[CRÍTICA] Blade Runner 2049 – Entre Lobos e Ovelhas Elétricas

Capa da Publicação

[CRÍTICA] Blade Runner 2049 – Entre Lobos e Ovelhas Elétricas

Por Gus Fiaux

Chegando nesta quinta-feira aos cinemas, Blade Runner 2049 reúne Ryan Gosling Harrison Ford em uma continuação situada trinta – e lançada trinta e cinco – anos após O Caçador de Androides, um filme que revolucionou a história da ficção científica e das narrativas cyberpunk. 

Dirigida por Denis Villeneuve, dos elogiadíssimos A Chegada Os Suspeitos, a sequência inova de uma forma impressionante, resgatando elementos importantíssimos do filme de Ridley Scott ao mesmo tempo que apresenta um novo e instigante protagonista.

Créditos: Sony Pictures
Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux