Capa da Publicação

[CRÍTICA] A Morte do Superman – É tudo o que Batman vs Superman deveria ter sido!

Por Guilherme Souza

O Superman, é um dos maiores super-heróis (se não o maior) de todos os tempos, além de inúmeras histórias de sucesso nos quadrinhos, o herói também é protagonista de muitos filmes nos cinemas, séries, animações e jogos. Em 2018, o herói completou 80 anos de existência, e como uma forma de homenagem, a Warner Bros. lançou uma nova animação baseada na clássica história da Morte do Superman.

Lançada exclusivamente para o mercado doméstico, a animação tem como objetivo dar uma nova roupagem para a história clássica e integrá-la ao universo de animações da DC. Confira nossa crítica SEM SPOILERS e descubra se a homenagem foi bem feita.

Imagens: Divulgação

O vídeo não está mais disponível.

Ficha Técnica

Título: A Morte do Superman

Ano: 2018

Lançamento: 07 de agosto de 2018 (Plataformas Digitais)

Direção: Sam Liu, James Tucker e Jake Castorena

Duração: 1h e 21m

Sinopse: Um asteroide atravessa a atmosfera, espatifa-se no oceano e traz com ele uma força imbatível chamada Apocalypse. Com vidas inocentes ameaçadas e Metrópolis sob ataque, Batman e Mulher-Maravilha correm para enfrentar essa ameaça.

Imagem de capa do item

Antes de mais nada, vamos resumir um pouco a trama principal do longa para situar aqueles que não tiveram contato com a história original. Em 1992, o autor Dan Jurgens foi responsável por escrever a história chamada A Morte do Superman, onde vemos o icônico símbolo americano entrando em uma luta até às últimas consequências contra a aberração chamada Apocalypse.

A história é considerada uma das mais icônicas do azulão, já que, na época, a DC teve que se mostrar corajosa para matar um dos seus principais super-heróis, mas, posteriormente, descobrimos que ela culminaria em algo ainda maior. Por esse motivo, é comum que A Morte do Superman tenha se tornando uma referência para os fãs de quadrinhos.

Imagem de capa do item

Desde que lançou o arco Novos 52 nos quadrinhos, a DC tem investido em um universo de filmes animados que são baseados pelas histórias do novo arco. Entretanto, mesmo depois que a editora reformulou suas publicações e passou a a publicar o Renascimento DC, a Warner continua produzindo novos filmes desse universo Novos 52 - e A Morte de Superman faz parte dele.

Mesmo que a história original tenha sido publicada nos anos 90, o novo filme animado tem como objetivo repaginar a história e recontar alguns fatos para encaixá-lo nesse universo animado. Logo de cara, devo dizer que essa fusão funcionamento bem, já que as alterações foram pontuais e toda atmosfera e essência da HQ foram transferidas com maestria para a animação.

Imagem de capa do item

Antes de nos aprofundarmos mais na animação, devo dizer que essa não é a primeira vez em que a história ganha destaque em outra mídia, na verdade, este é o segundo filme animado em que vemos a HQ sendo adaptada. Em 2007, Bruce Timm, responsável pelas clássicas séries animadas do Superman e do Batman, dirigiu o longa A Morte do Superman, que como o próprio nome diz, reconta a história da HQ, mas em um universo mais fiel ao do material original.

Além disso, não posso deixar de citar Batman vs Superman, que também usou a HQ de Jurgens como base para sua história (e outras 999 HQs). A citação de Batman vs Superman nesta crítica é necessária, já que, devo dizer, fiquei encantado com a nova animação do DCAU (Universo Animado DC), porém não posso dizer o mesmo sobre o filme dirigido por Zack Snyder.

Imagem de capa do item

Embora Batman vs Superman tenha elementos visuais que me agradam e muito, as decisões narrativas do longa possuem momentos completamente equivocados, além da construção de alguns personagens que deixa muito a desejar, principalmente no que se refere ao Superman.

Ao contrário de sua versão em live-action, o Superman de A Morte do Superman é querido por todos e considerado um verdadeiro símbolo de heroísmo. Por onde ele passa, podemos ver o escoteiro tirando fotos com os moradores de Metrópolis e sendo idolatrado. No entanto, mesmo com toda essa idolatria, o herói ainda mantém as raízes humildes vindas de sua criação na fazenda e não se parece com a figura messiânica e carrancuda da versão em live-action.

Imagem de capa do item

Por falar nas origens do Superman, o longa também conta com a presença de Martha e Jonathan Kent, que apesar de desempenharem um papel curto na trama, conseguem reforçar os valores do Superman, que a todo momento, se refere aos pais para justificar sua personalidade e seus atos de heroísmo.

O Superman animado é um verdadeiro deleite para os fãs. Por mais que não goste muito do visual do arco Novos 52 (e que aquele não seja o verdadeiro superman pós-crise), consigo enxergar nele todas as características que tornam o Superman das HQs tão respeitado e amado, diferente da versão em live-action.

Imagem de capa do item

A trama não perde tempo dando grandes explicações sobre a origem de Apocalypse ou quais são os objetivos dele na Terra, até porque, o mostrengo é considerado um ser irracional que tem como premissa básica a necessidade de destruir tudo o que vê pela frente.

Além disso, devemos considerar que a história foi dividida em duas partes, sendo a primeira A Morte do Superman e a segunda, O Reinado dos Supermen, no qual irá mostrar *(alerta de spoiler) o renascimento do Superman. Dito isso, é provável que eles expliquem mais sobre a origem de Apocalypse no segundo longa, mas se você é um fã assíduo da DC (ou ao menos assistiu aos filmes animados anteriores), terá algumas pistas sobre isso.

Imagem de capa do item

Assim como nos quadrinhos, o Apocalypse é uma máquina imparável de destruição, chegando ao ponto de derrotar todos os membros da Liga da Justiça. Felizmente, o Superman estava lá para salvar o dia.

A ação da luta entre a monstruosidade e os membros da Liga é frenética, onde vemos, em cenas extremamente bem detalhadas e animadas, elementos visuais que são dignos dos filmes em live-action, porém com alguns toques de animes no estilo Dragon Ball.

Os diretores Sam Liu, James Tucker e Jake Castorena com certeza fizeram um excelente trabalho, entregando uma animação que sabe dosar momentos de leveza, ação e até mesmo romance.

Imagem de capa do item

O mais marcante de tudo isso, é vermos o quanto o Superman se importa com as pessoas, abdicando de sua própria vida para que um vilão seja destruído, e o longa transmite essa mensagem muito bem, principalmente nos momentos em que o azulão se mostra preocupado com o bem-estar dos civis, independente do caos que ele esteja enfrentando com Apocalypse.

Outro ponto que se destaca no longa é o fato de vermos a relação amorosa entre Clark Kent com Lois Lane, a impetuosa jornalista do Planeta Diário. Ao meu ver, um dos maiores problemas do Superman dos Novos 52 foi a relação romântica com a Mulher-Maravilha, algo no qual muitos fãs também não se agradaram.

Infelizmente, a relação entre os heróis também foi transportada para os filmes animados, porém em A Morte do Superman, vemos isso sendo encerrado para que Lois e Clark possam se entrelaçar. Mas espere, não estou falando da Lois Lane que joga uma lança dentro da água e depois quase se afoga tentando resgatá-la. Falo da Lois determinada, sensível e que mostra sua força mesmo nos momentos mais difíceis.

Imagem de capa do item

Além de Lois, outro personagem que se beneficia de sua versão animada é Lex Luthor, que ostenta todas as características principais do vilão nos quadrinhos. Podemos ver o Lex frio, calculista e extremamente inteligente, que articula planos maquiavélicos e que está disposto a tudo para destruir o Superman.

Nada de “Chá de Pêssego da Vovó” ou trejeitos afetados aqui, tudo o que temos é um empresário extremamente ameaçador e imponente.

Fora os grandes figurões, temos também Jimmy Olsen, Cat Grant, Mercy Graves, Bibbo Bibbowski e tantos outros personagens que compõem o cânone do Superman e que fazem extrema diferença na mitologia desse herói tão querido, outro ponto que os filmes falharam em mostrar.

Imagem de capa do item

Como puderam notar, A Morte do Superman é uma animação extremamente bem-feita, com elementos narrativos incríveis e uma verdadeira homenagem à história original e ao Superman.

Todos os elementos se encaixam perfeitamente e posso dizer que ela se destaca como um dos melhores filmes do DCU. Como um fã de quadrinhos, é frustrante pensar que toda essa aura heróica e esperançosa do Superman não conseguiu ser traduzida para os filmes mais recentes da DC. A construção do universo animado é digna de aplausos, já que tivemos um primeiro filme responsável por mostrar a união da Liga da Justiça e dali em diante, todas as demais histórias foram se ramificando.

Concordando com a crítica, que disse que Batman vs Superman é um filme que tem uma narrativa “inchada” e que tenta abordar muitos eventos de uma só vez (servir de continuação para O Homem de Aço, apresentar a Trindade, introduzir a Liga da Justiça, servir de base para o filme da Mulher-Maravilha, morte do Superman e sabe-se mais o que); isso com certeza fez com que a morte do Superman não tivesse o impacto que merecia, coisa que a animação faz de forma brilhante.

NOTA: 5/5

Imagem de perfil
Guilherme Souza

Outra grande manchete: 'Água, molhada!'