Capa da Publicação

5 Melhores e 5 piores momentos da trajetória do Sonic!

Por Raphael Martins

Em 1991, a Sega pegou a Nintendo e todos os gamers da época de surpresa ao lançar um jogo rápido, dinâmico e visualmente impressionante como nunca antes visto até então: Sonic The Hedgehog! O ouriço azul mais veloz que há inflamou a guerra dos 16 bits, elevou a popularidade do Mega Drive às alturas e mudou o mercado de games para sempre, influenciando toda uma nova geração de jogadores e desenvolvedores.

26 anos depois e prestes a finalmente ganhar um filme para chamar de seu, o mascote da Sega teve uma trajetória de altos e baixos, vitórias e derrotas, alegrias e tristezas, e todos os fãs do personagem que o acompanham por todo esse tempo riram e choraram junto. Nessa lista, nós vamos reviver alguns desses momentos, os memoráveis e os infames.

Apertem os cintos e vamos na velocidade do som!

Imagem de capa do item

O melhor: a Sonic 2sday

Vocês já se perguntaram porque todos os lançamentos mundiais dos games acontecem numa terça-feira? Bem, o grande responsável por isso é ninguém menos que o nosso Sonic, o "mais veloz que há", como a musiquinha-tema do desenho animado adorava nos lembrar.

O ano era 1992. A Sega preparava uma verdadeira operação de guerra para realizar um feito nunca antes ao menos tentado na história dos games: um lançamento mundial. Todos receberiam o jogo ao mesmo tempo e o comprariam no mesmo dia. Hoje isso pode parecer comum, mas naquela época exigiu meses de preparação e noites mal dormidas por parte da equipe de marketing e vendas da empresa.

O dia 21 de novembro, uma terça-feira, ficou conhecido como Sonic 2sday, um mega evento que marcou para sempre a indústria dos games e inaugurou uma tradição que perdura até hoje, a de fazer lançamentos mundiais numa terça.

O melhor: Crossovers com o Mario

Quem imaginaria que Mario e Sonic, inimigos mortais durante toda a década de 90, um dia se tornariam amigos? O que antes parecia impossível finalmente aconteceu em 2007, no game Mario & Sonic at the Olympic Games, para Nintendo Wii e Nintendo DS.

A Sega havia adquirido a licença para criar jogos baseados nas olimpíadas e queria fazer um jogo de esportes com a turma do Sonic participando da competição. E como toda competição esportiva é cercada de rivalidade, a empresa teve a ideia de colocar os personagens do Sonic contra os do Mario, e a Nintendo, reconhecendo que era algo genial, entrou na brincadeira e topou. O resultado foram 5 jogos divertidíssimos para se jogar sozinho ou com os amigos. De preferência com os amigos.

O último game dessa série foi Mario & Sonic at Rio 2016 Olympic Games, onde os dois vem aqui para a terrinha competir em várias modalidades esportivas. Mas os fãs ainda sonham com um jogo de plataforma envolvendo os personagens.

Imagem de capa do item

O melhor: Michael Jackson entra em cena

Uma das lendas mais antigas da industria dos games é a de que o rei do pop Michael Jackson teria se envolvido na trilha sonora do 3º jogo do mascote da Sega, Sonic The Hedgehog 3. Durante muitos anos, fãs teorizaram e discutiram se isso realmente teria acontecido ou não, já que a própria Sega nunca havia se pronunciado oficialmente sobre isso.

Em 2018, veio a confirmação: em uma entrevista, Naoto Ohshima, um dos criadores do personagem, falou que Michael não participou da trilha do jogo... mas que isso quase aconteceu.

Ohshima diz que Michael de fato compôs algumas faixas para o jogo e enviou à Sega uma fita demo, onde cantava as melodias apenas com sua voz, sem instrumentos, mas que após alguns incidentes polêmicos envolvendo o cantor, a empresa decidiu não usar nenhuma.

Reza a lenda que Stranger in Moscow, um dos sucessos de Michael, seria uma dessas músicas recusadas, que o cantor depois reaproveitou e lançou como uma canção completa. Será?

O vídeo não está mais disponível.

O melhor: Mais popular que o Mickey

Em 1993, no auge de sua popularidade, Sonic apareceu na forma de um balão gigante na tradicional parada do dia de ação de graças americano, a Macy´s Thanksgiving Day Parade. O evento é televisionado para milhões de pessoas, e todas elas viram o ouriço azul em toda a sua glória voando pelo céu azul. Naquele momento, o personagem era mais popular entre as crianças americanas que o próprio Mickey Mouse, a cara da Disney.

Essa é uma das maiores comemorações do ano nos Estados Unidos e aparecer na forma de balão nessa parada é um enorme sinal de prestígio. Só não terminou tão bem quanto começou: o balão foi levado por ventos muito fortes, bateu num poste e estourou. Nada é perfeito.

