Primeiras críticas de Vingadores: Era de Ultron são majoritariamente positivas!

Capa da Publicação

Primeiras críticas de Vingadores: Era de Ultron são majoritariamente positivas!

Por Gus Fiaux

Fonte: CBM

Imagem de capa do item

Deadline

Estou feliz em dizer que as estrelas estão de volta, especialmente Chris Evans e seu Capitão América, mas também Robert Downey Jr., Scarlett Johansson, Chris Hemsworth.

Além disso, felizmente retorna o espírito brincalhão e interativo. E o diretor e roteirista Joss Whedon despeja habilidosamente toneladas de ação, em um nível Transformers de excesso. Mas a emoção se foi. Para mim, é algo banal, como assistir uma edição do Dancing With the Stars.

Mas importa se eu fiquei um pouco decepcionado? Acho que não. A Marvel e a Disney tem uma galinha dos ovos de ouro, e nada irá manter os fãs longe.

Por mais que admire Joss Whedon, Joe e Anthony Russo assumirão as duas últimas partes da franquia, e estou ansioso para ver o que eles podem fazer. O Soldado Invernal foi um exemplo do que se fazer em uma continuação de filme baseado em quadrinhos.

Imagem de capa do item

Digital Spy

Essa é realmente a separação dos Vingadores após sua lua-de-mel, então é inevitável que o filme passe mais a sensação dispersa enquanto os personagens aparecem.

11 personagens principais é, segundo o próprio Joss Whedon, francamente demais, e você pode sentir a força para que cada um caiba na fita.

Mas se Era de Ultron é menos coesivo que Vingadores, também é mais ambicioso e rico em personalidade, proporcionando a cada Vingador a oportunidade de se desenvolver em meio aos outros personagens da trama. Cravada com a marca de Joss Whedon, é uma fatia impecavelmente trabalhada do caos [4/5]

Imagem de capa do item

Empire Online

Maior e sim, mais sombrio que o primeiro, esse traz menos diversão mas maior consistência. Graças a Joss e ao elenco mais carismático e atraente que você vai encontrar, Era de Ultron redefine a escala do que esperamos de um épico de super-heróis, mas também traz emoção em tamanho natural entre seu estilo bombástico [4/5]

Imagem de capa do item

The Guardian

É tudo muito louco, e o confronto final já está se tornando um pouco familiar, mas Whedon o apresenta com tanto prazer e até mesmo uma espécie de evangelismo.

Seu roteiro traz muita admiração, com grandes frases. Amei Tony Stark e seu "Eu tive um dia longo... longo como Eugene O'Neill". E a tensão sexual não-resolvida entre a Viúva Negra e o Hulk cria uma força motriz estranha à narrativa: mesmo o absurdo é reciclado dentro da economia do filme com comédia e ironia e mesmo o grandioso elenco não parece quebrar o foco.

É uma cavalgada de super-heróis cheia de energia e diversão [4/5]

Imagem de capa do item

HeyUGuys

O filme não é livre de falhas. Mais ainda que em seu antecessor, os Whedonismos chegam espessos e velozes em Era de Ultron, e tem uma série de piadas que não caem bem.

Enquanto isso, a trilha sonora brilhante de Brian Tyler incorpora perfeitamente seus próprios temas em Thor 2 e Homem de Ferro 3 em adição ao tema memorável de Alan Silvestri, que acaba se perdendo na confusão - e se vamos ser detalhistas, a luta contra o exército de Ultron essencialmente se resume em Vingadores contra buchas de canhão. De novo.

Mas é fácil de ignorar as falhas quando um filme é tão divertido, e apesar de Era de Ultron não ser o melhor filme da Marvel, é sem dúvida um dos mais divertidos. [4/5]

Imagem de capa do item

The Hollywood Reporter

Vingadores: Era de Ultron tem sucesso na criação de um primeiro adversário digno para seus super-heróis, além de lhes dar coisas novas para fazer.

Mas dessa vez, as cenas de ação nem sempre chegam nas alturas e alguns personagens são dramaticamente deixados numa ilha deserta.

Os atores retornam absorvendo o esperado, enquanto Andy Serkis possui alguns incríveis momentos como um criminoso sul-africano durão e estressado.

Imagem de capa do item

IGN

Definitivamente, Era de Ultron não consegue recuperar o encantamento e a majestosidade de ver os Heróis Mais Poderosos da Terra se reunirem pela primeira vez. Dito isso, continua sendo muito divertido e traz excelente ação e muitos momentos pessoais bons. [8,6/10]

Imagem de capa do item

Indie Wire

"Era de Ultron" fornece a desculpa para um choque de realidade.

