos quadrinhos, com uma variedade de aparições e crimes diferentes durante os anos.

Chamando a si mesmo de Homem-Brinquedo, Schott é um inventor brilhante, que constrói dispositivos altamente destrutivos em forma de brinquedos. Ele é um mestre em robótica e um especialista na criação de dispositivos mecânicos em miniatura.

Imagem de capa do item

Cameron Chase

Cameron Chase é uma agente federal especializada em ameaças metahumanas.

Nos quadrinhos, seu pai era um super-herói desconhecido, quando ela era criança, que foi morto por um super-vilão, junto com a maioria de seu grupo.

Um dos sobreviventes foi o Ajax que, fato desconhecido até por seu próprio grupo, é, na verdade, J’Onn J’Onzz, o último sobrevivente de Marte.

Chase também tem um segredo: ela tem a habilidade de “desligar” os superpoderes de quem está à sua volta.

Imagem de capa do item

O boneco do Homem-Brinquedo

O boneco que Winn ganha com uma mensagem de seu pai também é uma referência.

O Homem-Brinquedo foi redesenhado várias vezes com o tempo, e, às vezes, não era nem Schott no uniforme. Um dos visuais mais diferentes do vilão foi o de Jack Nimball, o segundo Homem-Brinquedo, que se juntou a Schott contra o Superman. E como vocês viram, o visual do boneco é bem parecido com o uniforme de Nimball.

Essa versão do Homem-Brinquedo também apareceu nos desenhos dos Superamigos, nos anos 70, e no universo animado da DC dos anos 90, como um robô assassino criado pelo vilão. A versão de Ninball também pode ser vista nas animações do Batman.

Imagem de capa do item

O foguete

Tem um foguete, fora do fliperama, com o símbolo antigo do Superman desenhado. Não um foguete real, claro, mas um daqueles de brinquedo.

Imagem de capa do item

O esconderijo

Não é surpresa nenhuma o esconderijo do Homem-Brinquedo ser um fliperama ou uma fábrica de brinquedos, porém, isso já foi feito antes, nos quadrinhos e na TV.

Em Lois e Clark, o esconderijo não era bem secreto. A ideia do vilão era usar um brinquedo adulterado para fazer lavagem cerebral nas pessoas, então ele estava vendendo os bonecos legitimamente em uma fábrica, até ser capturado.

Na edição 475 d’As Aventuras do Superman, Schott e outro vilão, Thaddeus Killgrave, criam um parque temático, onde lutam contra o super-herói.

Imagem de capa do item

Chester Dunholtz

Nos quadrinhos, Chester Dunholtz não era o chefe de Winslow Schott.

Na verdade, Dunholtz era um bully da infância de Schott, que roubou um dos primeiro brinquedos que o vilão fez – um avião de brinquedo – e, na era de prata dos quadrinhos, essa era a explicação para a transformação de Winslow no Homem-Brinquedo.

Imagem de perfil
Márcio Jangarélli

Assessor, redator e jornalista. Madonna de Jakku.