Imagem de capa do item

O melhor: Uma duradoura série de quadrinhos

Também em 1993, a editora Archie Comics começou a publicar histórias em quadrinhos com o herói e seus amigos vivendo aventuras e encarando perigos. No início elas eram baseadas no desenho animado Sonic: The Animated Series, mas depois foi ganhando identidade própria e histórias cada vez mais maduras e sérias, divididas em grandes sagas, como acontece na Marvel e na DC.

Os quadrinhos tem seu próprio universo, com personagens que nunca apareceram nos jogos. Nessas histórias, Sonic é um habitante do planeta Mobius, e junto com seus amigos, os chamados "Defensores da Liberdade", lutam contra a tirania de Robotinik para libertar seu lar e restaurar a paz.

Gerou vários spin-offs e tem muitos fãs fieis nos Estados Unidos. Até crossover com o Mega Man já rolou!

Imagem de capa do item

O Pior: Jogos ruins em 3D

Até finalmente pegarem o jeito de como se fazer um jogo do Sonic funcionar em 3D, a Sega penou, lançando jogo após jogo na base da tentativa e erro. Muitos deles, como Sonic Heroes e o infame Sonic The Hedgehog de 2006, tem comandos ruins, uma câmera pior ainda, física inexistente e uma infinidade de bugs que tornam essa leva de jogos quase impossível de se jogar.

Depois de muitos erros vieram jogos em 3D realmente bons, como Sonic Colors e Sonic Generations, mas a credibilidade da franquia ficou seriamente abalada, sendo alvo de piadas maldosas até hoje.

O Pior: Este vídeo

Em 2004, no Paquistão, a rede de fast-food Mcdonald´s divulgou um comercial de TV para promover o McLanche Feliz do Sonic no país. O resultado foi digno de aparecer nos pesadelos de quem quem que tenha visto o tal comercial, seja essa pessoa fã do Sonic ou não.

Não há muito o que falar, apenas sentir.

Imagem de capa do item

O Pior: Sonic The Hedgehog 4

A Sega já tinha falhado muito com o Sonic em 3D, mas ela não poderia errar com um jogo em 2D, certo? Afinal, a empresa fazia jogos assim há anos! Não tinha como dar errado... ou será que tinha?

Bom, acabou dando: Sonic The Hedgehog 4, que serviria como a verdadeira sequência de Sonic 3 e que parecia bastante promissor no início, se mostrou um jogo fraco, pouco inspirado e com uma física tão inexistente quanto as tentativas frustradas em 3D. Nem mesmo a trilha sonora, um quesito em que a Sega parecia sempre acertar mesmo se o resto do jogo fosse ruim, se salva. Um belo balde de água fria para quem esperava o retorno dos bons tempos do Mega Drive.

O Pior: O jogo do Shadow

Em Sonic Adventure 2, um dos maiores sucessos do Dreamcast, Sonic finalmente ganhou um rival à altura, o personagem Shadow. Com um visual similar ao de Sonic, mas mais sombrio, Shadow fez sucesso e vendeu vários brinquedinhos, para a alegria da Sega. A empolgação foi tanta que em determinado momento a empresa decidiu fazer um jogo estrelado pelo personagem.

O resultado final se mostrou uma ideia altamente equivocada desde a sua concepção. Shadow agora usava revólveres e metralhadoras como armas, andava de moto e distribuía tiros em cenários escuros ao som de death metal. Parece ser o maior sonho do adolescente metido a adultão sério, um perfil que não tem nada a ver com o dos fãs do Sonic, que odiaram absolutamente tudo.

Como jogo, também é bem ruim, com controles que não funcionam direito, câmera confusa e muitos bugs. Passe longe, não jogue nem por curiosidade!

O Pior: O beijo da discórdia

Finalizando essa lista, vamos a ele, o momento mais baixo, vergonhoso e infame que o personagem tomou parte nesses 26 anos de vida: o beijo da princesa Elise em Sonic The Hedgehog, chamado pelos fãs apenas de Sonic 2006.

Esse game foi o primeiro Sonic da geração Playstation 3/Xbox 360 e tinha aspirações ambiciosas: ser o melhor jogo do personagem já feito. O resultado não poderia ser mais oposto ao que a Sega queria, sendo eleito por unanimidade entre os fãs como o pior jogo do personagem já concebido até os dias de hoje.

Perto do final do jogo, a princesa Elise, que o ouriço tem que salvar várias vezes durante o game e que parece gostar dele até demais, usa o poder das esmeraldas do caos para revive-lo, se aproxima do herói e... beija ele na boca. É uma cena ESTRANHÍSSIMA, uma das mais constrangedoras de toda a história dos vídeo games e viverá na infâmia para todo o sempre.

Imagem de perfil
Raphael Martins

Redator, apresentador e roteirista. Gosto de longas caminhadas na praia, Star Wars, tokusatsu, anime e filé com batata frita. Deixo as pessoas constrangidas. Você pode trocar uma ideia comigo no Twitter: @aqueleraphael