O roteiro de Whedon frequentemente traz o veredito de Ultron de que a humanidade está condenada, o que significa que os Vingadores estão destinados a salvá-la indefinidamente.

Isso é conceito mais aterrorizante que qualquer coisa que o vilão robótico tenha sonhado. Acima de tudo, o mais recente "Vingadores" prova que mesmo uma grande franquia tem data de validade [C+]

Imagem de capa do item

Rolling Stone

Espera, o quê? Dilema moral? Que tipo de escapismo é esse? Em minha opinião, é o melhor tipo, daqueles que fica com você.

Whedon é o verdadeiro mestre do Universo Marvel nos cinemas. Ele não estará de volta nas duas partes de Guerra Infinita, que começa suas gravações no ano que vem. Os Russo tomarão a liderança.

Isso faz de Era de Ultron o último brado de Whedon nos Vingadores. E a monumental batalha entre deuses e monstros que ele encena para finalizar o filme o faz orgulhoso. Bravo. [3.5/4]

Imagem de capa do item

Slash Film

Ao sair de Vingadores: Era de Ultron, era difícil de esquecer meus sentimentos. Eu tinha realmente gostado do filme e estava louco para vê-lo de novo. Mas me senti um pouco vazio.

O Gavião Arqueiro ajudou a preencher isso, assim como os gêmeos e o Visão, mas eu estava sentindo falta do aconchego do primeiro filme. Joss Whedon tenta, e obtém sucesso, ao fazer algo diferente, mais sombrio, maior e mais complexo, mas ele é vítima de seu próprio sucesso.

"Era de Ultron" funciona, mas você não pode deixar de lembrar de todos os momentos que nos trouxeram aqui. Você acaba especulando mais sobre o que está por vir do que sobre o que viu, mesmo que o que você tenha visto seja incrivelmente engraçado e excitante [7.5/10]

Imagem de capa do item

Mashable

Assim como "O Soldado Invernal", até que o filme acabe, cada personagem mudou. O mundo em que viviam mudou. A missão do time e sua caracterização mudou.

Mergulhar em qualquer outra especificação seria estragar os detalhes embutidos em Era de Ultron. Apenas digo que os personagens estão satisfatoriamente estabilizados, mas você é deixado querendo mais.

Mas direi isso mais uma vez, o mais claro que posso: Apertem os cintos e prestem atenção, valerá a pena.

Imagem de capa do item

Twitch Film

Era de Ultron não é um filme ruim, é apenas uma continuação sem inspiração ou graça.

A abertura é uma perfeita representação disso, com uma gigantesca sequência de ação envolvendo a equipe inteira em qual temos algo muito similar ao final do primeiro filme.

Os espectadores são jogados nessa insípida reprodução sem nenhum problema existencial e como resultado não podem fazer nada além de se sentirem queimados ao longo da história. Vamos esperar que a Marvel pare logo de apontar para o maior e mais alto e comece a desenvolver com mais cuidado seu universo - mas ei, com quem estou brincando?

Imagem de capa do item

The Wrap

Pode muito bem ser a ocasião em que iremos parar de olhar para esses filmes da Marvel como experiências discretas e individuais, e não como capítulos no grande relógio épico, mas até mesmo por esses parâmetros, "Vingadores: Era de Ultron" aparenta ser um episódio sólido, mais preocupado com o tecido conjuntivo que qualquer outra coisa.

Futuros maratonistas de filmes da Marvel encontrarão várias pausas para pegar seu lanche durante a exibição do filme.

Imagem de capa do item

Variety

Três anos se passaram desde que salvaram Nova York de uma invasão alienígena, e agora os astros heroicos da Marvel se encontram mais uma vez segurando o peso do mundo - ou ao menos um pedaço da Europa Oriental - sobre seus ombros em "Vingadores: Era de Ultron", uma gigante soap opera que é pesada na ação catastrófica mas surpreendentemente leve em sua condução, e rica em emoção em tamanho natural que pode até mesmo fazer o Hulk diminuir de tamanho.

Tendo chegado ao ápice ao reunir os seis heróis principais em 2012, o renomado diretor e roteirista Joss Whedon dá um toque mais solto, inovador e elegante para essa ágil continuação, que traz nossos heróis sem a ajuda da SHIELD e contra um inimigo mais perigoso que qualquer forma de vida alienígena.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux