Capa da Publicação

As 10 mortes mais absurdas dos filmes de terror

Por Gus Fiaux

Um filme de terror sem mortes grotescas é como uma caixa de presente vazia. Gostamos de nos sentir apavorados e enojados conforme o sangue escorre pelas paredes e as vísceras caem no chão. E felizmente, sempre podemos ver algumas mortes bem interessantes na maior parte desses filmes.

Nesta lista, reunimos 10 das mortes mais grotescas, bizarras e absurdas de filmes de terror. Algumas ficaram icônicas – enquanto outras acabaram beirando o ridículo. De qualquer forma, se você gosta de algo macabro, pode conferir em breve…

Créditos: Divulgação

Imagem de capa do item

Criança assassina (Cemitério Maldito, 1989)

Baseado em um icônico livro de Stephen King, o clássico Cemitério Maldito da década de 80 fez muitas pessoas ficarem com medo de crianças - afinal, não tinha como não ficar, especialmente com o jovem Gage Creed ressuscitado dos mortos.

Uma das cenas mais assustadoras do filme se dá quando o jovem menino persegue o vizinho, Jud Crandall. Não satisfeito de matar o homem, o pequeno assassino decide também devorá-lo, mordendo seu pescoço e fazendo rios de sangue jorrarem.

Imagem de capa do item

Decapitado pelo vidro (A Profecia, 1976)

Falando em crianças diabólicas, não podemos nos esquecer de A Profecia, um clássico da década de 70 e que ganhou fama de "amaldiçoado" por muitos. Uma das cenas mais perturbadoras se dá quando um fotógrafo chamado Keith Jennings é decapitado.

A cena é bizarra por inúmeros motivos. Primeiro, por vermos Keith perdendo a cabeça (literalmente) graças a uma lâmina de vidro. Além disso, após o lançamento do filme, a assistente do criador de efeitos visuais acabou morrendo decapitada em um acidente de carro. Macabro, não?

Imagem de capa do item

Marionete (A Hora do Pesadelo 3: Os Guerreiros dos Sonhos, 1987)

Uma das franquias mais clássicas do horror mundial, A Hora do Pesadelo inovou por seus conceitos, criando um vilão memorável na forma de Freddy Krueger - um assassino capaz de matar as pessoas a partir de seus sonhos.

No terceiro filme, há uma morte particularmente peculiar, na qual Freddy controla o corpo do adormecido Phillip Anderson como uma marionete, e o joga de um prédio na frente de todos os amigos do garoto. O mais incrível dessa cena é ver Freddy gigante, controlando o menino com cordas invisíveis.

Imagem de capa do item

CD Head (Hellraiser III: Inferno na Terra, 1992)

Outra clássica franquia de horror originada nos anos 80, Hellraiser nos apresentou a fascinante mitologia dos Cenobitas - demônios vindos de uma dimensão extraterrena, onde a dor e o prazer são a mesma coisa. O terceiro filme chutou o pau da barraca, fazendo mortes bem... bizarras.

Uma das mais divertidas sem dúvidas se dá quando um adolescente é morto por "CDs voadores", que cortam toda a sua cabeça. O mais divertido disso é que, após morrer, ele volta à vida como o cenobita "CD Head", disparando discos como projéteis.

Imagem de capa do item

A planta carnívora (A Pequena Loja dos Horrores, 1986)

Considerado um dos pilares do terrir - um subgênero do horror que mistura elementos de comédia -, o clássico A Pequena Loja dos Horrores é um filme cultuado por muitos, especialmente por seus personagens marcantes e por seus efeitos visuais gloriosos para a época.

Uma das melhores mortes do filme se dá quando uma planta carnívora com consciência própria, chamada Audrey II, devora um dentista. A cena é bem divertida e dá o mote do filme, uma vez que o protagonista, Seymour, começa a procurar corpos para alimentar a planta...

Imagem de capa do item

A coisa faminta (O Enigma de Outro Mundo, 1982)

John Carpenter surpreendeu o mundo com O Enigma de Outro Mundo, um excelente filme sobre paranoia e um terrível monstro escondido na Antártida, capaz de tomar a forma de qualquer pessoa ou coisa. O filme conta com diversas cenas bem impactantes.

Em uma delas, um médico tenta reanimar um corpo, apenas para descobrir que o cadáver em questão era a própria "coisa" - que abre uma boca gigantesca a partir do peito do cadáver, comendo os braços do médico. Triste fim.

Imagem de capa do item

Armadilha impossível (Jogos Mortais 3, 2006)

A franquia Jogos Mortais é exemplar no que diz respeito a mortes impressionantes e bizarras, muito em parte graças às diversas armadilhas arquitetadas por Jigsaw. Com o passar do tempo, novos assassinos surgiram para "assumir o manto" do letal vilão.

Em Jogos Mortais 3, vemos a origem de uma das armadilhas mais icônicas da franquia. Nela, a vítima fica pendurada e pode ser empalada a qualquer momento, a não ser que pegue uma chave no fundo de um vidro cheio de ácido. Nem precisamos dizer, mas as coisas não acabaram bem para a detetive Allison Kerry...

Imagem de capa do item

A cabeça explodida (Scanners: Sua Mente Pode Destruir, 1981)

Você provavelmente já viu esse gif milhares de vezes na internet, e se não sabia a origem dele... agora sabe. Um dos filmes mais icônicos da carreira de David Cronenberg, o cultuado Scanners: Sua Mente Pode Destruir lida com pessoas com poderes telepáticos.

No filme, um grupo paramilitar chamado ConSec recruta essas pessoas, mas logo se veem em uma enrascada, quando o líder da corporação tem sua cabeça explodida pelo poderoso Darryl Revok, que acaba se tornando um dos principais antagonistas do filme.

Imagem de capa do item

O microondas (A Última Casa, 2009)

A Última Casa é um baita de um suspense com cenas genuinamente apavorantes, já que conta a história de uma menina que é estuprada e deixada para morrer, enquanto os culpados vão atrás dos pais dela para garantir que eles não abram o bico sobre o ocorrido.

No entanto, há cenas bem impressionantes aqui - especialmente quando o jogo vira e os assassinos passam a ser assassinados. Um belíssimo exemplo se dá quando John Collingwood, o pai da vítima, paralisa um dos criminosos e faz com que a cabeça dele exploda em um microondas. Ai!

Imagem de capa do item

A morte não descansa (Premonição, 2000)

Assim como Jogos Mortais, a franquia Premonição é outra que surpreende ao dar mortes extremamente bem arquitetadas e grotescas para seus personagens. Várias cenas poderiam estar nessa lista, mas a mais "absurda", por assim dizer, acontece no primeiro filme.

Trata-se da morte de Valerie Lewton, a professora que escapa da morte à bordo do voo 180. Infelizmente, a morte a persegue incansavelmente, o que acaba resultado numa das cenas de morte mais engraçadas, já que toda a casa de Valerie se volta contra ela para garantir que, dessa vez, ela não escape.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux