Capa da Publicação

Os 10 melhores momentos de “Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald”!

Por Gus Fiaux

Atenção: Alerta de Spoilers!

Após dois longos anos de espera, finalmente estamos diante de mais um capítulo do Mundo Bruxo de J.K. Rowling. Atualmente em cartaz nos cinemas, Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald é o segundo episódio de uma história ainda maior!

Mesmo que não esteja sendo muito bem recebido pela crítica, o filme é recheado de momentos mágicos que fazem qualquer fã de Harry Potter e desse fantástico universo perderem a cabeça. Aqui estão os 10 melhores momentos de Os Crimes de Grindelwald!

Créditos: Warner Bros.

Imagem de capa do item

Grindelwald chega em seu novo esconderijo

Apesar das várias críticas tecidas com relação à escalação de Johnny Depp para o papel, Gerardo Grindelwald é um vilão bem intimidador e que se destaca por não sujar as mãos. Todos os atos terríveis que ele comete são feitos através de seus seguidores, que ele manipula de uma forma muito ardilosa.

Há um peso muito grande sentido na cena em que o vilão se muda para seu novo "quartel-general", em Paris. Seus seguidores logo matam o casal que vivia na casa, e posteriormente dão fim à vida de uma criança. Os fãs mais espertos reconheceram o paralelo feito com a saga de Harry Potter, embora o Menino Que Sobreviveu tenha tido um destino menos trágico.

Imagem de capa do item

Bebês-Pelúcio fazendo travessuras

Como o título já sugere, nós devemos esperar uma grande participação dos Animais Fantásticos pelo resto da franquia, e nenhum cativou tanto os fãs quanto o Pelúcio, apresentado pela primeira vez em Animais Fantásticos e Onde Habitam. Agora, no entanto, temos uma grata surpresa ao ver os filhotes da criaturinha gananciosa.

Quando Newt Scamander chega em sua casa, após um agitado dia fora, ele se depara com os Bebês-Pelúcio, foragidos de sua gaiola, fazendo travessuras. É um momento descontraído e que funciona como alívio cômico, mas que também serve para mostrar o carinho e o amor que Newt tem por seus bichinhos.

Imagem de capa do item

Um novo Alvo Dumbledore!

Desde que foi anunciado no papel, de Alvo Dumbledore, Jude Law atraiu a atenção de todos os fãs, que estavam ansiosos para ver se ele mandaria bem ao interpretar o maior bruxo que já existiu. E ele realmente consegue incorporar todos os traços de Richard Harris e Michael Gambon, mas também cria algo novo e único com o personagem.

Basta notar o primeiro encontro de Newt Scamander com o professor. A cena mostra o quanto Dumbledore é sábio, mas sempre revela pouca coisa aos seus aliados. É bem divertido ver essa versão mais jovial e "leve" do bruxo - e nós já esperamos vê-lo em ação, como certamente deve acontecer nos próximos três filmes da franquia.

Imagem de capa do item

O retorno à Hogwarts

Desde que os primeiros trailers do filme foram revelados, muitos estavam bem ansiosos com a possibilidade de retornar à Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, considerando os anos que passamos dentro desse castelo, acompanhando as aventuras de Harry Potter, Rony Weasley e Hermione Granger durante seus anos letivos.

Quando a escola aparece em Os Crimes de Grindelwald, é um momento glorioso para todos os fãs ficarem de olhos marejados. Aqui, reencontramos Alvo Dumbledore e relembramos até mesmo de alguns dos funcionários mais famosos do colégio, como a Professora Minerva McGonagall. Destaque para o tema clássico de Harry Potter, que toca novamente aqui.

Imagem de capa do item

Leta Lestrange relembra seu passado

Hogwarts não é apenas um fanservice dentro do filme. A cena na escola possui uma grande importância por desenvolver não apenas Alvo Dumbledore, como também Leta Lestrange, que possui um segredo muito trágico a ser contado. O grande destaque fica para o flashback, onde relembramos o tempo em que Newt e Leta estudaram na escola.

A cena é muito boa por trazer de volta todo o sentimento que tivemos com os filmes e livros de Harry Potter, acompanhando o dia-a-dia dos estudantes. Um destaque vai para a aula de Defesa Contra as Artes das Trevas ministrada por Dumbledore, onde vemos o maior medo de Leta se materializando de uma forma misteriosa e lúgubre.

Imagem de capa do item

"Nunca houve nenhum monstro que você não pudesse amar"

Se a cena expositiva de Yusuf Kama é, certamente, um dos momentos mais chatos e desinteressantes do filme, o mesmo não pode ser dito sobre o outro lado da história, que é contada por Leta Lestrange. Aqui, vemos uma personagem humana e imperfeita, tendo que lidar com uma tragédia muito impactante de seu passado.

A revelação sobre o que aconteceu com Corvus Lestrange pode ser até confusa e um pouco melodramática demais, mas ela serve para estabelecer toda a ligação com o flashback da bruxa, e mostra que ela é realmente uma figura muito complexa - por mais que seu fim tenha sido triste para qualquer um que passou a gostar da personagem.

Imagem de capa do item

Newt e Tina se declaram

Newt Scamander nos foi apresentado, desde o primeiro filme, como um herói bem diferente do que esperamos. Ele é tímido, introvertido, possui uma vontade inquietante em fazer o bem e possui um amor incomparável pelas criaturas mágicas. Enquanto isso, Tina Goldstein é uma bruxa muito poderosa, que acabou se apaixonado pela leveza do magizoologista.

Os dois passam mais da metade da trama "não se bicando", por conta de uma série de mal-entendidos. No entanto, quando estão correndo contra o tempo no Ministério da Magia francês, os dois resolvem se confessar. É uma cena muito fofa e delicada, onde vemos o amor florescer em cada diálogo. Esse casal definitivamente tem um futuro brilhante pela frente.

Imagem de capa do item

O espelho de Ojesed

Embora isso não esteja explícito nos livros, J.K. Rowling já deixou claro que Alvo Dumbledore é gay e que, durante sua adolescência, ele acabou se apaixonando por Gerardo Grindelwald. Os dois bruxos eram mais unidos que irmãos, e tinham o plano de sair pelo mundo, procurando as Relíquias da Morte e agindo em prol "do bem maior".

Por isso, é muito simbólico e enigmático vermos que o que Dumbledore vê no Espelho de Ojesed é justamente Grindelwald, representando todo o desejo e o tormento de seu passado - especialmente em um momento tão importante de suas vidas, que foi quando fizeram o pacto de sangue para não lutarem um com o outro.

Imagem de capa do item

Alvo Dumbledore fala de sua família

Em Harry Potter e as Relíquias da Morte, descobrimos um pouco sobre o passado de Alvo Dumbledore, graças ao best-seller de Rita Skeeter. Aqui, descobrimos toda a história de sua família, e como ele se deixou ser seduzido pelos ideais supremacistas de Grindelwald, quando ainda era um jovem recém-formado em Hogwarts.

O filme nos traz a primeira menção de Dumbledore à sua irmã, Ariana, durante um diálogo muito importante com Leta Lestrange. É doloroso e, ao mesmo tempo, belo ver Alvo se abrindo sobre um dos temas mais delicados de sua vida - e que pode ser mais desenvolvido no futuro, especialmente com a revelação envolvendo Credence Barebone.

Imagem de capa do item

O discurso de Gerardo Grindelwald

De longe, a melhor cena de todo o filme acontece no terceiro ato, quando Gerardo Grindelwald faz seu discurso para uma grande plateia de bruxos, que estão cada vez mais revoltados com os atos autoritários dos Ministérios da Magia e a necessidade de se esconder para que o Mundo Bruxo não seja revelado para os trouxas.

Aqui, vemos como Grindelwald é um vilão manipulador e astuto, mas que não está de todo errado em seu discurso - o que é ainda mais assustador. Caso seja mais desenvolvido no futuro, o antagonista tem tudo para ser ainda mais interessante e perigoso que a versão cinematográfica do Lord Voldemort.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux