Capa da Publicação

Os 10 melhores momentos da segunda temporada de “Fugitivos”!

Por Gus Fiaux

A segunda temporada de Fugitivos pode até ter passado batido por alguns, mas foi um dos melhores lançamentos da Marvel em 2018, trazendo melhorias significativas para a série dos adolescentes que precisam confrontar seus pais.

Com uma trama empolgante e um desenvolvimento de personagens superior ao da primeira, a série só melhorou. E é justamente por isso que selecionamos aqui os 10 melhores momentos da segunda temporada de Fugitivos!

Créditos: Hulu

Imagem de capa do item

Resgate no aeroporto

A segunda temporada foi um grande avanço em relação à primeira no que diz respeito às cenas de ação. Tivemos sequências muito mais elaboradas e que mostram a equipe agindo em conjunto, como foi o caso quando eles se unem para resgatar Alex Wilder no aeroporto.

A sequência pode até ser curta, mas funciona por mostrar o trabalho em equipe e por ser uma das primeiras cenas onde Nico Minoru começa a entender melhor os poderes do Cajado do Absoluto. Além disso, a trilha sonora deixa toda a sequência mais empolgante.

Imagem de capa do item

Minoru Kombat

A season finale trouxe alguns momentos marcantes, conforme a equipe lutava para enfrentar o ORGULHO e os Gibborim, liderados por Jonah - que por sua vez, estava preso no corpo de Victor Stein. Mas o momento de ouro vem quando Nico Minoru enfrenta seus pais.

A cena de ação é bem empolgante e mostra a heroína se impondo mesmo com toda a pressão de sua família. O mais legal aqui é que os três atores fizeram a cena sem precisar de dublês, já que eles são faixa-preta nos estilos de artes marciais empregados na cena.

Imagem de capa do item

Quatro amigas e uma mãe sequestrada

O penúltimo episódio trouxe uma road trip bem divertida, conforme Karolina Dean, Nico Minoru e Molly Hernandez se juntam a Vaughn para resgatar Leslie Dean, presa por Frank num retiro da Igreja dos Gibborim.

Toda a sequência é bem divertida, conforme as heroínas precisam encontrar formas de se infiltrar na igreja. Na cena, temos inclusive um reencontro bem emocionante, conforme Karolina conhece a sua avó, Susan Ellerh, que foi capturada e "reprogramada" pela igreja.

Imagem de capa do item

Um novo lar

O primeiro episódio da temporada já terminou em uma nota bem alta, quando os heróis finalmente descobrem um novo esconderijo para ficarem. Quem conhece bem as HQs de Adrian Alphona e Brian K. Vaughan imediatamente vai reconhecer o lugar onde eles vão parar.

A cena em si é bem fofa, por mostrar a equipe se reunindo e finalmente tendo um descanso, depois de tanta... fuga. É um momento marcante, que se torna ainda melhor quando Gert precisa repreender Alfazema, que também está curiosa com o novo lar.

Imagem de capa do item

Invasão sinistra

O décimo episódio da temporada é, provavelmente, um dos mais tensos de toda a série. Aqui, vemos a equipe sendo refém de AWOL, um policial corrupto que trabalha junto com o ORGULHO. A partir daí, ele usa Livvie como refém para tentar chantagear a equipe.

Toda a sequência é bem intensa e nos faz, o tempo inteiro, temer pela segurança da equipe. No entanto, ela acaba de uma forma bem satisfatória, conforme Alex Wilder bola um belo plano e Nico Minoru desperta seus poderes de uma forma bem sombria.

Imagem de capa do item

A saga de Xavin

Para a surpresa de muitos fãs, que achavam que a personagem não seria introduzida tão cedo, temos a presença de Xavin, que surge aqui com uma história de origem razoavelmente diferente das HQs - mas que, na essência, se mantém fiel à consorte de Karolina Dean.

Um dos melhores momentos se dá no começo do décimo terceiro episódio, onde vemos uma sequência animada na qual Xavin conta sua trajetória, e como ela viajou de um mundo a outro apenas para encontrar o amor de sua vida. Uma bela história que deve gerar bastante treta na próxima temporada.

Imagem de capa do item

Maus Momentos no Hotel Gordon

A série sabe mesclar drama e comédia como nenhum outro programa de super-heróis na atualidade. E o mais divertido nessa temporada foi explorar o namoro de Chase Stein e Gert Yorkes, que está bem interessante, considerando os problemas e dilemas de cada um deles.

Um momento bem divertido acontece no oitavo episódio da temporada, quando os Fugitivos e Livvie invadem o Hotel Gordon. No meio disso, eles quase são descobertos - e a cena fica hilária quando vemos Chase e Gert tendo uma DR na frente de uma atendente.

Imagem de capa do item

A vingança de Alex Wilder

Todos os Fugitivos tiveram seu arco pessoal na temporada, mas é seguro dizer que Alex Wilder foi quem teve a trama mais consolidada, às vezes até fugindo do núcleo da equipe. Na série, ele precisou lidar com a morte de Darius e as ações criminosas de seus pais.

Por conta disso, é realmente muito recompensador chegar à season finale e ver o plano que ele traçou para Geoffrey e Catherine Wilder. Aqui, temos um desfecho bem interessante, que mostra a lealdade de Alex e como ele está disposto a fazer justiça com as próprias mãos.

Imagem de capa do item

Confronto na escavação

O sétimo episódio da temporada é, provavelmente, um dos melhores episódios da história da série. Ele funciona quase como uma season finale, dando início a uma outra trama depois. Mas é o ápice da empolgação que os fãs sentiram com a série.

Aqui, vemos Jonah tendo que confrontar os Fugitivos e os membros do ORGULHO, todos interessados em destruir sua nave orgânica. A interação entre os heróis e seus pais também é bem interessante, e para variar, temos Nico Minoru salvando o dia.

Imagem de capa do item

Quinceañera

Engana-se fortemente quem acha que o foco de Fugitivos são as cenas de ação e as sequências de uso de poderes. Desde o início, a série sempre foi honesta ao trazer como primeiro plano as relações entre os personagens, sobretudo os adolescentes.

E é justamente por isso que o primeiro lugar fica com a cena da quinceañera de Molly Hernandez, um dos momentos mais felizes de toda a temporada, que mostra a equipe reunida celebrando algo de bom - uma pena que essa felicidade não dura muito tempo...

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux