Capa da Publicação

Os 10 melhores episódios de Black Mirror!

Por Gus Fiaux

Black Mirror é uma das séries mais populares da atualidade, e isso não há como negar. Surgida originalmente no Channel 4, uma prestigiada emissora britânica, e posteriormente realocada para a Netflix, a série tenta discorrer os perigos da tecnologia nas mãos da humanidade.

Cada temporada conta com episódios fechados em si próprios, que não dependem de uma cronologia para serem assistidos, com elencos diferentes e suas próprias narrativas. É uma série que mescla ficção científica, drama e críticas sociais em uma mistura perfeita. E é por isso que você confere aqui os 10 melhores episódios de Black Mirror!

Créditos: Divulgação

Imagem de capa do item

Nosedive (3ª Temporada)

Em 2016, após um hiato de dois anos, Black Mirror retornava nas mãos da Netflix, trazendo já de cara um episódio que se tornou um dos favoritos entre os fãs. Nosedive é uma reflexão acerca dos sistemas de avaliação de pessoas, que já são tão comuns em aplicativos como o Uber, por exemplo.

Na história, vemos uma mulher tentando dar o melhor de si para alcançar o posto mais alto dentro da sociedade em que vive. No entanto, conforme sua nota começa a decrescer - e ela passa a se tornar mal-vista na comunidade, sua mente começa a se arruinar. O grande destaque aqui vai para a atuação sensacional de Bryce Dallas Howard.

Imagem de capa do item

Hang the DJ (4ª Temporada)

Toda temporada possui episódios desgraçadores, mas também possui capítulos mais fofos e que se focam, de certa forma, em romances - em alguns casos, os episódios "românticos" acabam sendo os mais desgraçadores. Em Hang the DJ, temos uma análise bem interessante dos aplicativos de compatibilidade que somos expostos diariamente.

Você provavelmente deve ter usado um Tinder da vida ou algo similar. Aqui, acompanhamos um casal em "período de teste", precisando encontrar o amor perfeito. O que não sabemos é que tudo passa de uma simulação de um app, algo que realmente torna a história surpreendente e fofa, acalmando um pouco o clima dark do resto da série.

Imagem de capa do item

Black Museum (4ª Temporada)

Último episódio da quarta temporada da série, Black Museum funciona quase como um capítulo especial, já que sua narrativa se conecta, de alguma forma, a todos os episódios anteriores. Aqui, uma jovem mulher - interpretada por Letitia Wright - vai visitar um museu peculiar, e se depara com atrações... questionáveis.

O episódio também lida com questões de tecnologia, mas a diferença é que sua proposta é bem mais social e política, mostrando como a humanidade usa dos recursos tecnológicos para, de certa forma, ofuscar essas questões. O episódio funciona quase como um filme à parte, e deve ser visto com muita atenção, graças aos vários easter-eggs escondidos.

Imagem de capa do item

Bandersnatch (Filme Interativo)

Lançamento mais recente da série, Bandersnatch não faz parte de nenhuma temporada, mas é um episódio especial à parte, vendido como um filme interativo. Aqui, acompanhamos o desenvolvedor de um jogo que precisa correr contra o tempo para entregar a melhor versão possível do game, enquanto descobre segredos de seu passado.

O grande mérito de Bandersnatch não é bem sua história, mas sim a forma como ela se monta a partir da decisão de quem está assistindo. É um episódio inteiro formado pela escolha do usuário, o que torna a narrativa carregada de metalinguagem e trazendo questões sobre livre-arbítrio, além de conter cinco finais altamente surpreendentes.

Imagem de capa do item

The Entire History of You (1ª Temporada)

Episódio que encerra a primeira temporada da série, The Entire History of You é uma percussora ao explorar uma tecnologia que está frequentemente sendo abordada na série: implantes de memória. Aqui, vemos um rapaz que se depara com um momento sombrio em seu relacionamento: ele descobre ter sido traído.

A partir daí, ele passa a querer apagar todas as memórias de sua namorada da sua mente, e isso cria um grande problema, principalmente quando analisamos o resultado ético desse tipo de tecnologia. Em The Entire History of You, percebemos que o desejo da humanidade de sempre se lembrar de tudo pode acabar se tornando em um desejo para esquecer de tudo.

Imagem de capa do item

Be Right Back (2ª Temporada)

Com um elenco contando com Hayley Atwell e Domnhall Gleeson, o primeiro episódio da segunda temporada é uma história agridoce sobre amor, perda e a sensação humana do luto. Aqui, vemos uma mulher que tem seus sonhos arruinados quando seu amado morre precocemente. A partir daí, ela encomenda uma versão digital dele.

Em Be Right Back, temos um dos capítulos mais amargos e, ao mesmo tempo, fofos da série. É uma história de amor que usa da tecnologia como um subterfúgio para explorar como não estamos preparados para deixar aqueles que amamos partirem. Além disso, é um episódio que também fala sobre tecnologias em ascensão, como "clones" virtuais e robôs.

Imagem de capa do item

San Junipero (3ª Temporada)

Outro episódio que pode ser visto como um filme à parte da série, San Junipero é um romance como jamais visto. Aqui, acompanhamos duas mulheres descobrindo mais sobre amor, sexualidade e sobre a vida, enquanto desfrutam "férias" no paraíso que é a cidade de San Junipero. No entanto, obviamente há algo mais por trás.

Um episódio muito tocante e que mexe com emoções brutas do público, San Junipero tem uma das melhores representações bissexuais da televisão, além de contar com o talento inigualável de atrizes como Mackenzie Davis e Gugu Mbatha-Raw, que elevam a história a outro nível com seu charme e carisma.

Imagem de capa do item

Shut Up and Dance (3ª Temporada)

Embora seja bem parecido com o próximo item da lista, Shut Up and Dance é um episódio que deixou muitos chocados, quando foi lançado na terceira temporada da série, pela Netflix. A história segue um menino que passa a ser chantageado. Para isso, ele precisa seguir uma série de instruções propostas por um troll de internet.

Contudo, a trama vai se intensificando com as tarefas que são propostas ao garoto - até chegarmos ao final e descobrirmos que, na verdade, ele é um predador bem maior do que uma simples vítima. É um episódio pesado, e capaz de propor uma reflexão bem intensa para quem assiste, além de nos lembrar sobre como a internet não é uma terra sem lei.

Imagem de capa do item

White Bear (2ª Temporada)

Assim como Shut Up and Dance, o segundo episódio da segunda temporada, intitulado White Bear, brinca com as percepções que temos a respeito de ética e de humanidade. Aqui, acompanhamos uma mulher passando por uma situação barra-pesada, até chegarmos ao final e descobrirmos uma grande revelação sobre o motivo por ela estar ali.

Um dos episódios favoritos dos fãs - e que continua sendo referenciado até hoje em outros capítulos da série -, White Bear é um exercício devastador sobre como nós capitalizamos em cima da violência e da tragédia. É uma experiência digna de um soco no estômago, e que funciona principalmente por sua estrutura narrativa.

Imagem de capa do item

The National Anthem (1ª Temporada)

Em primeiríssimo lugar, está o episódio que definiu todo o andamento da série. Até hoje, o piloto de Black Mirror é, sem dúvidas, o episódio mais assustador e insano da série - principalmente porque ele não depende de nenhuma tecnologia futurista. Em outras palavras, ele poderia acontecer hoje mesmo.

Em The National Anthem, o primeiro-ministro do Reino Unido é informado que a princesa da Família Real Britânica fora sequestrada. O captor exige uma única coisa para libertá-la: o político terá que praticar atos sexuais com um porco em rede nacional, do contrário, ela será morta. Começa o dilema ético e uma verdadeira espiral de insanidade.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux