Arrow – Pontos fortes e fracos de “Brotherhood”!

Capa da Publicação

Arrow – Pontos fortes e fracos de “Brotherhood”!

Por Mike Sant'Anna

O episódio não foi um dos mais memoráveis da temporada mas ainda assim, manteve um bom padrão de qualidade. Confira os pontos fortes e fracos do episódio Brotherhood.

Imagem de capa do item

Ponto forte - Campanha Política

Desde que Oliver Queen resolveu se candidatar à prefeito de Star City, a série tem feito um bom trabalho abordando esse outro lado da vida dupla do Arqueiro Verde. E tem feito Oliver se preocupar realmente com detalhes políticos e abordá-los na série, mostrando que existe mais do que uma maneira de salvar a cidade. E essa abordagem tem me lembrado muito do que foi retratado de Harvey Dent no filme Batman: O Cavaleiro das Trevas de Christopher Nolan.

Imagem de capa do item

Ponto Fraco - A liga pode esperar

Não, não é a Liga da Justiça, e sim a Liga dos Assassinos. Desde que Malcolm Merlyn assumiu o post de Ra's Al Ghul, a liga dos assassinos tem virado uma piada atrás de outra. Desde Nanda Parbat se transformando no quintal de Star City,

Oura piada é Malcolm abandonando completamente qualquer dever que ele tenha adquirido como a nova Cabeça do Demônio, só pra ir levar uma ficha de um pedófilo pra Thea. Eu gosto muito de John Barrowman, e Malcolm foi um personagem excelente, até o momento em que ele se tornou Ra's.

Imagem de capa do item

Ponto forte - Ameaças políticas

Se nós temos um herói tentando salvar a cidade com soluções políticas, nada mais justo do que termos um vilão tentando destruir e acabar com a cidade do mesmo jeito.

É interessante que isso esteja sendo abordado exatamente na mesma época de eleições presidenciais nos EUA. Damian mostrou nesse episódio exatamente o que ele fez pra trazer o Capitão Lance para o seu lado sombrio, além de deixar claro que o vilão tem um leque de opções e maneiras de como matar Star City de uma vez.

Imagem de capa do item

Ponto fraco - Flashbacks, mais uma vez

Eu ainda não entendi a obrigatoriedade de se existir os flashbacks da ilha todo santo episódio. Um ou outro até que passou, os flashbacks envolvendo o Constantine foram realmente necessários.

Mas em episódios como o dessa semana, serviram apenas para tomar tempo do episódio, tempo esse que poderia ter sido aproveitado para desenvolver mais a trama.

Fica parecendo que eles estão lá apenas pra encher linguiça por falta de criatividade da equipe de roteiristas para desenrolar a trama do episódio.

Imagem de capa do item

Ponto forte - Diggle

Diggle não tem sido um excelente personagem durante essa temporada. Mas nesse episódio o personagem trouxe à tona uma parte da sua personalidade que nem todos tínhamos ciência que existia.

Afinal, todos esperávamos que ele fosse agir como Oliver ou Laurel quando o assunto é família, mas a maneira como Diggle reagiu ao encontrar Andy, e saber que ele estar vivo, foi um tanto quanto surpreendente.

Imagem de capa do item

Ponto forte - Colmeia

Desde que a Colmeia foi anunciada na série, eu esperava pra ver quando teríamos as "abelhas" sem vontade própria, com uma mente coletiva controlada por uma força maior. E finalmente nesse episódio tivemos o primeiro relance de que isso irá acontecer.

Imagem de capa do item

Ponto fraco - Por que não fizeram isso antes?

Depois de tanto tempo quebrando a cabeça com a identidade dos fantasmas, que o anonimato deles era realmente um dos maiores problemas com o grupo, de repente, da maneira mais aleatória e conveniente possível, Curtis inventa uma câmera com um algorítimo (sempre um algorítimo) que consegue mapear a estrutura do rosto dos Fantasmas pra saber qual deles era Andrew.

Dentro desse banco de dados enorme que Felicity tem (que eu também nem discuto mais sobre isso), não teria uma maneira de mapear o rosto de todos os Fantasmas e descobrir suas identidades?

Imagem de capa do item

Ponto forte - Darhk e Thea

Depois da gente descobrir que Damian Darhk assiste animações da Disney, tivemos o encontro do vilão com Speedy.

Foi rápido, mas ainda assim foi intenso e emocionante, ficamos nos perguntando como Thea iria se salvar de Damian, e arrisco dizer que ninguém esperava que ela fosse, na verdade, "imune" à magia de Damian, e que isso fosse servir como uma espécie de cura pra ela.

A cena levantou muitas questões interessantes pro resto da trama desta temporada.

Imagem de capa do item

Ponto forte - Laurel

Para os que já acompanham minhas listas sobre Arrow há um tempinho, eu gostaria de oficializar meu pedido de desculpas pelas vezes que desmereci Laurel Lance, hoje eu entendo que a personagem estava em uma constante construção e evolução.

Nesse episódio, tudo que ela passou serviu pra moldar a estrutura que ela teve pra apoiar Diggle e transformá-la na pessoa mais confiável para essa situação.

Imagem de capa do item

Ponto forte - Aprendendo com os erros

Por um momento nesse episódio eu fiquei com muito medo de que uma história trágica fosse se repetir. Quando Oliver decidiu que iria se infiltrar com Damian, e todo mundo começou a aconselhá-lo a não fazer isso, eu vi a terceira temporada acontecendo toda mais uma vez.

Mas o alívio foi muito grande quando aparentemente eles usaram isso propositalmente pra mostrar que eles aprenderam com os erros da temporada passada, e não teremos mais uma vez Oliver Queen se entregando ao lado negro.

Imagem de perfil
Mike Sant'Anna

Eu sou o melhor no que eu faço, mas o que eu faço... É bem retardado.