Capa da Publicação

10 filmes de heróis (além de Doutor Estranho) que flertam com o terror

Por Arthur Eloi

Quando Doutor Estranho no Multiverso da Loucura foi anunciado, o projeto foi descrito de forma ambiciosa: o primeiro filme de terror do Universo Cinematográfico da Marvel.

Eventualmente o diretor Sam Raimi (Evil Dead, Homem-Aranha) assumiu as rédeas do longa e, ainda que assuma que não é exatamente um longa de gênero, entregou algo que flerta bastante com o macabro.

Acontece que Doutor Estranho 2 não é o primeiro filme de herói com um pézinho no horror. Na verdade, há uma boa linhagem de obras que brincam com elementos sombrios para testar seus personagens. Confira abaixo outros filmes de herói que flertam com o terror!

Imagem de capa do item

Homem-Aranha 2

Homem-Aranha 2 definitivamente não é um filme de terror, mas é um ótimo exemplo de como a estética macabra pode ser usada para elevar obras de outros gêneros. Afinal, também é um filme dirigido por Sam Raimi.

O longa tem momentos verdadeiramente sombrios, como todo o trecho de transformação de Otto Octavius no perverso Doutor Octopus. Depois de um acidente com conclusão surpreendentemente violenta, o cientista é levado para um hospital para ter seus braços mecânicos removidos. Acontece que as garras são sencientes, e lutam contra as investidas dos médicos.

O momento é repleto de tensão, e dirigido como um filme de monstro. Sam Raimi até consegue brincar com planos muito parecidos com os que o consagraram na trilogia Evil Dead, criando um paralelo entre o clássico do horror e a segunda aventura do Teioso.

Imagem de capa do item

Brightburn: Filho das Trevas

Em Batman vs. Superman, a senadora Finch não acredita que o Superman pode se manter puramente bom sendo o ser mais poderoso da Terra, dizendo que: "O poder corrompe, e o poder absoluto corrompe absolutamente”. Quem levou a ideia a sério foi o diretor David Yarovesky (Noitarios de Arrepiar), com Brightburn: Filho das Trevas.

Produzido por James Gunn e escrito por seu irmão e primo, Brian e Mark Gunn, o longa é essencialmente a história do Superman perverso. Ao invés de ser mandado para a Terra para se refugiar, o garoto Brandon Breyer (Jackson A. Dunn) é basicamente um alienígena invasor disfarçado de criança. Parte de uma família disfuncional, ele gradualmente vê seus poderes surgindo e se questiona sobre a sua origem, trilhando um caminho sangrento para entender sua conexão com o espaço sideral.

Diferente de muitos outros títulos da lista, Brightburn não só flerta com o terror, como é realmente uma obra do gênero.

Imagem de capa do item

Os Novos Mutantes

A última obra dos X-Men feita pela 20th Century Fox antes da aquisição pela Disney, Os Novos Mutantes é uma obra da Marvel que flerta com o horror anos antes de Doutor Estranho 2 fazer o mesmo.

Ambientado em um hospital psiquiátrico, o longa acompanha um grupo de adolescentes mutantes que são removidos da sociedade por ainda não entenderem bem como usar os seus poderes. Tudo toma rumos sombrios quando percebem que há forças misteriosas por trás de sua detenção, e que talvez não tenham as melhores intenções.

A efetividade de Novos Mutantes como terror pode ser disputada, claro, mas há tensão e alguns sustos. Além disso, o filme é inteiramente baseado em A Hora do Pesadelo 3 - Os Guerreiros dos Sonhos (1987), que também é ambientado em um hospital e acompanha um grupo de jovens com poderes.

Imagem de capa do item

Blade II

O cineasta mexicano Guillermo del Toro é um queridinho dos fãs de horror, e também é um enorme fã de HQs. Em 2002, quando a febre de filmes de heróis começava, ele pode emprestar um pouco de seu estilo na continuação de Blade, O Caçador de Vampiros (1998).

Estrelado por Wesley Snipes e baseado nas HQs da Marvel, Blade II vira tudo de cabeça para baixo ao fazer com que Blade se alinhe com seus inimigos, os vampiros, para deter uma nova mutação da criatura.

Nas mãos de del Toro, tudo que já era bom no primeiro fica ainda melhor, em especial as criaturas grotescas da noite que são caçadas pela protagonista.

Imagem de capa do item

Darkman: Vingança Sem Rosto

Antes de Homem-Aranha, Sam Raimi já mostrava interesse em fazer um filme de heróis. Em 1990 ele criou seu próprio personagem em Darkman: Vingança Sem Rosto.

Em uma verdadeira premissa de filme B, o longa acompanha um cientista que, após ser atacado e desfigurado por mafiosos, usa sua tecnologia de mudança de rostos para se tornar um vigilante.

O filme abraça a própria breguice de ficção científica, mas também utiliza muito do horror em sua estética e na construção de tensão. Sam Raimi sempre teve estilo forte, e em Darkman ele mostra toda a sua força.

Imagem de capa do item

Hellboy

Guillermo del Toro pegou gosto por adaptações de HQs. Apenas dois anos após Blade II, ele retornou em 2004 com Hellboy, baseado nos quadrinhos de Mike Mignola.

Com um personagem que é literalmente um demônio, o cineasta aqui explorar toda a estética gótica e fantástica que é apaixonado, em um mundo repleto de criaturas de todo tipo.

Hellboy continua querido até hoje por seu universo intrigante que transita entre fábula e o horror, com o próprio del Toro afirmando que adoraria fazer um terceiro filme para o personagem.

Imagem de capa do item

Motoqueiro Fantasma

Os blockbusters dos anos 2000 costumavam flertar com o terror e com uma estética mais gótica. Afinal de contas, foi a década em que franquias como Anjos da Noite brilharam nos cinemas. Adaptações de HQ não eram diferentes, e tinham uma pegada mais sombria, como demonstra Motoqueiro Fantasma.

Estrelado por Nicolas Cage, o filme da Marvel pega um dos personagens mais sombrios da casa, o Espírito da Vingança, e o coloca em uma obra bastante estranha e macabra. É um longa de qualidade duvidosa, claro, mas um que sabe bem como criar uma aventura divertida com gostinho de horror.

Imagem de capa do item

Constantine

O herói mais trevoso da DC Comics também teve uma chance de brilhar nas telonas. Vivido por Keanu Reeves, Constantine se tornou um clássico cult que cada vez mais é abraçado entre os fãs de HQs.

O longa segue o demonologista John Constantine que, na tentativa de levar sua alma para o Céu, decide ajudar na investigação de um estranho caso de assassinato.

Keanu Reeves cria sua própria versão do icônico personagem em um filme que é lembrado por seu excelente elenco, por sua estética sombria e pelos ótimos momentos de tensão.

Imagem de capa do item

O Corvo

Infelizmente O Corvo é marcado por uma tragédia, já que o longa traz a performance final de Brandon Lee, filho de Bruce Lee que foi vítima de um disparo acidental durante as gravações do filme.

Mas mesmo olhando além desse incidente macabro, o filme continua bastante sombrio ao acompanhar um mundo cheio de sujeira, crime e assassinato. Lee vive um músico que, após ser assassinado, volta dos mortos para se vingar dos criminosos em uma sangrenta jornada.

Adaptação dos quadrinhos de James O'Barr, O Corvo é um dos filmes que ajudou a mostrar a força de obras de heróis mais adultas.

Imagem de capa do item

Spawn, O Soldado do Inferno

É impossível fazer um filme chamado Spawn, O Soldado do Inferno sem flertar com o terror, né? Ainda mais quando se trata da adaptação de uma HQ de Todd McFarlane, que fez seu nome como um quadrinista de obras exageradas, sombrias e adultas.

O filme acompanha um mercenário de elite chamado Al Simmons (Michael Jai White) que é traído por seus chefes. Ao morrer, ele ganha uma segunda chance ao fechar um pacto com o capeta, e retorna como um servo do diabo para caçar quem o matou.

Além do protagonista, o longa é marcado por muitos outros demônios e criaturas bizarras. Ainda que não seja um filme bem avaliado, é lembrado como uma deliciosa bagaceira trash para os fãs de quadrinhos e terror.

Imagem de capa do item

Menção honrosa: Monstro do Pântano

Tudo bem que é uma lista sobre filmes, mas é impossível falar da relação entre obras de heróis e horror sem citar a série do Monstro do Pântano. Baseado no personagem da DC, o seriado pende muito mais para o lado do terror, com visuais fantásticos e muito tensão.

Produzida por James Wan, de Invocação do Mal, Maligno e muito mais, a trama acompanha uma médica que descobre que seu amado se tornou uma criatura grotesca que defende os pântanos de ameaças externas.

Ainda que a premissa seja de ficção científica clássica, o programa é conduzido como um horror moderno, e impressiona pelos sustos e pelo visual dos monstros. Infelizmente, foi injustamente cancelado com apenas uma temporada, e deixou uma enorme legião de fãs pedindo por mais.

Qual obra é a sua favorita? Deixe nos comentários abaixo!

Imagem de perfil
Arthur Eloi

Repórter entusiasta de filmes ruins, jogos de tiro e de horror em todas as suas formas. Dá notas duvidosas para obras questionáveis • @ArthurEloi117