Capa da Publicação

BIG Festival 2022: 6 jogos que você precisa conhecer no evento de games

Por Arthur Eloi

O BIG Festival, um dos principais festivais de jogos independentes do Brasil, voltou com tudo ao formato físico em 2022. Dessa vez, o evento acontece nos pavilhões do São Paulo Expo, a mesma sede da CCXP, e este ano traz um dos melhores line-ups de jogos indies brasileiros da história das edições.

Por mais que o evento tenha sim estações de Xbox, PlayStation e Nintendo Switch, os indies ainda são a alma do BIG, e um passeio pela excelente mostra de projetos brasileiros é parada obrigatória. Pelo que os desenvolvedores contaram ao Detonado!, o período de pandemia e distanciamento social trouxe maior polimento e objetivos mais realistas ao projetos nacionais. Os games são menores, sim, mas compensam em altíssimo nível de qualidade e acabamento, sem dever em nada à obras internacionais.

Pretende visitar o festival e está sem muito tempo? Vai ficar em casa e quer sentir um gostinho da excelente leva de jogos nacionais que serão lançados nos próximos anos? Separamos abaixo cinco jogos essenciais para curtir e conhecer no BIG Festival 2022!

Imagem de capa do item

Wind Runners

A mesa do pessoal da Ludic Studios está adornada com um banner de Kate: Collateral Damage, game desenvolvido e lançado em 2021 para promover o filme da Netflix estrelado por Mary Elizabeth Winstead. Mas os desenvolvedores aproveitaram o evento para testar as águas para outro projeto, chamado Wind Runners.

De longe, o game de naves chama atenção com cenários coloridos e uma excelente combinação de pixel art com 3D, que só dá mais vida às batalhas. Os objetivos são simples - destruir todos os inimigos no cenário - mas a jogabilidade é desafiadora na medida certa, com surpreendente gama de opções de manobra e armamentos para caçar naves rivais pelos ares.

O jogo lembra bastante o altamente viciante Luftrausers, publicado pela Devolver Digital em 2014, e tem tudo para ser a nossa próxima obsessão, sempre em busca de dominar seus controles e os ares.

Imagem de capa do item

Bloodless

Facilmente uma das melhores demonstrações do evento, Bloodless conquista pela premissa inspirada em mangás de samurais, mas com um diferencial importante: é a história de uma ronin com um passado sangrento que jurou nunca mais praticar violência.

Ainda assim, o jogo é bastante frenético, já que a ronin Tomoe precisa enfrentar outros samurais e oponentes armados apenas usando golpes não-letais e contra-ataques. É preciso saber como se movimentar bem pelos cenários, e pegar certinho o timing para se esquivar, defender e desarmar inimigos impiedosos.

Bloodless é marcante por seu visual de poucas cores, mas com animações muito detalhadas, pelos seus diálogos com surpreendente sensibilidade, e parece que dará trabalho para conquistar suas mecânicas. No evento, os desenvolvedores da Point N’ Sheep, de Recife, afirmaram que já até tiveram que reprogramar a demonstração já que acidentalmente acabaram criando algo complicado demais para o chão da feira.

Imagem de capa do item

Pocket Bravery

A beleza da seleção de games do BIG Festival 2022 é justamente a enorme variedade de estilos e gêneros. Caminhar pelas seção de jogos brasileiros significa ver um pouco de tudo, inclusive o promissor jogo de luta Pocket Bravery.

Com personagens fortemente inspirados por animes como Dragon Ball, o game traz mecânicas a lá Street Fighter ridiculamente polidas e fluidas. Os combates são intensos, e há todo tipo de personagem que você esperaria de um blockbuster - os que soltam poderes, os que dão agarrões, os pugilistas, e por aí vai.

Normalmente, desenvolvedores indie não fazem tantos jogos de luta por ser um pequeno inferno cuidar do balanceamento, mas o pessoal da Statera Studio parece ter tirado isso de letra - ainda que tenham admitido ao Detonado! que também estão penando para garantir uma experiência justa, balanceada e competitiva.

Tiramos um contra com um dos desenvolvedores, e ficamos impressionados pelas ótimas mecânicas, pelo elenco carismático com boas animações, e pelos cenários inspirados em locais do mundo real, como uma tarde sol em Porto, Portugal, as ruas do Japão, e também os palcos do Treta Championship, em Curitiba. Pocket Bravery tem tudo para se tornar um fenômeno entre os entusiastas de jogos de luta, incluindo modo história, e online com rollback netcode, que garante partidas justas e sem delay até via internet.

Imagem de capa do item

Astrea: Six-Sided Oracles

Talvez a demo mais impressionante de todo o evento, Astrea é um dos jogos mais únicos em exposição no BIG Festival 2022. Desenvolvido pela equipe da Little Leo Games, é um game de combate por rolagem de dados com um mecânica muito interessante de conflito entre o bem e o mal.

Em um mundo em que essas forças se enfrentam, o jogador precisa purificar criaturas corrompidas, que por sua vez tentam corromper o protagonista. O ataque acontece com uma série de efeitos tirados aleatoriamente em dados de seis lados, que podem ter consequências de Purificação ou Corrupção. Com uma quantidade limitada de movimentos por turno, cada mão pede por várias decisões estratégicas de quando atacar, quando se defender e até mesmo de quando se corromper para liberar novas habilidades.

A jogabilidade de Astrea é um complexo cabo de guerra, em que é preciso dar sangue para tirar sangue - mas sempre tentando antecipar o azar e as jogadas do inimigo para não sangrar até a morte. A demo nos apresenta uma lore de fantasia bastante interessante, e um visual impecável que relembra algo como Child of Light, e impressiona pela quantidade de conteúdo.

Imagem de capa do item

Undergrave

O desenvolvedor Thiago Oliveira, do Maranhão, já mostrou sua força com o ótimo Red Ronin. Agora, ele retorna com outra experiência em turnos altamente viciante, e que já está prestes a ganhar lançamento oficial: Undergrave.

Esse roguelike traz um visual macabro, como explorar tumbas cheias de cadáveres e monstros, e seu personagem tem apenas três habilidades: um dash para frente, saltar e arremessar sua espada. As três podem ser usadas de formas ofensivas e defensivas, e todo turno - seja se movimentando ou atacando - resulta em uma ação do lado dos inimigos.

Pode parecer simples de primeira, mas é um game deliciosamente desafiador de dominar. É fácil cometer erros e acabar cercado por zumbis que drenam seus pontos de vida, ou então seus pontos de ação apenas para fugir. Mas nada bata a satisfação de fatiar uma série de inimigos em linha com uma única ação. No evento, era possível ver que o público se sente desafiado por Undergrave, aproveitando os curtos minutos com a demonstração para tentar chegar cada vez mais longe e passar menos perrengues no campo de batalha.

Undergrave tem lançamento marcado para 13 de julho no PC.

Imagem de capa do item

Knights of the Deep

Jogos com multiplayer local são sempre uma ótima pedida para eventos. Não só é legal tirar uns contras com seus amigos, como também é uma boa oportunidade para desafiar e se divertir com estranhos. Nesse aspecto, Knights of the Deep é um dos melhores títulos em exposição no BIG Festival.

Uma mistura absolutamente estranha de jogos, o game tem a dinâmica caótica de Super Smash Bros., jogabilidade moldada por Dark Souls, capacidade de até 64 jogadores a lá battle royale... e é protagonizado por lagostas.

Podendo ser aproveitado em até oito jogadores, o caos de Knights of the Deep rende alguns dos melhores momentos do evento. É muito inusitado olhar para a tela e ver uma enorme arena de lagostas gigantes saindo na mão, trocando pinças e se atacando com sabres de luz ou martelos iguais ao do Thor. Já valeria menção na lista apenas por ser um jogo de tela dividida, uma raridade na era dos jogos que são só online, mas o game nos conquistou com sua bizarra porradaria crustácea.

Imagem de capa do item

Menções honrosas

Seis jogos não é o suficiente para demonstrar a grandeza dos títulos em exposição no BIG Festival 2022, portanto vale citar mais algumas demos que fisgaram nossa atenção. O horror The Devil Inside Us, lançado para PC em outubro de 2021, despertou nossa curiosidade mórbida ao nos colocar no papel de um exorcista - com excelente dublagem por ninguém menos que Lauro Fabiano, a voz brasileira de Alvo Dumbledore na franquia Harry Potter.

Sasá: O Perigo Tem Microfone, o projeto de TCC de uma das desenvolvedoras do Estarta Estúdio, é um dos mais carismáticos jogos em exibição, um beat-em-up estrelado por uma apresentadora de programa infantil que precisa resgatar seu assistente de palco. Imagine a Xuxa descendo o cacete (e o microfone) em punks e palhaços nas ruas do Rio de Janeiro, e é impossível não ficar com vontade de jogar isso - especialmente com o ótimo traço inspirado nos desenhos clássicos da Hanna Barbera. A jogabilidade ainda precisa ser lapidada, mas o humor e o visual já valem a sua atenção.

Outro jogo para curtir com a galera é PiraCrash. Desenvolvido por uma única pessoa na Unreal Engine, o game traz uma variedade de mini-games em que patos de borracha se enfrentam em intensos combates. Não bastante as frenéticas disputas que tiramos com outros visitantes, um dos desenvolvedores da MadMozer ainda nos apresentou o modo single-player em que, ao melhor estilo Cuphead, é preciso enfrentar uma série de chefões com muita esquiva e ataques com timing certeiro.

Lembrando que o BIG Festival acontece até 10 de julho no São Paulo Expo, e mais informações podem ser encontradas no site oficial do evento.

Se você pretende visitar o evento, recomendamos se perder pela seção de jogos indies brasileiros e conversar com os desenvolvedores, você com certeza sairá com uma ótima lista de games para ficar de olho!

Imagem de perfil
Arthur Eloi

Repórter entusiasta de filmes ruins, jogos de tiro e de horror em todas as suas formas. Dá notas duvidosas para obras questionáveis • @ArthurEloi117