Capa da Publicação

15 jogos de PlayStation 1 para relembrar da infância

Por Arthur Eloi

Poucos consoles foram tão populares quanto o PlayStation 1. Fruto de uma parceria falida com a Nintendo, o videogame mostrou a força da Sony ao combinar um hardware poderoso com uma biblioteca incrível de títulos. Não é a toa que muitas das franquias que são lembradas carinhosamente até hoje nasceram no PS1!

Para relembrar só uma pequena porção do excelente catálogo da plataforma, separamos 15 jogos clássicos do PlayStation 1!

Imagem de capa do item

Silent Hill

Basta surgir um rumor perdido, ou mesmo um dia amanhecer com um pouco de neblina, que o nome Silent Hill é alavancado para os assuntos mais comentados de qualquer rede social. A franquia da Konami tem uma enorme legião de fãs fiéis até hoje, sedentos por mais.

Ao retornar ao primeiro capítulo da saga, é possível entender o motivo. A obra da Team Silent apresenta um survival horror verdadeiramente macabro, com atmosfera de arrepiar, monstros grotescos e uma trama sem respostas claras. De lá para cá, os únicos jogos que conseguiram replicar a sensação de tensão do clássico foram suas sequências - pelo menos todas as continuações desenvolvidas pela equipe original.

Imagem de capa do item

Franquia Crash Bandicoot

O mascote oficial do PS1, Crash Bandicoot botou o estúdio Naughty Dog no mapa, com uma trilogia de plataformas 3D cheios de personalidade e fases desafiadores que mostravam toda a capacidade gráfica da plataforma.

Não bastava três jogos incríveis, Crash ainda ganhou derivados excelentes, como Crash Team Racing - um rival digno de Mario Kart - e Crash Bash, basicamente o Mario Party da Sony.

Imagem de capa do item

Spyro

Pau-a-pau com Crash, Spyro é outro plataforma 3D que ajudou a mostra toda a impressionante capacidade gráfica do PS1. Com mundos amplos e cheios de vida, o game foi a introdução de muita gente aos games.

O mascote ficou fora de cena por um tempo, mas - assim como Crash - recentemente voltou em um impressionante remake.

Imagem de capa do item

Final Fantasy VII

Falando em primeiros contatos, não é exagero dizer que Final Fantasy VII é a razão pela qual muita gente ama JRPGs hoje em dia. O clássico da SquareSoft foi lançado em 1997 e abriu as portas para o gênero japonês pelo mundo todo, com visuais de ponta (para a época), intenso combate por turnos e uma trilha sonora épica e marcante.

Há quem prefira Final Fantasy IX, mas o sétimo game continua bastante relevante por conta de sua trama memorável sobre um grupo de ecoterroristas lutando contra o implacável poder de uma megacorporação. Não é à toa que seu remake foi um dos jogos mais pedidos por décadas, e um dos maiores sucessos da geração do One/PS4 quando enfim foi lançado em 2020.

Imagem de capa do item

Jogos da Disney

Quando se trata de relembrar dos jogos do PS1, não dá para viver só de clássicos absolutos e obras revolucionárias. Afinal, a graça do console era ter ótimos títulos de todo tipo, incluindo bons jogos licenciados.

Muita gente teve o PS1 na infância, e era a oportunidade perfeita para os games baseados em animações da Disney que faziam sucesso nos cinemas e nas locadoras. É por isso que muitos têm lembranças carinhosas de obras como Tarzan, Aladdin e Hércules, que ganharam jogos 2D bastante carismáticos e divertidos!

Imagem de capa do item

Harry Potter e a Câmara Secreta

Se você pegar muitas das listas dos melhores jogos do PS1, é comum que só encontre títulos originais, mas a realidade é que essa e a geração do PS2 foram eras de ouros pros jogos licenciados. Havia certo investimento para que títulos inspirados em filmes e desenhos fossem minimamente completos e divertidos.

Um dos melhores exemplos dessa tendência que já não existe mais é o game de Harry Potter e a Câmara Secreta. Com lançamento alinhado ao filme de 2002, o jogo te permite explorar Hogwarts, resolver vários puzzles e até jogar Quadribol, além de reviver vários momentos da telona. Podemos perdoar a cara estranha de Hagrid pois havia algo especial em ir ao cinema, amar um filme e poder reencenar suas melhores partes no videogame.

Imagem de capa do item

Metal Gear Solid

Se hoje em dia os videogames são altamente inspirados na linguagem do cinema, é Metal Gear Solid que merece ser reconhecido por dar início à tendência. O game de 1998 ajudou a consagrar Hideo Kojima, que criou uma trama de espionagem digna de filme.

Com ótima jogabilidade stealth, a primeira aventura de Solid Snake é desafiadora como jogo mas também traz uma excelente narrativa sobre espionagem, guerra e uma disputa entre clones. A franquia cresceu para se tornar uma das mais amadas dos jogos, e o primeiro título continua grandioso até para os padrões modernos.

Imagem de capa do item

Castlevania: Symphony of the Night

A Konami entregou algumas das melhores franquias retrô. Castlevania, por sua vez, já era gigante desde o Nintendinho. No PS1, porém, ganhou um dos melhores títulos de toda a saga: Castlevania: Symphony of the Night.

Com um mapa gigantesco, uma trilha sonora de arrepiar e uma enorme variedade de criaturas grotescas como inimigas, Symphony of the Night elevou tudo que já era bom em Castlevania e construiu uma das melhores obras de seu gênero. Mesmo seus diálogos com dublagem questionável trazem certo charme!

Imagem de capa do item

Trilogia Resident Evil

Resident Evil definiu como se faz um jogo de terror, e o PS1 foi o lar dessa revolução macabra. O primeiro console da Sony foi palco da aclamada trilogia clássica, que acompanhou jornadas na Mansão Spencer e nas ruas de Raccoon City.

Seja pelos sustos, pela jogabilidade tensa que pede bom uso de recursos, ou pelos icônicos personagens, Resident Evil continua uma das franquias mais amadas dos games até hoje, e é sempre válido revisitar suas raízes.

Imagem de capa do item

Tekken 3

Com um hardware mais poderoso, vários gêneros tradicionalmente 2D começaram a explorar as três dimensões. Dessa leva de experimentos, Tekken é uma das melhores franquias que surgiram - e Tekken 3 é um dos ápices da saga.

Com ótimo elenco de lutadores, o game é desafiador para quem quer dominar, mas ridiculamente satisfatório e acessível para quem só quer tirar uns contras. Porradaria honesta entre amigos faz falta!

Imagem de capa do item

Quadrilogia Tony Hawk’s Pro Skater

Feito com a ajuda de skatistas, a saga Tony Hawk’s Pro Skater é um marco por conseguir levar o fenômeno do skate das ruas para os games em uma tradução quase impecável.

Com uma jogabilidade deliciosamente satisfatória, o game coloca o jogador para cumprir objetivos em várias fases, e se mantém uma janela para a cultura noventista através dos ambientes, das manobras, das roupas e, claro, das músicas.

Imagem de capa do item

Tomb Raider

O PS1 permitiu a chegada aos consoles de gêneros que antes eram exclusivos do PC, como games de aventura 3D. Dentre eles, não há sucesso maior do que Tomb Raider.

O jogo introduziu ao mundo Lara Croft, um exploradora a lá Indiana Jones com habilidades acrobáticas e um par de pistolas para lidar com todo tipo de ameaça - até as mais bizarras, como cavernas cheias de dinossauros.

Imagem de capa do item

Driver

Com o avanço dos jogos 3D, não demorou muito para surgirem títulos que testavam as limitações dos ambientes que podiam ser alcançados. Um dos games que liderou essa investida nos consoles foi a série Driver.

Inspirado por filmes setentistas de crime, o game te coloca atrás do volante de um carro de fuga, pilotado por um policial à paisana. Pelo nível de liberdade, que te deixava explorar quatro cidades em mundo aberto (para os padrões da época), foi Driver que plantou as sementes desse design caótico que inspirou GTA e muitos outros.

Imagem de capa do item

Medal of Honor

Steven Spielberg é facilmente um dos maiores diretores do cinema, tendo dirigido clássicos como Tubarões, Indiana Jones, E.T. e muito mais. Acontece que o cineasta também sempre teve certo interesse em games, e colocou isso a prova quando criou um dos maiores shooters do PS1: Medal of Honor.

O game, imaginado e escrito por Spielberg durante o desenvolvimento do filme O Resgate do Soldado Ryan, coloca o jogador no comando de um batalhão na Segunda Guerra Mundial, e traz uma jornada bastante cinematográfica - muito antes de Call of Duty se tornar conhecido por fazer justamente isso.

Imagem de capa do item

Gran Turismo 2

A biblioteca do PS1 tinha todo tipo de jogo, incluindo simuladores de corrida. Pode não parecer hoje em dia, mas Gran Turismo 2 era uma das experiências mais realistas até então, especialmente no visual.

O game de corrida trazia pistas e carros autênticos, controles precisos e gráficos de cair o queixo. É um dos melhores representantes do quão poderoso o hardware do PS1 era na época!

Qual o seu jogo favorito de PS1? Deixe nos comentários abaixo!

Imagem de perfil
Arthur Eloi

Repórter entusiasta de filmes ruins, jogos de tiro e de horror em todas as suas formas. Dá notas duvidosas para obras questionáveis • @ArthurEloi117